História das Histórias de Rio Casca

141

Belezas de Minas

Feliz o município que tem alguém que reconhece a necessidade de preservar a história de seu povo, seus feitos, costumes e principalmente objetos, utensílios, móveis e imóveis. Encontramos em Rio Casca município que pertence à micro região de Ponte Nova um amante da história, o Sr. Gláucio Batista Vieira mais conhecido por “Gulau” é um apaixonado antiquário que mantém uma das mais completas lojas do ramo em Minas Gerais, fato esse que levou a Rede Globo contratar seu acervo cultural para fazer parte de várias novelas de época exibida pela emissora global, Sr. Gulau é fundador do Museu de Rio Casca e um grande conhecedor e preservador da história da região, segundo conta já salvou relíquias e documentos importantes não só de Rio Casca, mas de vários municípios mineiros. Um dos grandes feitos do Sr. Gulau foi a descoberta de um acervo de manuscritos de autoria do Dr. Benjamin Vieira Coelho que ficou guardado com seu neto o Dr. Juarez Coelho de Carvalho, os escritos foram doados à ARCA (Associação Amigos de Rio Casca) e finalmente os escritos ganharam as páginas de um livro que foi lançado em 30 de junho de 2012, na comemoração do centenário da cidade  que é dia1ºde junho com o título de: Rio Casca Apontamentos, livro esse que traz a  memória de seus leitores um passeio histórico dos idos de 1842 a 1941.

A cidade possui uma associação ARCA (Associação Amigos de Rio Casca) que foi criada há 15 anos possuindo hoje um acervo com quase 10 mil fotos, mais de 8 mil documentos e três mil peças que contam a história do município, tudo isso pode ser visitado no museu que fica localizado na antiga estação de trem “no mês passado precisamente no dia 30 de junho a ARCA lançou um livro que recuperou a história de nosso município de 1841 a 1941 este material foi achado no Rio de janeiro onde ficou perdido por mais de 80 anos, levamos 7 anos para recuperar todo o material e lançar o livro com os escritos de autoria do Dr. Benjamin Vieira Coelho, a ARCA recuperou praticamente toda a história de Rio Casca, com isso fazemos também a recuperaçãode documentos antigos da memória do município que ao longo dos anos foram perdidos, a associação é hoje uma referência na recuperação de documentos da Zona da Mata”. Explica Gulau

Preservando a cultura de Rio Casca

Rio Casca é um exemplo para outros municípios onde a cultura não é valorizada e o pouco que existe não é preservado, Manhuaçu, por exemplo, uma cidade polo que tem muito pouco em relação a sua população e importância. Rio Casca possui peças raríssimas que não se encontra em nenhum outro museu, só mesmo pessoas vocacionadas e com muito amor a cidade poderiam fazer o que foi feito.

Para fazer este trabalho que a ARCA faz em recuperar documentos tem que gostar, ser filho da cidade e ter sangue pelo patrimônio cultural, muitas pessoas pensam que só os políticos podem fazer algo em benefício da população. “O ideal é você gostar da cidade, não precisa mexer com política, para ajudar o município com pouca coisa todos podem colaborar, aqui nós arrecadamos livros documentos antigos divulgamos o nome da nossa cidade para todo o Brasil, nossa loja é modelo já participamos de 5 novelas da Globo com acervo nosso de peças antigas: Terra Nostra, Chocolate com Pimenta, Esperança e outras, agora estamos participando de um filme O Menino e o Lampião”. Disse Gulau

Ainda segundo Gulau o camarada tem que gostar, ser filho da cidade e ter sangue dos fundadores, porque não é qualquer pessoa que faz esse trabalho que a ARCA faz, ele conta que para o lançamento do livro teve um longo trabalho, comentou ainda ser mais  fácil fazer uma casa do que lançar um livro, “estamos colocando todo o nosso acervo a disposição do Jornal das Montanhas para que possa reportar para outras pessoas, inclusive nossos conterrâneos que moram em outras cidades já que o jornal mantém um portal de grande visibilidade que com certeza atingirá milhares de riocasquenses”. Concluiu Gulau

Veja matéria completa nas páginas 6 e 7 da edição 134 do Jornal das Montanhas, clique aqui.

Por Devair Guimarães de Oliveira

2 COMENTÁRIOS

  1. Achei muito importante o trabalho do sr Gulau,em resgatar a memória de Rio Casca com obras muito preciosas. Acredito que ainda podem ser anexado obras de personalidades desta região a este Museu que vai ficar ainda muito mais rico em conteúdo.

FAÇA UM COMENTÁRIO

Por favor digite um comentário
Por favor digite seu nome aqui