Profissão Mãe

50

A inserção das mulheres no mercado de trabalho apesar de ter significado um grande avanço, por outro lado, provocou algumas mudanças no que diz respeito ao dia a dia de muitas delas, uma vez que saíram da condição de administradoras do lar para se tornarem agentes do mercado de trabalho.

Vamos voltar  um pouco no tempo e refletir. Num passado não muito distante, as mulheres casavam-se cedo e dedicavam praticamente todo o tempo que possuíam para tomar conta do esposo, da casa e dos filhos. Portanto, ela estava ali tempo integral. Mas, isso tem mudado muito. De uns anos para cá, essas mulheres precisaram conciliar o trabalho fora com as atividades de casa e isso tem custado muita força de vontade e o dobro de dedicação para que todas as atividades sejam cumpridas sem causar prejuízo a ninguém.

É importante destacar que as relações familiares ficaram comprometidas, principalmente no que diz respeito ao cuidado com filhos. Muitas mães têm deixado a criação dos filhos por conta dos avós, da babá e até mesmo da televisão.

Que tipo de mãe você tem sido? Aquela que se desdobra para dar conta de conciliar todas as atividades e ainda cuidar dos filhos ou aquela que nunca tem tempo para ninguém a não ser para si mesma?

É importante refletir sobre isso. É certo que trabalhar fora muitas vezes não é uma opção, é uma questão de sobrevivência, mas, isso não pode ser um empecilho para se manter um bom relacionamento dentro de casa. A mãe que trabalha fora precisa dedicar o máximo de tempo possível aos filhos e participar ativamente de sua criação, para que isso não seja feito por “outras pessoas”. A não participação da mãe na vida de um filho pode trazer consequências terríveis no desenvolvimento da criança, que pode se tornar um adulto inseguro, amargurado e cheio de traumas.

Se você é uma mãe que trabalha fora, dedique a maior parte do tempo livre que possui com seu(s) filho(s). Isso não quer dizer que você não terá tempo para si mesma, o importante é se organizar da melhor maneira possível. Isso fará com que no futuro você tenha a plena consciência de que fez a coisa certa. E principalmente nunca se esqueça de criar seu filho nos caminhos do Senhor Jesus, pois ele é o verdadeiro caminho.

Ah, apesar do artigo ser voltado para as mães, destaca-se também a igual importância da participação dos pais na criação dos filhos. Estes devem ser companheiros e carinhosos tanto com os filhos tanto com as esposas, pois assim, tudo fica mais fácil para ambas as partes.

Por Vanessa Freitas

FAÇA UM COMENTÁRIO

Por favor digite um comentário
Por favor digite seu nome aqui