Dia Nacional do Combate à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes em Manhuaçu

122

Nesta segunda-feira, 18 de maio, é celebrado o Dia Nacional de Combate ao Abuso e Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes. Em Manhuaçu, um trabalho integrado entre Prefeitura, Conselhos Municipais, Polícias Militar e Civil e demais órgãos de proteção realiza diversas ações preventivas e de acompanhamento às vítimas, além da efetivação de punição aos agressores.

A cada ano, a passagem da data motiva estas instituições à mobilizar a sociedade quanto à necessidade de denunciar situações suspeitas, no intuito de proteger as crianças e jovens.

Em recente reunião ocorrida no Paço Municipal este trabalho foi avaliado, juntamente com a discussão de novos projetos a serem desenvolvidos pelas entidades que compõem a rede de proteção. Entre os presentes, as Coordenadoras Glenda Miranda (CREAS) e Luciana Machado Barbosa Cirelle (CRAS); Presidente do CMDDCA, Rachel Furtado; Dr. Carlos Roberto de Souza (Delegado Regional PCMG); Tenente Moreira (11º BPM); Conselheiras Tutelares Loren Barreto e Maria Aparecida; Secretária M. de Educação, Maísa Damasceno, e as Conselheiras Maria de Fátima Mayrink Brito (Educação) e Ana Laura (Fumaph), além da Chefe de Gabinete, Sandra Cerqueira.

Com a proposta de fortalecer a mensagem de atenção com as crianças e adolescentes, as autoridades presentes gravaram vídeo que foi disponibilizado já neste último final de semana nas redes sociais e encaminhado à imprensa.

O Promotor de Justiça responsável pela Vara da Criança e do Adolescente, Dr. Paulo Elias Severgnini Mendes Júnior, também participou do vídeo.

 

A DATA

Com o objetivo de mobilizar a sociedade e convocá-la para o engajamento contra a violação dos direitos sexuais de crianças e adolescentes, foi estabelecido o Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes. Esta data foi escolhida porque, em 18 de maio de 1973, uma menina de oito anos, de Vitória (ES), foi sequestrada, violentada e cruelmente assassinada. Seu corpo apareceu seis dias depois, carbonizado, e os seus agressores nunca foram punidos. Com a repercussão do crime, conhecido como o ‘Caso Araceli’, e a forte mobilização do movimento em defesa dos direitos das crianças e adolescentes, a celebração da data foi instituída com a aprovação da Lei Federal nº. 9.970, no ano 2000.

(SECCOM)

FAÇA UM COMENTÁRIO

Por favor digite um comentário
Por favor digite seu nome aqui