Jovens diplomados continuam desempregados… Vereador Adalto não aceita voto de Rogerinho…

Jovens diplomados continuam desempregados

Dizem que o Brasil está na contramão da eficiência educacional, em todo o mundo, o ensino técnico tem sido preferência para jovens que querem acessar o mercado de trabalho. Na Áustria, 75,3% dos alunos do ensino médio estão matriculados na educação profissional. Na Finlândia, 70% deles têm alguma formação que os torna aptos ao mercado de trabalho. Já Portugal, Espanha e Alemanha o percentual vai de 43% a 48% dos estudantes. No Brasil, segundo o estudo “Educação Profissional em Números, do Sistema Indústria”, 9,3% dos estudantes brasileiros do ensino secundário procuram a formação técnica, enquanto 18,1% buscam o ensino superior.

Para alguns especialistas, o foco deve mudar, não adianta um diploma universitário se você está desempregado, o diploma universitário já dá provas de que não há garantia de emprego. E nós temos jovens recém-formados a nível técnico, que estão trabalhando e até têm dinheiro para fazer um concurso melhor.

De acordo com o Mapa do Trabalho Industrial 2017-2020, do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai), as áreas com mais demanda por formação técnica são: alimentos, metalomecânica, vestuário e calçados, construção, veículos e energia. São áreas que precisam de gente capacitada e possuem diversas vagas abertas, enquanto muitos jovens diplomados continuam desempregados.

Vereador Adalto não aceita voto de Rogerinho

Câmara de Manhuaçu debate sobre trânsito e aprova Código Tributário.

Em reunião ordinária sob a presidência de Jorge Augusto Pereira, na noite de quinta–feira, 21/09, a Câmara de Manhuaçu debateu e aprovou vários projetos.

Um deles o mais importante para o município, o projeto de lei que trata do Código Tributário. Rogerinho foi o único vereador a votar contra o projeto, o que rendeu um desabafo com palavras nada agradáveis por parte do vereador Adalto que achou que Rogerinho deveria ter acompanhado os demais, já que projetos que mexe com a vida dos contribuintes nenhum vereador gosta de votar, mas como foi dito por todos é um direito do vereador votar a favor ou contra. Se todo cidadão tivesse controle emocional, muitas coisas não seriam ditas

SAMAL continua fazendo trabalho de limpeza no Rio Manhuaçu

O SAMAL continua com os trabalhos de limpeza do Rio Manhuaçu, no perímetro urbano. Hoje, com atividades nas imediações da ponte da Rua Leandro Gonçalves e entre as ruas Desembargador Alonso Starling e Professor Juventino Nunes. Muito lixo e entulho estão sendo retirados das margens e das águas. O trabalho é coordenado pelo diretor Eron Elias e já percorreu boa parte da área por onde o rio passa na cidade. O SAMAL solicita o apoio da população para ajudar a manter o rio limpo.

Chuvas chegam nesta semana a Minas Gerais, segundo a meteorologia

Chuvas significativas devem chegar no fim desta semana a Minas Gerais, marcando a transição das estações do ano. A capital mineira já contabiliza 103 dias sem chuva e, nesta manhã de domingo, apresenta tempo estável, com mínima de 17 graus e máxima de 27 graus.

“A partir do dia 29, começam as primeiras chuvas significativas, com condição de mudar totalmente o quadro do tempo no Estado. A chegada de uma frente fria do Sul do país vai favorecer as chuvas de sexta até outubro”, reforça o meteorologista do 5º Distrito do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet-MG), Cleber Souza.

Segundo o especialista, as precipitações devem ocorrer em todo o estado, a começar pelo Sul de Minas, no dia 29, e avançando pelo Norte do Estado até dia 4 de outubro. Na semana passada, já começaram a ser registrados chuviscos isolados no Leste de Minas, Sul e Jequitinhonha.

A estiagem na Região Metropolitana de Belo Horizonte preocupa e a Copasa informou nessa sexta-feira, que essa é a pior crise dos últimos 100 anos. A expectativa é de recuperação dos mananciais no período chuvoso.

Na Câmara, 1/4 estouraria limite de gasto em eleição

São Paulo, 24 – Tendo como base a eleição de 2014, um em cada quatro deputados federais teria ultrapassado o teto de gasto de R$ 2,5 milhões proposto em projeto de lei pelo relator da reforma política na Câmara, Vicente Cândido (PT-SP). O texto será debatido nesta terça-feira no plenário da Casa. Dos 513 parlamentares, 122 deles (24%) gastaram mais do que o limite apresentado na proposta de Cândi-do. No caso de Arlindo Chinaglia (PT-SP), parlamentar campeão de gastos, a proporção é quatro vezes maior. A campanha do petista custou R$ 10,2 milhões (valores atualizados) em 2014, segundo levantamento realizado pelo cientista político Jairo Nicolau, da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

FAÇA UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here