O Deus que deseja salvar

22

Caminhando Jesus em direção à menina moribunda, “estava ali certa mulher que havia doze anos vinha sofrendo de uma hemorragia. Ela padecera muito sob o cuidado de vários médicos e gastara tudo o que tinha, mas, em vez de melhorar, piorava. Quando ouviu falar de Jesus, chegou-se por trás dele, no meio da multidão, e tocou em seu manto, porque pensava: ‘Se eu tão somente tocar em seu manto, ficarei curada’. Imediatamente cessou sua hemorragia e ela sentiu em seu corpo que estava livre do seu sofrimento.” (Mc 5:25-34).

Muitos são tímidos e vacilantes como esta mulher, achando que Jesus não seja acessível. Não ousam tocar em sua Pessoa, contentando-se em tocar suas vestes. A maravilha da salvação é que ela não está na qualidade da fé ou no quanto alguém conhece a Bíblia, mas em Cristo. Sei de um homem que foi devasso a vida inteira. No leito de morte ficou aflito e alguém ao seu lado disse a ele que pedisse para Jesus salvá-lo. Esse homem morreu dizendo “Jesus! Jesus, me salva!”. Quanto ele entendia da Bíblia e da obra de Cristo? Zero. Quantas vezes ele foi a uma igreja? Menos que ao boteco. Mas iria Deus deixar de salvar alguém que, na hora da morte, clama por Jesus? Alguém como o malfeitor na cruz, que disse apenas “Senhor, lembra-te de mim”? Para qualquer um numa situação assim o Senhor tem a mesma palavra: “Hoje você estará comigo” (Lc 23:43).

Não é o quanto sabemos de Cristo que nos salva, mas o fato de Deus querer salvar. “Não depende do desejo ou do esforço humano, mas da misericórdia de Deus” (Rm 9:16). Quando ele quiser salvar um Saulo, que perseguia cristãos até à morte, fará dele um Paulo. Ele dará a essa pessoa um átomo de fé suficiente para levá-la a tocar no manto de Jesus. Muitos no céu mal sabem explicar como chegaram ali. São como o piloto do avião acidentado — cujas últimas palavras gravadas foram simplesmente “JESUS!”. Eles clamaram por Jesus na derradeira hora, quando religião, conhecimento e justiça própria não podiam salvá-los. E foram salvos.

Se acreditarmos que nossa capacidade de entender e de exercer uma fé livre de erros no Senhor é o que determina nossa salvação, estaremos dizendo que existe algum tipo de obra — no caso intelectual — inserida no processo. Se alguém me pergunta o que precisa fazer para ser salvo, respondo como fez Paulo ao carcereiro: “Creia no Senhor Jesus” (At 16:31). Leitura:

Marcos 5:25-29 Vídeo: https://youtu.be/UQ2tJof8zBk

FAÇA UM COMENTÁRIO

Por favor digite um comentário
Por favor digite seu nome aqui