Reportagem da revista Veja aponta “excelência na educação pública” de Minas Gerais

Com base em dados da ONG Todos pela Educação, revista mostra que, dos dez municípios brasileiros que contam com ensino público de qualidade, sete são mineiros

Reportagem publicada pela revista Veja, na edição desta semana, revela novos aspectos do ensino público brasileiro, com destaque para Minas Gerais. Com o título “Quem quer consegue”, a reportagem apresenta os resultados de uma pesquisa de abrangência nacional, realizada pela ONG Todos pela Educação. O levantamento mostra que, dos dez municípios brasileiros que contam com políticas públicas capazes de assegurar as bases para a excelência em educação pública, sete são mineiros, sendo que as cinco cidades mais bem colocadas no ranking são de Minas.

Ainda segundo a reportagem, o resultado enfatiza indicadores que outras avaliações do Ministério da Educação já haviam sinalizado nos últimos anos, como o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), que também atestou, em seus últimos levantamentos, a qualidade do ensino público de Minas Gerais. Na reportagem, o economista e especialista em educação, Claudio de Moura Castro, afirma que o bom desempenho de Minas nesta pesquisa não se deve a fatores “mirabolante”. “Essas cidades (mineiras) estão levando a cabo um conjunto de iniciativas coerentes que têm tido continuidade, algo raro no país”, analisou.

Segundo a revista, “Minas Gerais foi o primeiro Estado a formular uma prova única para mapear as deficiências dos alunos e lançar luz sobre os bons casos, saindo na dianteira na criação de metas para a sala de aula”. Ainda de acordo com a reportagem, as escolas mineiras “passaram a ser cobradas e até premiadas por seu cumprimento, tal como no mundo corporativo, com um bônus salarial para os profissionais que elevam o nível do ensino”.

Bons exemplos

A publicação destaca o exemplo bem sucedido da Escola Estadual Afonso Pena Júnior, localizada no município de São Tiago, na região Central de Minas. Além de já terem conquistado a primeira colocação no Campeonato Nacional de Robótica, os alunos da Escola Estadual Afonso Pena Júnior representarão o país no Circuito Mundial de Robótica, no México. Na escola, que atende 1.100 alunos, os professores chegam a dar aulas extras para assegurar o bom aprendizado dos estudantes. Um projeto de extração de álcool em laranja, por meio de fermentação, desenvolvido na escola, chegou a ser apresentado a pesquisadores da Universidade de São Paulo (USP). “O objetivo aqui é ir muito além dos muros da escola”, disse, à reportagem, a diretora da escola, Maria Auxiliadora Silva.

Ainda de acordo com a publicação, o bom desempenho do ensino público mineiro se deve a uma série de medidas, já testadas em outros países “com um lado pragmático que se sobrepõe ao corporativismo ainda em voga no ambiente escolar”. Dados do Ministério da Educação mostram que, até hoje, são minoria os diretores de escolas que chegam ao cargo por um sistema que alie quesitos técnicos a uma eleição, e não por critérios políticos: eles representam apenas 13% do total nacional, enquanto, em Minas Gerais, são 60%.

A revista informa, ainda, com base em dados do Ministério da Educação, que 58% dos estudantes brasileiros não chegam sequer a concluir o ensino médio. Para contrapor essa estatística nacional, a reportagem traz o exemplo do estudante Higor Bartolomeu, de 15 anos, morador de Guaxupé, no Sul de Minas. Mesmo conciliando os estudos com atividades na lavoura, para ajudar a família, Higor afirma que o ensino é prioridade. “Não aceito menos do que a nota 10”, afirmou o estudante mineiro à publicação.

 

 

Agência Minas

Compartilhe...Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedInPin on PinterestEmail this to someone
Últimos comentários
  1. Pedro torres
    Responder -

Comentários

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Current day month ye@r *