O futuro da mídia

78

Muitas lideranças andam preocupadas com o futuro da mídia. Antes da internet batalhas no mundo inteiro foram vencidas através da manipulação de governos. Com o avanço tecnológico através da rede mundial de computadores, dos jornais online independentes, blogs, e-mails e os famosos sites de relacionamentos têm dificultado a manipulação, agora é impossível barrar as informações, veja o caso do Irã que cancelou todas as permissões de trabalho dos jornalistas estrangeiros, a mídia internacional enfrentou o desafio de acompanhar a situação do país recebendo informações por meios alternativos, o celular foi fundamental para registrar imagens e enviá-las pela internet e isso veio viabilizar as informações; em um futuro bem próximo os governos vão ter que ceder a grande pressão da multidão de internautas que não precisarão sair às ruas, vai usar a internet.

Dia 12/09/09 li uma reportagem publicada no The New York Times por Anand Giridharadas (indiano) bastante reveladora, foi um ensaio feito pelo presidente Barack Obama que fez perguntas aos internautas sobre o problema da saúde e foi surpreendido por milhões de americanos que preferiram discutir a legalização da maconha. Obama sabe que terá que interagir com os americanos via internet, que muitos acreditam vão deter o maior poder de pressão sobre as políticas e exigir a interatividade em duas vias.

A libertação pelo conhecimento tecnológico e a democratização da comunicação está revolucionando as relações, não é o que a maioria dos governos gostaria, mas é o que está acontecendo, ficará difícil deter a vontade popular, é a comunicação a serviço da humanidade. Dia 20 de outubro tivemos uma experiência importante que merece reflexão. O nosso jornal online www.jm1.com.br publicou uma nota que tratava da paralisação do dia seguinte do SERJUSMIG – Sindicato dos Servidores da Justiça de 1ª Instância de Minas Gerais, à noite o Jornal Nacional da Rede Globo também noticiou a nota, no dia 21 os servidores em todo o estado começaram a pesquisar nos sites de busca alguma notícia, e aí não deu outra, mas uma vez ficou provado que os jornais online não têm fronteiras, milhares de servidores acessaram o nosso site e serviu para deixar todos no estado bem informados, com isso outras mídias publicaram alguma coisa também.  Há poucos anos atrás esta nota ficaria no silêncio, por falta de publicação em grandes jornais, hoje eu diria que o povo se libertou da escravidão em que era submetido pela monopolização da informação. Agora não importa sua localização, se no Brasil, Estados Unidos, Japão ou até mesmo na África do Sul, basta conectar na rede mundial de computadores isso é a revolução da informação. Os ditadores estão com os dias contados e os internautas querem dos governos interatividade uma prestação de serviço via internet, que hoje atende os governos numa via única, ou seja, os governantes usam a rede para cobrar impostos e vários outros serviços, os cidadãos conectados exigem uma duplicação nesta via e os governos comecem a prestar serviço através da rede. Será inevitável a mudança de postura de governantes, porque os jornais online independentes, Blogs, e outros têm desempenhado um papel importante para todos os cidadãos do mundo. Muitos jornais famosos tiveram suas edições impressas reduzidas e outros fecharam. Com a internet não há fronteiras e é o meio de comunicação mais democrático que existem isso é só o começo, dentro de pouco tempo os internautas vão interagir e interferir diretamente nas decisões governamentais, deletando os maus políticos.

Recentemente um político famoso envolveu-se em um caso que movimentou milhões de e-mails que navegaram de Norte a Sul do país, mas as autoridades não deram bola e o político continua com todo o seu poder. No momento oportuno o povo internauta estará excluindo estes vírus do meio da sociedade.

FAÇA UM COMENTÁRIO

Por favor digite um comentário
Por favor digite seu nome aqui