Lula, o transferidor de votos

66

Por Devair Guimarães de Oliveira  (JM1)

Nem os mais renomados analistas políticos esperavam que o presidente Lula pudesse transferir tantos votos como vem apontando as pesquisas. Não foi à toa que Obama disse “esse é o cara”, a imagem do presidente é mesmo forte. Analistas imaginavam que Dilma Rousseff chegaria nos 30% e pararia por aí por ser desconhecida do público, mas bastou pouco mais de uma semana de propaganda eleitoral para disparar nas pesquisas que avaliam a intenção de voto dos eleitores, tudo indicando para liquidar logo a chance de um segundo turno. O marqueteiro acertou em colar a imagem de Dilma em Lula. O que estamos vendo em Minas Gerais são os candidatos do PSDB cabisbaixos evitando falar em Serra, em Manhuaçu, por exemplo, cidade pólo ainda não apareceu uma foto do candidato dos tucanos, mas a surpreendente subida de Anastásia trouxe novo ânimo, mas Lula está vindo aí para um grande duelo de popularidade com Aécio, vai ser o maior teste dos eleitores mineiros, os pobres acham o presidente um “pai”. Com seus programas populares e paternos, conseguiu ter entre os mais humildes, a fama de “o melhor presidente do país até hoje”. Não se vê mais falar no PT e sim no Lula. Em sua primeira campanha se via muito a estrelinha petista, hoje o fenômeno é sua imagem, muitos candidatos tentam vincular sua imagem a do presidente, mas o fermento pegou mesmo é com Dilma. Serra e Marina em muitos momentos falam a mesma língua de Dilma, e não apresentam nada de novo parecendo que são candidatos do presidente, todos tentando tirar alguns dividendos da imagem do homem. Os candidatos nos demais estados – como Mercadante em São Paulo e Agnelo Queiroz (DF) – tentam a mesma estratégia. Sem êxito. O pai do partido se desvinculou do PT (tanto que quase não cita o partido em seus pronunciamentos) a estrela hoje é a sua própria imagem. Isso sem falar que realmente fez um bom trabalho na presidência – mesmo com a crise econômica tomou medidas acertadas para que o povo não pagasse a conta. Soube usar e preservar a política importante que herdou do governo FHC e tornou o Brasil mais popular. A maior prova da carência (em todos os sentidos) do nosso povo. Dilma coladinha em Lula ia muito bem, mas o escândalo envolvendo a filha de José Serra (PSDB) poderá tirar da petista o sonho de uma vitória no primeiro turno. O caso é grave e o crime merece reflexão, democracia no Brasil? Há muitos abusos de poder e nossa democracia brasileira carente, ainda poderá ficar mais pobre se ocorrer uma vitória já no dia três, vai ficar um pouco sem sal, uma vitória no segundo turno daria mais legitimidade. O povo quer ver os candidatos debatendo cara limpa sem marqueteiros. A campanha de Serra e de Marina tendem a explorar os inimigos do passado que hoje são aliados de Dilma como Collor e Sarney e os que foram afastados por irregularidades no governo. Zé Dirceu, Delubio e outros. Deve aparecer nas propagandas dos próximos dias alguma coisa relacionadas aos casos não muito explicados e resolvidos, como Petrobras, mensalão, correios etc. Mas, não há certeza de serem bem entendidos pelo povo, mas na reta final, vai ser pelo tudo ou nada.

FAÇA UM COMENTÁRIO

Por favor digite um comentário
Por favor digite seu nome aqui