Cantando para não chorar

33

Quando ouvi recentemente uma pessoa dizer esta frase, fiquei imaginando a falta de criatividade, a sobra de masoquismo e a extrema carga de negatividade que a mesma carregava. Sempre que se ouve alguém dizendo isto sabe-se que está re-clamando de alguma coisa que não deu certo e que nós, pasmando ou não, sabemos que pode ter acontecido até por culpa do próprio cantor. Podemos creditar como culpa maior por esta mania ao também antigo ditado que diz que quem canta seus males espanta. Desde que seja pelo menos um pouco bom cantor, porque em caso contrário, a cantoria pode não agradar e aí sim, causar um choro para valer.

Nessa de “prá não chorar”, tem também aqueles que depois de levar um escorregão e estatelar no chão, dão risada, ficam rindo para não chorar. O pior de tudo é que conforme a situação pode-se ainda arrumar algum coro maior de risos mais fortes pela queda, nos ajudando a rir de nossa má sorte. É claro que teremos risos de todos os tipos. Sarcásticos, hilariantes, mais discretos, que de qualquer maneira, também não formam um coro muito bonito não.

Agora me veio à mente uma questão muito interessante. Se quando rimos para não chorar na certa poderemos ter mais risos se juntando ao nosso, porque será que quando dizemos que cantamos para não chorar, nos deixam cantando sozinhos? Será porque todos têm medo de desafinar mais do que nós? Talvez porque não conheçam a música que estamos cantando? Na certa, entretanto farão o julgamento de nosso canto e dizer “mas vai cantar mal assim lá…” não?

Sendo assim… Se quiser esconder sua lágrima, cante, desafine, depois… Bem depois… Sorria!

Antonio Jorge Rettenmaier, Escritor, Cronista e Palestrante. Visite nosso blog em
www.ajorgespaceblog.com.br e mande seus comentários para [email protected] Esta coluna está em mais de oitenta jornais no Brasil e Exterior.

FAÇA UM COMENTÁRIO

Por favor digite um comentário
Por favor digite seu nome aqui