Texto inédito de Marcelo Resende, lido na Missa do Sétimo Dia…

Texto inédito de Marcelo Resende, lido na Missa do Sétimo Dia:

“Quando pequeno meu sonho era comer ‘a comida do avião’. Morávamos – meus pais e meu irmão de criação – numa escola do antigo SAM – Serviço de Assistência ao Menor, a Febem da época.

Meu pai Jaures conseguira um emprego. Finalmente. E nós ganhamos o direito de ocupar uma pequena casa dentro da Escola Granja, um reformatório para meninos endiabrados na Ilha do Governador, no Rio de Janeiro. Eu incluído nessa leva.

A escola ficava às margens do aeroporto internacional do Galeão, hoje Aeroporto Tom Jobim. A cada instante aviões passavam sobre nossas cabeças – bem baixinho e com seu ronco assustador para um moleque de seis, sete anos. Minha mãe Áurea, por coincidência, trabalhava como funcionária administrativa da Aeronáutica em outro aeroporto, o até hoje Santos Dumont, no centro do Rio. Eu perguntava: “Mãe, no avião se come? Que que come lá?” Minha mãe não sabia responder – jamais subira num avião. Não havia dinheiro para isso. E inventava histórias. Até que um dia ela me trouxe uma bandeja com a “comida de avião”. Que decepção. A comida de minha mãe era milhões de vezes melhor. Mudei a pergunta: “Mãe, avião leva a gente prá onde?”. Você acabou de pensar que eu era abestalhado, certo? Eu tinha seis anos, mais de cinco décadas atrás. Deu para entender? Minha mãe sei lá o que disse. Mas a vida me traria a resposta. Doze anos depois eu começaria a ser jornalista e, rapidinho, rapidinho, entrei num avião. Para sempre. Num só ano fiz 54 viagens internacionais – uma por semana. Meu recorde. Mas só aos 30 e pouco anos de vida tive dinheiro para entrar num avião “à passeio”. Era minha nova moda. Já rodei todos os continentes – se bem que Argentina, Holanda e Franca são alguns dos roteiros que mais faço. Um filho em cada canto. E agora uma se foi para Nova Zelândia – dezesseis horas num avião. Perdi tempo com a tal pergunta para a minha mãe. E antes que você me faça alguma pergunta, vou dizer logo: nós – você e eu – vamos viajar muito a partir de agora”. Boa viagem meu pai.

O voto questionado

Em tempo de eleição tudo é bom/ recebemos sorrisos e aperto de mão/ eles vão aos velórios carrega caixão/ promete de tudo, eles perdem a razão/ Depois de tudo isso, só na outra eleição/ alguns desavisados ainda acreditam/ nesta grande ilusão/ em cada tempo que passa estamos indo mais e mais nesta contramão/ cadê o grito do povo, pra salvar esta nação/ quando vier pedir o seu voto, não vai se entregando por qualquer conversa, promessa/ bate firme e exerça seu papel de cidadão! ( Salazar)

Humorista X Jornalista

O jornalista José Trajano venceu o processo movido pelo humorista Danilo Gentili. A 2ª Turma Recursal Criminal do Colégio Recursal Central de São Paulo negou provimento a um recurso de queixa-crime por injúria do apresentador do SBT contra o ex-comentarista da ESPN. As informações são dos portais UOL Esportes e SRZD.

“Acordam, em 2ª Turma Recursal Criminal do Colégio Recursal Central da Capital, proferir a seguinte decisão: ‘Negaram provimento ao recurso de apelação, por V.U.’, de conformidade com o voto do Relator, que integra este acórdão”, diz documento assinado pela relatora Flávia Poyares Miranda. Trajano X Gentili: entenda

Durante o programa ‘Linha de Passe’, exibido pela ESPN em 27 de maio de 2016, Trajano criticou Gentili por comentários que o humorista publicou no Twitter, na semana em que uma jovem de 16 anos foi estuprada por mais de 30 homens numa favela da Zona Oeste do Rio de Janeiro.

O apresentador do ‘The Noite’ disse, dentre outras coisas, que “o cara esperou uma gostosa ficar bêbada para transar com ela. Todos sabemos o nome que se dá para um cara desse: Gênio”.

Dias antes do comentário de Trajano, o apresentador do SBT havia visitado os estúdios da emissora esportiva. “Porque o canal abrigou esta semana um personagem engraçadinho, que se porta como se fosse um sujeito que faz apologia do estupro. Em nome do humor, dizendo que no humor cabe tudo. Esse grupo ficou irritado e enojado com a presença dele”, disse o jornalista na época.

Na ação movida contra o jornalista, Gentili afirmou que Trajano o acusou de “fazer apologia ao estupro”. O valor de indenização solicitado pelo humorista era de R$ 1 milhão. Em sua defesa, Trajano afirmou que a condição de comediante do apresentador “traz por consequência imediata a possibilidade de receber críticas. Aliás, a mesma licença que tem o comediante de fazer piadas, o tem o jornalista ao fazer críticas”.

Deputado Renzo Braz e o prefeito Luciano de Manhumirim

O deputado Renzo Braz destinou recursos para Manhumirim (MG) – O prefeito de Manhumirim, Luciano Machado, anuncia a pavimentação de ruas na cidade e da Vila Pequetito na Zona Rural do município.

“Estive no Gabinete do Deputado Federal Renzo Braz que destinou uma emenda parlamentar no valor de R$ 443.650,00 (quatrocentos e quarenta e três mil, seiscentos e cinquenta reais) para a pavimentação de ruas e da Vila Pequetito”, informou o prefeito.

De acordo com o prefeito, a pavimentação vai ser realizada nos seguintes locais:

  • Vila Pequetito – Zona Rural
  • Rua 19 de Março – Bairro Nossa Senhora Aparecida
  • Rua Novo Horizonte- Bairro Divinéia
  • Rua Tropical – Bairro Vila Rica
  • Rua Projetada- Isidoro

“Sei que temos muito a fazer e mais ruas a serem calçadas, irei onde for preciso para trazer estes benefícios. Obrigado Deus”, pontuou o prefeito.

Me diga quem indicou o ministro, que te direi seu voto

Em uma roda de amigos falando de política e discutindo como seria a votação do STF envolvendo o caso Aécio Neves. A semana passada foi bastante produtiva no supremo onde ficou provado que o que pesa na hora da decisão é a indicação política e seus padrinhos, sinceramente vejo o supremo desnecessário no país, o povo espera uma coisa e o STF faz outra.

Pelo que se vê nas redes sociais o respeito pelo supremo acabou, as decisões tomadas mostram que a justiça é para grupos e cartéis onde o que prevalece é o grau de poder de quem é investigado sobre os que julgam.

Lembram quando decisões foram favoráveis ao Maluf que teve a pena aumentada mais tendo o benefício de não ser preso, Eike Batida teve a prisão revogada, o empresário Jacob Barata também foi favorecido, enfim a justiça é cega ou nossos ministros votam de acordo com o grau de proximidade.

Se isso for democracia prefiro o militarismo onde dizem que em 64 houve golpe militar. Será que foi golpe, ou não queriam que fosse implantado no pais o que vemos hoje, pois são os mesmos protagonistas de 64 que foram cassados e voltaram para implantar o que queriam em 64 pois é o que vem acontecendo.

Acabou o casamento entre o jornalista Kennedy Alencar e o SBT

Dizem que o Kennedy Alencar, estava aborrecendo o dono do SBT com suas notícias em algumas vezes enaltecendo o ex-presidente Lula e alguns outros nomes da esquerda brasileira. O profissional deixou a emissora semana passada. Ele agora, segue na CBN e com o trabalho que tem feito para o seu blog. A direção do SBT cancelou uma série de entrevistas de presidenciáveis ‘Cenário 2018’. Dizem que este foi o motivo da saída do jornalista Kennedy. Já o SBT diz, entretanto, que Kennedy decidiu se desligar e, assim,

Kennedy Alencar afirma que a reformulação no jornalístico citada por Stycer fez com que sua série fosse descontinuada. “A série foi cancelada e eu não vi motivo para continuar. O SBT é uma casa muito boa para se trabalhar e o Silvio Santos tem total direito de tocar a televisão como entende ser o certo. Por outro lado, também tenho direito de tocar a minha carreira e, por isso, decidi seguir o meu caminho. Sou muito grato ao SBT pelo período”, acrescenta o repórter.

Silvio Santos resolveu voltar com as mudanças na grade de programação da emissora e focou no jornalismo.

Para isso, acabou culminando em diversas demissões no Complexo Anhanguera, no estado de São Paulo. Inclusive de jornalistas renomados e outros que ficarão agora subutilizados.

Flávio Ricco conta que a nova baixa no jornalismo do SBT será #Joseval Peixoto. O experiente apresentador ficará na emissora só até o fim do ano, quando se encerra seu contrato. Joseval Peixoto, que há anos apresenta o ‘SBT Brasil’ ao lado de Rachel Sheherazade, não vai mais fazer parte do quadro de pessoas que pertencem à empresa de Silvio Santos.

Ele se mostrou completamente descontente com as decisões que Silvio Santos tem tomado e já a partir do dia 31 de dezembro deixa de fazer parte do estafe do SBT.

Muitos vereadores e prefeitos de olho nas vantagens das eleições de 2018

Com atual situação brasileira e suas equivocadas decisões políticas, a violência brutal, o desemprego, a falta de estrutura, o descaso com a saúde e educação, tem levado ao povo brasileiro uma reflexão sobre suas atitudes diante das eleições. “Eu nunca dei muita importância na hora de votar, mas ultimamente passei a observar mais as decisões de nossos governantes e em especial da nossa justiça. Não gostei nada do que está sendo revelado pela Lava jato, empresário que pagou para mudar a lei em seu benefício, de maneira que todo o nosso sistema está contaminado e vi que da justiça não se pode esperar. Vai ser pelo voto que teremos que passar o Brasil a Limpo”. Comenta a professora Fábia. Dizem que muitos vereadores já estão fechando apoio com candidatos que estão sendo investigado pela Lava jato, mal sabem eles que o povo está atento e dependendo do apoio dos prefeitos e vereadores em 2020 terão também a resposta do povo.

Se o Brasil fosse dividido em 5 nações

A disposição de países ficaria da seguinte forma:

  1. País 1 (Norte): Amazonas, Roraima, Amapá, Pará, Tocantins, Rondônia e Acre;
  2. País 2 (Nordeste): Maranhão, Piauí, Ceará, Rio Grande do Norte, Pernambuco, Paraíba, Sergipe, Alagoas e Bahia;
  3. País 3 (Centro-Oeste): Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Goiás e Brasília;
  4. País 4 (Sudeste): São Paulo, Rio de Janeiro, Espírito Santo e Minas Gerais;
  5. País 5 (Sul): Paraná, Rio Grande do Sul, Porto Alegre e Santa Catarina.

Isto feito, cada pátria poderá criar plebiscito para escolher nome próprio e, consequentemente, regime político e sistema de governo que o represente de acordo com a necessidade de sua população local. Além disso, determinar capital federal, nova divisão de estados e municípios, e, claro, quem seriam os respectivos presidentes, governadores, senadores, prefeitos, vereadores deputados e ministros, também estariam entre as atribuições de cada uma dessas repúblicas recém-formadas.

FAÇA UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here