No “Banco da Praça”…

As necessidades de dormi bem

Eu prometo…

Sonho de Guri

E daí? Preparado para no Natal?

Varrendo o quintal.

Um saco de retalhos.

Promessas e orações

No Banco da Praça…”

Viver?

Tempestades da vida

EDITORIAL

O samba do prisioneiro doido

O STF passou dos limites