Prefeito e vice de Chalé/MG são cassados

O Juiz Eleitoral de Lajinha Dr. Rafael Murad Brumana determinou a cassação do Prefeito de Chalé, Elmir Batista de Melo, e do vice Willi Arnaldo Kaizer Júnior, bem como a realização de nova eleição no município. A sentença foi publicada nesta quinta, 07. Prefeito e vice irão recorrer ao Tribunal Regional Eleitoral, em Belo Horizonte.

O Ministério Público Eleitoral ajuizou ação de investigação judicial eleitoral contra Elmir Batista de Melo e Willi Kaizer Junior, reeleitos nas eleições municipais de 2012, requerendo a declaração de inelegibilidade e a cassação do registro da candidatura dos investigados, sob a alegação de utilização de equipamento e bens públicos em favor de particulares em período eleitoral e abuso de poder político.

Na defesa, eles admitiram que houve o serviço, mas alegaram que ele era prestado pelo município de Chalé aos particulares e que se trata de programa agrícola executado de forma continuada, previsto na Lei Orgânica do Município.  Informaram que essa atividade é desenvolvida não só em período eleitoral, mas acontece regularmente em todo o território do município, beneficiando indistintamente todos os micro e pequenos proprietários rurais.

Em audiência, foram ouvidas quatro testemunhas do Ministério Público e três dos dois investigados.

De acordo com o juiz, a inicial narra que prefeito e vice determinaram a execução de obras de terraplanagem em terrenos rurais localizados nos Córregos Água Limpa, do Recreio e Santaninha, utilizando-se de bens e servidores públicos, em período eleitoral.

Dr. Rafael Brumana destacou na sentença que “a promoção desses serviços de terraplanagem em terrenos privados desequilibra o jogo de forças no processo eleitoral, fere de morte o princípio da isonomia de oportunidades entre os candidatos e é potencialmente capaz de afetar a normalidade e legitimidade das eleições, o que é mais que suficiente para cassar-lhes o registro da candidatura e acarretar-lhes a inelegibilidade”.

Na conclusão, o magistrado diz que os benefício representa um desequilíbrio de forças no processo eleitoral, já que em localidades tão pequenas como Chalé, em que a diferença entre perdedores e vencedores não passa de um punhado de votos, nenhuma irregularidade pode ser desprezada.

Ante o exposto, julgo procedente a presente ação, para cassar os diplomas de ELMIR BATISTA DE MELO e WILLI ARNALDO KAIZER JUNIOR, respectivamente, prefeito e vice-prefeito reeleitos do Municípios de Chalé, declarar a sua inelegibilidade pelo prazo de 08 (anos) e aplicar-lhes multa pecuniária no valor de 10.000 UFIRs para cada um, determinando o afastamento imediato dos condenados de seus respectivos cargos e a realização de novas eleições municipais, observados os procedimentos legais de praxe.

Até que se realizem novas eleições assumirá como prefeito do Município de Chalé o Sr. Presidente da Câmara Municipal tendo em vista ser o sucessor legal do chefe do executivo municipal.

Após o trânsito em julgado, proceda-se ao lançamento na base de perda e suspensão dos direitos políticos do Tribunal Superior Eleitoral da inelegibilidade dos condenados pelo prazo de 08 (oito) anos, nos termos das alíneas d e j do inciso I do art. 1º da LC 64 de 1990.

Da mesma forma, em caso de não pagamento, no prazo de 30 (trinta) dias, pelos condenados da multa estipulada nesta decisão, proceda-se à inscrição do débito em dívida ativa da União.

Publique-se, registre-se, intime-se, cumpra-se.

Lajinha, 07 de fevereiro de 2013.

RAFAEL MURAD BRUMANA

JUIZ ELEITORAL

Compartilhe...Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedInPin on PinterestEmail this to someone
9 Comentários
  1. ronaldo
  2. José
  3. é nois de novo deu s tudo certo
  4. Eleitor Chalé
  5. Joao Marcos da Silva
  6. Kaeza Francyny Berbert Silva
  7. Kaeza Francyny Berbert Silva
  8. INTERPRETAÇÃO JURIDICA ERRADA
  9. TO TE CASSANDO

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *


− 5 = três