Biochar: NetZero inaugura sua terceira fábrica e inicia a construção de nova unidade no Brasil

40
  • A NetZero, green tech francesa pioneira na valorização de resíduos agrícolas em biochar, anuncia a inauguração de sua terceira fábrica – a segunda no Brasil – apenas três anos após a fundação da empresa.
  • Localizada em Brejetuba, no Espírito Santo, a 40 quilômetros da anterior, a nova fábrica produzirá 4.000 toneladas de biochar por ano a partir de resíduos agrícolas fornecidos por cerca de 250 cafeicultores, ajudando a melhorar seus rendimentos e sequestrando mais de 6.000 toneladas de CO2 por ano.    
  • A NetZero demonstra assim sua capacidade de replicar rapidamente seu modelo e está embarcando em uma fase de rápida aceleração de seu crescimento no Brasil, com o início da construção de uma nova unidade no próximo mês, seguidas por mais 10 até 2025.
  • O anúncio ocorre apenas algumas semanas depois que a NetZero foi selecionada como finalista da competição XPRIZE Carbon Removal da Musk Foundation. No início do ano, a NetZero também anunciou que havia levantado 18 milhões de euros junto ao fundo de investimentos francês STOA.

Brejetuba (ES), junho de 2024 – A NetZero, green tech francesa pioneira na valorização de resíduos agrícolas em biochar, vai inaugurar sua terceira fábrica de biochar. Após as unidades de Camarões (África) e Lajinha (MG), Brejetuba (ES) inicia sua operação após a cerimônia de inauguração nesta sexta-feira (28), às 16h. O evento contará com a presença de autoridades, entre elas do governador e do vice-governador do Espírito, Renato Casagrande e Ricardo Ferraço, respectivamente, e da comunidade local e regional.

A nova fábrica está estrategicamente localizada a menos de 40 quilômetros da unidade anterior, de Lajinha (MG), que entrou em operação em meados de 2023. Ela se beneficia da mesma proximidade com a Coocafé, uma cooperativa regional de mais de 10.000 produtores de café, 250 dos quais fornecerão à nova usina a biomassa necessária para sua operação. O local produzirá 4.000 toneladas de biochar por ano a partir de resíduos da casca do café, removendo mais de 6.000 toneladas de CO2 equivalente da atmosfera e fornecendo uma solução para melhorar de forma sustentável a fertilidade do solo.

De acordo com Pedro de Figueiredo, cofundador da NetZero e CEO da empresa no Brasil, a inauguração da segunda fábrica no Brasil diz muito sobre o modelo NetZero. “Em primeiro lugar, ela marca um ponto de virada em nosso desenvolvimento, pois é a última que estamos construindo sequencialmente; a partir de agora, vamos construir várias fábricas por ano. Em segundo lugar, é a personificação de nossa estratégia de criação de centros regionais: ao termos várias fábricas próximas umas das outras, criamos sinergias operacionais significativas. Por fim, é uma prova da altíssima aceitação social de nosso modelo, que traz vários benefícios tangíveis para as populações locais, principalmente em termos de agricultura e emprego”, pontua Figueiredo.

A singularidade do modelo inovador da NetZero está em sua capacidade de produzir biochar em escala industrial de forma hiperlocal e circular em zonas tropicais, onde a biomassa não utilizada é abundante e os solos são os mais adequados para o uso do biochar. A NetZero responde a três grandes questões: mudanças climáticas, removendo o carbono da atmosfera e armazenando-o por milhares de anos no solo; agricultura, melhorando a qualidade do solo e a produtividade agrícola e reduzindo a necessidade de fertilizantes; e questões sociais, melhorando o padrão de vida dos agricultores e criando empregos industriais nas áreas rurais dos países em desenvolvimento.

Para marcar a inauguração dessa nova fábrica, a NetZero também fará o anúncio do início da construção de uma nova unidade em Minas Gerais, que começará dentro de algumas semanas. Com isso, a green tech está demonstrando o alto grau de replicabilidade de seu modelo industrial e sua capacidade de reunir todos os participantes da cadeia de produção e valor do biochar, desde os fornecedores de matérias-primas agrícolas até os principais atores industriais e financeiros. 

Esses anúncios são feitos apenas algumas semanas depois que a NetZero foi selecionada como a única empresa francesa entre os 20 finalistas da competição XPRIZE Carbon Removal, financiada em US$ 100 milhões pela Fundação Musk e que tem como objetivo acelerar as soluções de eliminação de CO2. O anúncio foi feito após o levantamento de um total de 18 milhões de euros do STOA, um fundo de investimentos de impacto francês.

SOBRE A NETZERO A NetZero foi fundada em 2021 por Axel Reinaud, Dr. Jean Jouzel, Aimé Njiakin, Olivier Reinaud e Pedro de Figueiredo. A sua missão é trazer escala para o biochar, uma das poucas soluções climáticas que podem remover duradouramente o carbono da atmosfera, bem como uma das poucas soluções agrícolas que permitem conciliar produtividade e sustentabilidade. Ao aproveitar o biochar nos trópicos ao longo de um modelo único, a NetZero enfrenta simultaneamente três desafios prementes nos países em desenvolvimento: alterações climáticas, agricultura sustentável e desenvolvimento rural global. A empresa tem dois locais operacionais: uma fábrica-piloto em escala real, em Camarões, e uma fábrica comercial no Brasil. Também está construindo outras fábricas em Brejetuba (ES) e Machado (MG). A NetZero foi premiada duas vezes na competição XPRIZE Carbon Removal da Fundação Musk. Também recebeu o selo ‘Efficient Solution’ da Fundação Solar Impulse e é vencedora do prêmio ‘Green Tech’ dos Tech for Good Awards. Os projetos que desenvolve são certificados pelo padrão internacional de remoção de carbono Puro Standard. O objetivo a médio prazo da NetZero é ter removido mais de 5 milhões de toneladas de CO2 até 2030, melhorando simultaneamente o nível de vida de dezenas de milhares de agricultores. Leia mais em: www.netzero.green

FAÇA UM COMENTÁRIO

Por favor digite um comentário
Por favor digite seu nome aqui