Cantinho Poético – 1

65

Tédio
Pareciam crianças em doce especulação
na suavidade de dedos entre fendas.
Olhares comiam canções quietas
e tudo o mais eram intermináveis carícias.
Línguas diziam da pele o apelo do gosto,
sorrisos enquadravam palavras bem ditas.
Não houve uma noite em branco
ou um dia sem coloridos desejos.
O tempo, menino de causas desconhecidas,
abriu o lacre de um adeus cortante
e os pequenos sonhadores
hoje dormem lado a lado
como se a vida fosse colchão de lembranças,
– algo sem recuperação no que prossegue.

Destroços
Se soubéssemos corresponder com alegria a dor
estaríamos aptos para solucionar grande parte
dos problemas da humanidade.
Mas nosso pessimismo nos leva a lamentar
quando deveríamos ser o primeiro passo
em busca das soluções.

Sem mais
O corpo parecia deserto sem mãos
canção destoada desvirtuado anoitecer
era como se o dia vestido de luto engolisse
toda a mágica de ser feliz e o adeus fitilho dos olhos
escorregasse em lágrimas uma cicatriz comum: – partida.
Amor.
O medo só ancorou em meu peito
depois da descoberta de que o possuo.
Antes eu não tinha o que perder
e a coragem de apostar tudo
significava não perder nada.

Múltiplos
Alguns dizem a todos que os amam porque o medo da
solidão ultrapassa a franqueza de assumirem para todos,
o verdadeiro significado de amar, a só uma pessoa.

Inútil satisfação corporal
Solitária brincou com os dedos a certeza,
algo meio incerto.
Emancipada fêmea amou-se como
se fosse de todas as primeiras vezes
a mais fiel das entregas. Até que o gozo
percorreu a tarde suada no lençol frio.
Depois, a insubstituível falta dele
caiu navalha no pensar e ela adormeceu úmida
mais vazia que antes, a transbordar
o verdadeiro amargo da solidão.

por: Eliane Alcântara

3 COMENTÁRIOS

  1. Grande poetisa Eliane Alcântara, para quando uma homenagem por tudo o que divulga não só no Jornal das Montanhas, mas sim por toda a sua obra que em breve será editada? Quero estar aí bem a frente de todos para aplaudir você, parabéns pelo seu grande trabalho poético Mineiro.

    Jorge Carreira

FAÇA UM COMENTÁRIO

Por favor digite um comentário
Por favor digite seu nome aqui