APAC pode ser a solução para a ressocialização dos presos

519

cadeia_lotadasIntegrantes da Aciam (Associação Comercial, Industrial e Agronegócios de Manhuaçu) debateram dois assuntos durante reunião na manhã da terça-feira 30 de junho, na sede da associação. Foram discutidas a reinserção de presos que se afastaram do mercado de trabalho e a realização do 11º Salão de Negócios e Oportunidades de Manhuaçu.
A Defensora Pública e Presidente da APAC (Associação de Proteção e Assistência aos Condenados), Denise Rodrigues, estivera presente para inteirar os empresários sobre o projeto. Denise disse que é muito importante para uma cidade como Manhuaçu ter um projeto como o que a APAC tem com os presos por isso o apoio dos membros da Aciam seria fundamental.
Denise destacou que com o apoio da Aciam o trabalho da APAC irá se deslanchar ainda mais na cidade. “Podemos contar com a parceria para os empresários contratar os presos que passarem pelo projeto”. Comentou Denise.
Segundo Denise, atualmente um preso tem o custo de quatro salários mínimos para o Estado, mas com o método APAC ele passa a custar somente um salário mínimo.
De acordo com a presidente, 95% dos presos voltam para a sociedade.
A sede da APAC será onde antigamente funcionou o Clube do Sol, às margens da BR-262, no sentido Manhuaçu/Realeza.
Toninho Gama, presidente da Aciam, destacou que o projeto terá total apoio da Aciam, pois esta é uma causa muito nobre.
“Vale o apoio da Aciam e será um ganho de qualidade para a APAC. Iremos fazer a conscientização dos empresários. É de grande importância dar apoio”, destacou o Presidente da Aciam, Toninho Gama.
Vale ressaltar que a APAC em Manhuaçu foi criada há bastante tempo, em agosto de 2004 publicamos uma entrevista com o presidente da APAC Juarez Pena e com o Delegado Regional Dr. Lourival com o título “Ainda há esperança”, mas até hoje esta esperança não chegou aos presos, esperamos que agora essa idéia possa sair do papel para a prática.

PRESÍDIOS
Trechos do relatório final da inspeção realizada pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ) em presídios do Espírito Santo, que foi apresentado dia (9) em sessão plenária do órgão, descrevem em detalhes um estágio crítico de degradação à qual se submetem detentos de várias unidades. Muitas irregularidades foram encontradas em várias unidades prisionais, no Espírito Santo, na Casa de Custódia de Viana, onde os agentes penitenciários precisam de escolta policial para fazer a limpeza do estabelecimento, o documento diz que “há quantidade muito grande de lixo, insetos e umidade”, o que explica em parte a existência de vários presos doentes. No Presídio Modular de Novo Horizonte há infestação de ratos e presos com marcas de mordidas dos roedores.
A situação prisional no país é dramática vamos encontrar irregularidade em quase todas as cadeias e casas de detenção do país, o Brasil ainda não encontrou um modelo ideal para que seja incrementado em todo território, gasta-se demasiadamente muito com cada preso e por interesses financeiros ligados a corrupção torna-se difícil uma solução definitiva, mas há exemplos bem sucedidos que devem ser copiados e implementados como é o caso de Itaúna.
“São medidas simples, de higiene mesmo, como o recolhimento do lixo e uma APAC pode ser a solução para a ressocialização dos presos imediata desratização. É incrível a quantidade de ratos no presídio de contêineres em Novo Horizonte. Além disso, tem que ampliar o pátio de banho de sol. O espaço é tomado por carcaças de carros. Isso é um absurdo”, afirmouRibeiro. As condições degradantes dos presídios capixabas descritas pelo CNJ já tinham sido antecipadas em parte pelo Conselho Nacional de Política Criminal e Penitenciária (CNPCP).
EXEMPLOS Ministério Público de Minas Gerais já pediu a interdição de presídio mineiro por prática de tortura. Os agentes penitenciários que participaram da sessão de tortura foram identificados. De acordo com a assessoria do governo de Minas Gerais, o relatório da Corregedoria do Sistema de Defesa Social concluiu pela exoneração de seis participantes das agressões.
Dois agentes já haviam sido afastados anteriormente. De acordo com o governo, a decisão de demitir os participantes da sessão de tortura foi imediatamente acatada pelo subsecretário de Administração Prisional, Genilson Zeferino, e a Corregedoria encaminhou cópias do processo ao Ministério Público e à Polícia Civil, para apuração criminal.

gustavo_salazar_botelho
Gustavo Salazar Botelho

Veja o que diz o Presidente da APAC de Itaúna – Gustavo Salazar Botelho (APAC – Associação de Proteção e Assistência aos Condenados) “Quando me perguntaram qual era minha motivação ao abraçar a causa da APAC, não tive dúvida em responder: A APAC é o método prisional do futuro no Brasil.
Administro uma siderúrgica em Itaúna – Ferguminas Siderurgia – e sou sempre tocado por motivações e esperanças futuras.
Da mesma forma que vejo o ferro gusa como uma agro indústria de base que trará grandes reservas de capital para o país, a APAC é uma metodologia incubada por brasileiros que se importam com o ser humano e servirá de exemplo para o mundo. Muitas pessoas em Itaúna não sabem que vivem ao lado de uma promessa de solução para grande parte dos problemas da desigualdade social no Brasil.
Após rebeliões no presídio de São José dos Campos, o ILMO.DR. Mário Ottoboni deu os primeiros passos na criação do Método. Infelizmente , a APAC de São José, não prosperou e a unidade de Itaúna passou a ser modelo mundial. Alguns não sabem o que a APAC já tem atingido e por não conhecerem o trabalho, chegam a rotulá-la como casa que dá “moleza” aos condenados.
Realmente, os recuperandos que nela cumprem pena recebem alimentação, educação e moradia dignas de ser humano.
Além do mais, eles podem trabalhar em atividades desenvolvidas na instituição.
Porém esta “moleza”, que é atribuída ao método, resulta em um índice de reincidência de 05 a 10%, enquanto a média nacional gira em torno de 80%. Isso sem falar na enorme economia aos cofres públicos, uma vez que as penitenciárias gastam mais de R$1.500,00 com cada preso por mês, enquanto a APAC precisa somente de R$530,00.
A APAC de Itaúna era a única há 08 anos atrás. Através do trabalho árduo de muitas pessoas que acreditaram no método como meu amigo Valdeci , hoje são mais de 25 APACs no Brasil e 15 unidades em outros países, totalizando mais de 1000 recuperandos ajudados pelo sistema. O que é mais surpreendente é que 44 novas APACs estão em fase de construção com a estimativa de até o meio de 2010 termos 2000 pessoas cumprindo pena dentro dos CRS (Centro de Reintegração Social), nos moldes da metodologia.
Há algum tempo, foi criada a FBAC (Fraternidade Brasileira de Assistência aos Condenados), que se encarrega de fiscalizar todas as APACs no Brasil e no exterior. Este rápido crescimento que experimentamos nos últimos anos requer um grande cuidado para manter a qualidade do trabalho. Somos exemplo para a Prison Fellowship International que é a maior Instituição Mundial envolvida em assuntos penitenciários. Ela nos patrocina para o desenvolvimento da metodologia fora do Brasil e acredita que podemos resolver alguns problemas em países mais pobres da África e Ásia.
Estamos hoje com 150 recuperandosdivididos em regime aberto, semi-aberto e fechado. Contamos com ajuda dos próprios recuperandos, funcionários e voluntários para seguirmos a caminhada. Envolvi-me com a APAC em 2004 , como voluntário .
Hoje , como presidente , me sinto muito gratificado pelos resultados alcançados .
Quem sabe você pode nos ajudar a plantar essa semente? Estaremos de porta e coração abertos. E lembre-se: as coisas só fazem sentido quando nós as conhecemos de perto”.
APAC – Associação de Proteção e Assistência aos Condenados

Enquete:

Desculpe, não há enquetes disponíveis no momento.

7 COMENTÁRIOS

  1. Após leitura de algumas obras clássicas sobre penas e prisões, para falar na educação como possibilidade de ressocialização, já estava frustrada pela falencia do sistema, confirmando o que eu já tinha conhecimento. Tomar conhecimento que existe APAC e saber dos seus resutados foi confortante.

  2. Sou estagiariana na área penal , fiquei surpresa ao ler esta matéria sobre o sucesso da APAC ,que como muito se falou que era um projeto que só dava moleza aos apenados , portanto em algumas cidades foi
    extinto, mas parece que , como sempre falta, vontade política,iniciativa , coragem para tocar em frente ao tão grandioso como APAC ,

  3. Sou estagiaria de Serviço Social , fiquei surpresa ao ler esta matéria sobre o sucesso da APAC ,que como muito se falou que era um projeto “que só dava moleza aos apenados “, portanto que em algumas cidades foi extinto, mas parece que , como sempre falta, vontade política,iniciativa , coragem para tocar em frente um projeto tão grandioso como APAC , pois atrás deste investimento e dedicação existe homens e mulheres, que apesar do seu passado, merecem uma segunda chance , e isto a APAC tem feito com louvor. Parabéns

  4. Sou assistente social e tenho o prazer de trabalhar na APAC de Nova Lima – região metropolitana de Belo Horizonte, através do Convênio de Cooperação Técnica com a Prefeitura Municipal de Nova Lima – Secretaria de Ação Social. Ao ler a reportagem, destaco aqui a fundamental importância de implantação de APAC´s como a principal alternativa para o cumprimento da pena ao condenado. Acredito que todos merecem uma ou quem sabe mais de uma chance na vida para repararem um delito cometido e a metodologia da APAC proporciona motivações que satisfatórias que contribuem muito no processo de recuperação e reintegração social do recuperando. APAC É A SOLUÇÃO PARA A RESSOCIALIZAÇÃO DOS PRESOS, ACREDITEM!!!
    Cleide Aparecda Leite

    • Cleide,estou cursando o último ano do Serviço Social, trabalho na APAC de Santa Bárbara-MG mais ou menos uns seis anos.Tenho que fazer o meu TCC,gostaria de falar sobre, “Atuação do Assistente Social na APAC’s.Você pode me ajudar respondendo as minhas perguntas?
      Espero que a resposta seja Sim.Obrigada, abraço, Mariza.
      obs. o telefone da Apac de Santa Bárbara é; (31)38324822- celular-85710541.
      meu nº- 86764429 ou 91530723.

  5. FAÇA SUA PARTE!

    REDUÇÃO DA CRIMINALIDADE – UMA APAC EM CADA CIDADE DO BRASIL

    Senhores Políticos, Jornalistas, Igrejas, Associações, ONGs e Cidadãos

    Uma idéia simples, prática e sem hipocrisia para acabar com a violência no Rio de Janeiro e em todas as cidades do Brasil à curto prazo, sendo que a copa de 2014 e as olimpíadas de 2016 estão aí

    Temos que ter 2 tratamentos para a doença crônica da violência no Brasil, lógico que precisamos de tratamento preventivo com políticas sociais, mas no momento precisamos também urgente de tratamento curativo, um exemplo: Como se alguém tivesse com uma dor fortíssima de dente e apenas pedíssemos para escovar bem e passar fio dental (preventivo), lógico que isso previne mas não resolve o problema existente, precisamos entrar com um tratamento mais invasivo, mais radical (restauração, canal, etc).
    Maioria dos crimes são executados por reincidentes que foram soltos antes do tempo, por superlotação. Impunidade gera reincidência, nova violência. Índice de recuperação do sistema comum está em 20% e no sistema APAC(Associação de Proteção e Assistência aos Condenados) está em 92%, veja mais em http://www.apacitauna.com.br .

    Concluindo:
    Precisamos com URGÊNCIA AUMENTAR O NÚMERO DE VAGAS PARA OS INFRATORES.

    Ação:
    Simplesmente criar uma lei estadual e/ou federal obrigando todas cidades pequenas, médias ou grandes ter pelo menos uma CASA DE RECUPERAÇÃO (Detenção) com TRABALHO (Laborterapia), sendo AUTO-SUSTENTÁVEL (Detentos trabalham para pagar suas despesas), cada cidade fica responsável por recuperar seus infratores, como na Secretaria de Educação, podendo ser pública ou privada. Ex. APAC Trabalhos: Fabricação de blocos (tijolos) de cimento e telhas para casas populares e obras públicas, bloquetes para calçamento de ruas, reformas de carros do estado, roçar estradas, serventes em obras públicas, uniformes e capas de coletes protetores para as próprias policias, móveis, etc, etc. Cada dia trabalhado redução de 1 dia na pena.
    Se bem administrado poderá até haver excedente das vendas dos tijolos que será doado aos programas do governo de segurança (novos presídios, novas APACs) e antidrogas (clínicas de recuperação, bom exemplo é a Fazenda da Esperança http://www.fazenda.org.br). A igreja e o estado juntos deviam trabalhar para uma APAC e uma Fazenda da Esperança em cada cidade do Brasil.

    Várias cidades pequenas não têm nem uma cadeia, superlotando as cadeias das cidades das comarcas. Se toda pequena cidade tiver uma Casa de Recuperação para seus infratores com certeza se torna mais fácil a recuperação não indo para os grandes presídios fazer a faculdade do crime devido a convivência com os grandes marginais (professores do crime). Outra vantagem é que as famílias ficam mais próximas.

    Custo per capita:
    • Sistema Comum – 4 salários mínimos
    • APAC – Um salário e meio. Acreditamos que podemos chegar a ser auto-sustentável e até superávit.

    A solução existe, precisamos apenas agir, com urgência.

    “Não é a violência de poucos que me assusta, mas a omissão de muitos” – Martin Luther King

    Se concordar defenda esta idéia, faça sua parte.
    Fale com os governantes: cac@almg.gov.br – 0800 031 0888 – ouvidoria@almg.gov.br
    0800 619 619 – cidadao@camara.gov.bralosenado@senado.gov.br; falecomogoverno@brasil.gov.br

FAÇA UM COMENTÁRIO

Por favor digite um comentário
Por favor digite seu nome aqui