Alerta povo brasileiro para o que estar por vir

45

O presidente luta pela liberdade do povo brasileiro  

Por Devair G. Oliveira
A corda esticou além dos limites e o povo precisa estar em alerta para apoiar o presidente, sinceramente analisando o presidente do Senado e uns 8 ministros do Supremo podemos dizer que vai dar ruim pra esta gente que joga fora das 4 linhas, a maioria do povo já entende tudo que está acontecendo, mas esta semana com o conchavo de dois poderes na tentativa de isolar o presidente da República do Brasil Jair Messias Bolsonaro, fica cada dia mais claro para o povo quem é do mal e quem é do bem, só há duas saídas para o Brasil.

Uma é o povo apoiar o presidente no que ele vier decidir e seguir salvando o país do sistema perverso de tudo que não presta, o qual estas pessoas já mostraram.

A outra seria a conclusão das irregularidades que vem acontecendo no Brasil, neste caso seria a destituição do presidente, podendo até ser preso e aí meus amigos o Brasil volta a ser aquele país das maravilhas da corrupção e o povo escravizado podendo cair em um tremendo retrocesso, aí prisão para todos os líderes de direita, prisão e perda do cargo do deputado Daniel e de outras lideranças.

A expectativa no Planalto é de solução pacífica das diferenças com o Judiciário, representado pelo Supremo Tribunal Federal (STF), mas, assim como surpreendeu o País com o decreto de graça a um deputado aliado, o presidente Jair Bolsonaro também considera “carta na manga” invocar o artigo 142 da Constituição para que as Forças Armadas exerçam “papel moderador”, como preconizam vários juristas, entre os quais o Ives Gandra Martins, a fim de resolverem a crise institucional. Invocar o art. 142 é opção avaliada no Planalto.

Bolsonaro tem dito que o decreto da graça não teve objetivo de “peitar” o STF etc, mas ele mantém a “faca na bota”, como dizem os gaúchos.

O ato indultando Daniel Silveira animou Bolsonaro, que passou a avaliar as opções que a Constituição oferece ao chefe do Poder Executivo.

O constitucionalista Ives Gandra Martins defende que “cabe às Forças Armadas moderar os conflitos entre os poderes”.

A situação desagrada a todos. O ex-presidente e jurista Michel Temer afirmou que “a desarmonia entre poderes é uma inconstitucionalidade”.

O presidente do Supremo Tribunal Federal, Luiz Fux, recebe em audiiência o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco.

Como é que eles desejam pacificar apesar de todas as sugestões da imprensa amigável, o presidente do Senado Rodrigo Pacheco (PSD-MG), não conseguiu explicar a “reunião” com o ministro Luiz Fux, presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), na tarde desta terça (3). Não se iluda esse pessoal joga no mesmo clube do presidente da Ucrânia e o clube do Biden dos EUA. Que tristeza ter um presidente do Senado Rodrigo Pacheco que envergonha todos os mineiros.

Baseada nas informações dos analistas da Jovem Pan isso cheira mais um conchavo de dois poderes contra o presidente Bolsonaro.

Pacheco atuou como advogado no STF e poderá retomar essa atividade a qualquer tempo. Tem todo o interesse em conservar bom trânsito.

Não tenha dúvida que a maioria dos ministros do STF passaram de todos os limites e podem ser substituídos por outros ministros, eu particularmente acredito que os ministros perderam essa parada, dependendo deles, se querem aceitar numa boa ou levar o país a uma guerrilha provocando a morte de centenas de brasileiros, não se iluda pois as Forças Armadas jogam do lado da constituição.

FAÇA UM COMENTÁRIO

Por favor digite um comentário
Por favor digite seu nome aqui