Divulgada a chapa oficial para eleição da comissão do impeachment

168

fora_todosAs negociações, andaram bem turvas, não conseguiram conciliar uma comissão, com isso a primeira versão da lista tem 49 nomes, mas 2 devem disputar pela oposição.
Oposição e dissidentes da base registraram chapa alternativa com 39 nomes.

A chapa oficial de candidatos para a comissão especial que analisará o processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff tem 49 candidatos, de 20 diferentes partidos, informou nesta terça-feira (8) a Secretaria-Geral da Câmara (veja os nomes ao final da reportagem). Esses deputados vão disputar com os indicados da “chapa alternativa”, lançada nesta terça pela oposição e por parlamentares dissidentes da base aliada.

Os dois parlamentares indicados pelo PSC para o colegiado – deputados Marco Feliciano (SP) e Eduardo Bolsonaro (SP) – integram a chapa oficial e também a lista alternativa da oposição. Conforme a Secretaria-Geral, no plenário principal da Casa, será anunciada a permanência dos dois na chapa alternativa, já que eles assinaram individualmente essa lista.

No protocolo da chapa oficial, a indicação dos dois parlamentares foi feita pelo líder do PSC, André Moura (SE). No momento em que for formalizada a migração deles para a lista oposicionista, a chapa oficial ficará com 47 indicados.

Para poder participar da eleição da comissão especial, que terá 65 vagas, uma chapa precisa contar com 33 indicações. A escolha dos integrantes do colegiado será feita por eleição secreta no plenário da Câmara na noite desta terça. Os deputados terão que escolher entre a chapa oficial e a alternativa.

Os partidos que não tiverem indicações na chapa vencedora serão convocados a apresentar as indicações para completar as vagas. Em seguida, esses nomes serão votados. A votação para eleger os integrantes da comissão será secreta.

Uma sessão extraordinária da Câmara havia sido marcada para a noite desta segunda (7) para eleger a comissão que irá analisar o processo, mas foi adiada em razão do impasse dentro das bancadas para definir os representantes e, principalmente, por conta da insatisfação de uma ala do PMDB com os nomes definidos pelo líder da sigla, deputado Leonardo Picciani (RJ).

O objetivo da chapa alternativa é compor um grupo com deputados do PMDB que são críticos ao governo Dilma, já que o líder da bancada deve apresentar apenas nomes mais em sintonia com o Palácio do Planalto.

“Queriam formar uma comissão chapa branca, sem interesse em investigar. Por isso, estamos lançando essa chapa”, disse o deputado Lúcio Vieira Lima (PMDB-BA), que integra a ala do PMDB que defende o rompimento com a presidente da República.

O presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), autorizou e decidiu postergar para esta terça o prazo de indicação de nomes e eleição para a comissão especial. A decisão foi criticada pelos líderes do PMDB, do governo e do PT.

“É inaceitável. Essa comissão já começa inviabilizada. Está se permitindo uma briga interna das bancadas com indicação de membros para outra chapa”, criticou Sibá. “É uma confusão. É a segunda mexida. O prazo para indicação era hoje às 14h. O presidente passou para 18h. Agora remarca para amanhã e permite que dentro de uma mesma bancada haja indicações para outra chapa. É inaceitável”, disse na segunda o líder do PT, Sibá Machado (AC).

Lista dos integrantes da chapa oficial à comissão do impeachment:

PT (8 vagas; 8 indicados)

Henrique Fontana (RS)

Arlindo Chinaglia (SP)

Sibá  Machado (AC)

José Guimarães (CE)

Paulo Teixeira (SP)

Wadih Damous (RJ)

José Mentor (SP)

Vicente Cândido SP)

PMDB (8 vagas; 8 indicados)

Celso Maldaner (SC)

Leonardo Picciani (RJ)

Daniel Vilela (GO)

Hildo Rocha (MA)

João Arruda (PR)

José Priante (PA)

Rodrigo Pacheco (MG)

Washington Reis (RJ)

PP (4 vagas)

Eduardo da Fonte (PB)

Fernando Monteiro (PE)

Iracema Portella (PI)

Roberto Britto (BA)

PR (4 vagas; 4 indicados)

Maurício Quintella Lessa (AL)

Aelton Freitas (MG)

Marcio Alvino (SP)

Lúcio Vale (PA)

PSD (4 vagas; 3 indicados)

Irajá Abreu (TO)

Diego Andrade (MG)

Júlio César (PI)

Paulo Magalhães (BA)

PTB (3 vagas)

Cristiane Brasil (RJ)

Zeca Cavalcanti (PE)

Pedro Fernandes (MA)

PDT (2 vagas)

Afonso Motta (RS)

Dagoberto Nogueira Filho (MS)

PRB (2 vagas)

Jhonatan de Jesus (RR)

Vinicius Carvalho (SP)

PROS (2 vagas)

Gilvado Carimbão (AL)

Hugo Leal (RJ)

PC do B (1 vaga; 1 indicado)

Jandira Feghali (RJ)

PSDB (6 vagas)

Não indicou

PSB (4 vagas)

Não indicou

PSC (2 vagas; nenhum indicado)

Marco Feliciano (SP)- Indicação deverá ser anulada

Eduardo Bolsonaro (SP)- Indicação deverá ser anulada

SDD (2 vagas)

Não indicou

DEM (2 vagas)

Não indicou

PPS (1 vaga)

Não indicou

PSOL (1 vaga; 1 indicado)

Ivan Valente (RJ)

PV (1 vaga)

Sarney Filho (MA)

PMN (1 vaga)

Antônio Jacome (RN)

PTN (1 vaga)

Bacelar (BA)

Rede (1 vaga)

Alessandro Molon (RJ)

PHS (1 vaga)

Não indicou

PEN (1 vaga)

Júnior Marreca (MA)

PTC (1 vaga)

Uldurico Junior (BA)

PMB (1 vaga)

Valternir Pereira (MT)

PT do B (1 vaga)

Silvio Costa (PE)

FAÇA UM COMENTÁRIO

Por favor digite um comentário
Por favor digite seu nome aqui