O esporte

1

As primeiras recordações da infância são a partir do ano de 1966, ano da Copa do Mundo na Inglaterra, onde os brasileiros davam como certa a conquista do tricampeonato mundial, na época tinha plásticos, adesivos e flâmulas com as inscrições “Tri O Canarinho” e na verdade esta copa foi o maior vexame do Brasil em Copas do Mundo.

Manhuaçu era bem menor, não havia asfalto na BR-262, dava para conhecer quase todo mundo da cidade. Ao iniciar o curso ginasial na Escola Normal Oficial, recebemos a notícia de que teríamos aula de educação física com o Sr. Rafael Isidoro pereira Filho, conhecido como Capitão Faé, pois chamava todos os alunos de capitão. Durante os exercícios, nós poupávamos para guardar as energias para o racha, que era apitado pelo Faé. Ele era o presidente da Liga Esportiva e o Estádio pertencia à liga.

O gramado não era nenhum destes tapetes de hoje, mas dava para a prática do esporte.

Havia em Manhuaçu 3 times: o Fluvasam, melhor time dirigido pelo Valter Pinto e o Ailton Alves dos Santos, o time da Triunfante, que contava com o apoio do comércio local e formava equipes imbatíveis no campeonato promovido pela liga e também realizava jogos com equipes de destaque da região, tendo até vencido um misto do Flamengo do Rio de Janeiro por 1 a 0. Tinha jogadores como Otoniel, Netinho, Nortinho, Nagibinho, Márcio Gama, Renê, Rebeca, Luís Carlos e João Carlos que teve uma passagem pelo Cruzeiro da época do Tostão. Outros dois times eram o Cam ou Clube Atlético Manhuaçu que usava o mesmo uniforme do Atlético Mineiro, mas era um time de garotos ex-alunos do presidente do time que era o mesmo professor Faé. Quase não jogava com o Fluvasam com medo de levar goleada, certa vez ao ser marcado com um pênalti contra o Atlético em jogo do campeonato com o Fluvasam, Faé mandou o time abandonar o campo, o placar já era de 3×1 contra seu time. Além do Atlético, existia o América fundado pelo Amilcar Silva que alternava bons e maus momentos, raramente ganhava do Fluvasam. Nos anos cinquenta e início de sessenta o Fluvasam teve um grande time, que ganhava todos os campeonatos, exceto o de 1959 ganho pelo Torino de Reduto.

Outro time que apareceu depois foi o Vasquinho do Félix, que teve algum destaque quando foi dirigido pelo empresário Diomar Zini.

Nos anos setenta o Prefeito Getúlio Vargas teve coragem, numa época que as prefeituras recebiam pouco repasse de dinheiro, conseguiu tornar o estádio da Liga Esportiva (LEM), estádio municipal construindo, no mesmo local um novo estádio que foi inaugurado em 5 de novembro de 1977, como Estádio Juscelino Kubschek.

Extraído do Livro “Manhuaçu Rio e Município” de “José Olinto Xavier da Gama”.

8 COMENTÁRIOS

    • Raphael Isidoro Pereira Filho, se for o capitão Faé. Foi casado com minha tia Maria (Lila) Teixeira de Arruda, depois Teixeira Perreira, se for esse o nome do pai dele era Rafhael Isidoro Pereira, e da mãe, era Maria Sette Pereira.

  1. Muitos dos jogadores citados eu os conheci. Falta citar o Djalma, que trabalhava na antiga funerária, que se localiza próximo á Matriz. O Rebeca tinha os seguintes irmãos: Milodonha, Cachicha e outros…Era da família Marambaia….Falta citar o Djalma que trabalhava na antiga funerária , que se localiza próximo à Igreja Matriz.Meu trabalho trabalhou em Manhuaçu seu nome é Tenente Cyrillo.Aprendi a reverenciar essa Terra.

  2. Cheguei em Manhuaçu no dia 22 de janeiro de 1967, oriundo da vizinha Caratinga. Tenho perfeitas lembranças do capitão Faé e dos times locais de então. Se não estou enganado, existia também outra equipe denominada Rodoviários. Tenho saudades do grande time do Fluvasan de 1970, cuja formação era: Eliézer, Ismael, Santana (Bina), Renê e João Carlos; Rebeca, Gonça e Luís Carlos; Iran (Paulinho Marambaia), Nortinho (Jésus) e Altair (Márcio Bolão). Saí de Manhuaçu em outubro de 1970 para retornar à Caratinga, onde permaneci até 1978, mudando em seguida para São Paulo (capital), cidade em que vivo até hoje. É sempre legal ler algo relacionado a esta região que tanto amo

  3. Márcio (Bolão) Gama Teixeira.
    Fluvasan Futebol Clube – Manhuaçu – MG.
    Tenho as duas fotos desta relações de jogadores.
    Ano de 1966.
    Técnico Nagbinho (Ex goleiro de Fluvasan). Jogadores em pé: Jesus, Wabis, Gaspar, Juarez (irmão do Nortinho e Otoniel), Baiano, Márcio Gama (Bolão), Raphael Isidoro, (auxiliar Técnico – Otoniel).
    Agachados: Flávio (Alicate), Djalma, Gilberto (Divagazinho), Batata (irmão do Brandão), Wilson, Chiquinho (Da veterinaria), Augusto (do Hotel França).
    Ano de 1977 a 1970.
    Jogadores em pé: Ismael (Zeda), Zorro (Goleiro), Santa, René Heringer, Rebeca, Bina.
    Jogadores agachados: Djalma, João Carlos (Ex jogador do cruzeiro Mineiro), Jesus Cabrita, Nortinho, Márcio Gama (Bolão).

  4. Márcio Gama Teixeira
    Seu comentário está aguardando aprovação.

    Márcio (Bolão) Gama Teixeira.
    Fluvasan Futebol Clube – Manhuaçu – MG.
    Tenho as duas fotos desta relações de jogadores.
    Ano de 1966.
    Técnico Nagbinho (Ex goleiro de Fluvasan). Jogadores em pé: Jesus, Wabis, Gaspar, Juarez (irmão do Nortinho e Otoniel), Baiano, Márcio Gama (Bolão), Raphael Isidoro, (auxiliar Técnico – Otoniel).
    Agachados: Flávio (Alicate), Djalma, Gilberto (Divagazinho), Batata (irmão do Brandão), Wilson, Chiquinho (Da veterinaria), Augusto (do Hotel França).
    Ano de 1967 a 1970.
    Jogadores em pé: Ismael (Zeda), Zorro (Goleiro), Santana, René Heringer, Rebeca, Bina.
    Jogadores agachados: Djalma, João Carlos (Ex jogador do cruzeiro Mineiro), Jesus Cabrita, Nortinho, Márcio Gama (Bolão).

FAÇA UM COMENTÁRIO

Por favor digite um comentário
Por favor digite seu nome aqui