Confiança Inabalável

9

Quem pensa que o povo de Deus é inimigo de festa precisa ler a Bíblia. Equivocam-se os que pensam que ser crente é ser infeliz, é não ter prazer na vida. Quando “negociava” a saída de Israel do Egito, Moisés disse a Faraó: “…havemos de ir; porque temos de celebrar uma festa ao SENHOR” (Êx 10.9).

Três vezes ao ano, os israelitas deixavam suas cidades e vilarejos e se dirigiam a Jerusalém para cultuar ao Senhor (Êx 23.14-17). Iam cantando pelo caminho um dos quinze salmos chamados “cânticos dos degraus”, no que imagino devia ser uma cena cinematográfica. Um desses cânticos era o salmo 125, cujo primeiro verso diz: “Aqueles que confiam no Senhor são como o monte Sião, que não pode ser abalado, mas permanece para sempre”.

A própria geografia do terreno em que pisavam parecia apontar para Deus. Como Jerusalém se situava sobre uma elevação, de longe podia ser avistada. E ao vê-la, imagino que os peregrinos cantassem com crescente entusiasmo. Na distância, emergia o monte Sião, que o salmista tornou símbolo de firmeza (“não pode ser abalado”) e de permanência (“permanece para sempre”).

Firmeza e permanência são dois ideais acalentados pelo espírito humano. A instabilidade nos incomoda, seja a do presidente da República, a do patrão, a do cônjuge… Sonhamos com solidez. Também nos atormenta o senso de transitoriedade, que caracteriza a nossa peregrinação na terra. A consciência de estar de passagem desassossega os que não têm esperança. Por isso, improvisam artifícios que lhes confiram a ilusão de permanência. Ora, estes dois ideais não se realizam plenamente até que nos voltemos para Deus. Só o Eterno reúne e oferece solidez e permanência. A seu lado, os que nele confiam podem atravessar as tormentas da vida, sem se sentirem atormentados. Nossas crianças cantam, e nós com elas: “Com Cristo no barco tudo vai muito bem, e passa o temporal”. É Cristo o capitão do teu barco?

Pr. João Soares da Fonseca

FAÇA UM COMENTÁRIO

Por favor digite um comentário
Por favor digite seu nome aqui