A Brevidade da Vida

1102

“Tudo o que temos de decidir é o que fazer com o tempo que nos é dado.”
            Se existe algo sobre a vida que muitos concordam é o fato de que ela é muito curta. Os anos passam muito rápido, os dias voam, e quando percebemos, perdemos uma parte da nossa vida, e o pior de tudo é que não dá para recuperar mais. O rei Davi em um de seus salmos (o salmo 144, no versículo 4), expressa a brevidade da vida dizendo que a vida do homem é como um sopro, como uma sombra passageira. Verdade é que, por mais que vivamos, mesmo que cheguemos aos oitenta ou noventa anos de vida, isso não será mais do que uma breve passagem, e muitas pessoas, infelizmente, por mais que vivam, não conseguem consertar os erros cometidos ao longo da vida.
            Diante da brevidade da vida, devemos sempre estar conscientes das decisões que tomamos, das escolhas que fazemos, pois os anos passados não voltam, as oportunidades perdidas também não, e no fim de tudo, muitos olham para trás e lamentam a vida que não puderam viver, lamentam os momentos perdidos, as oportunidades desperdiçadas, lamentam por não terem vivido a vida como queriam, que não tiveram a vida que sonhavam.
            Logicamente, é muito provável que muitos de nós não conseguiremos realizar todos os nossos desejos e sonhos que temos na vida, nesse mundo, muita coisa não depende só de nós e de nossa vontade, mas isso não significa que nossa vida inteira será uma tragédia a ser lamentada. Se muitas são as coisas que não dependem de nós, muitas também são as dependem de nossas decisões e escolhas, e que podem ser modificadas através de nossas ações.
            Mesmo com a brevidade da vida, mesmo com o tempo passando tão rápido, precisamos entender que a cada manhã nos é dada a oportunidade de mudar a forma que estamos vivendo, cada manhã é uma oportunidade nova de modificar tudo o que não estamos gostando em nossa vida. Cada dia novo é uma nova oportunidade que ganhamos para mudar nossa trajetória, uma oportunidade nova para mudarmos a história de nossa vida, uma oportunidade nova para viver e fazer aquilo que realmente queremos, uma oportunidade nova para mudarmos o final de nossa história.
            Então, com o pouco tempo que temos em nossa trajetória terrena, que venhamos a perdoar mais, amar mais, estar com quem amamos, fazer o que gostamos, buscarmos ser felizes, pois a vida é muito curta para ser perdida em tristeza, angústia, e amargura. Como nos diz Tolkien, através de Gandalf, no livro “O Senhor dos Anéis: A Sociedade do Anel”: “Tudo o que temos de decidir é o que fazer com o tempo que nos é dado”. Então que decidamos utilizar nosso tempo de vida da melhor forma possível.
            Tomar a decisão de não desperdiçar o tempo que nos foi dado, de não jogar fora os preciosos minutos das 24 horas diárias que recebemos, é um passo muito importante para a construção de nossa história. Decida fazer coisas boas com o tempo que te foi dado. Seja feliz e com o tempo que você tem. E o mais importante: seja você mesmo. Não gaste o tempo de sua vida fingindo ser algo que você não é. Aproveite cada segundo que te foi dado para mudar o rumo de sua história.

Wanderson R. Monteiro

(Bacharel em Teologia pelo ICP – Instituto Cristão de Pesquisas – ; Vencedor do Prêmio Marilene Godinho de Literatura, em 2016, na categoria Contos; e em 2017, na categoria Crônicas; e segundo lugar em 2018, também na categoria Crônicas; Coautor dos livros “Além da Palavra”, (Volumes II, e III), “Caratinga 170 Anos: Múltiplos Olhares”, e da revista “Prosa e Verso” – Volume I -)

(São Sebastião do Anta – MG)

FAÇA UM COMENTÁRIO

Por favor digite um comentário
Por favor digite seu nome aqui