A esperança do povo é a Intervenção

Com a experiência de quem atuou como Oficial de Operações do 1º contingente brasileiro no Haiti, em 2004, e também como comandante da missão de paz entre 2009 e 2010, o general da reserva Floriano Peixoto Vieira Neto admite que a intervenção no Rio de Janeiro será uma tarefa difícil e que é necessário ter um poder de enfrentamento “igual ou maior” que o do crime organizado no Estado. Atualmente em Londres, onde atua como pesquisador convidado do Brazil Institute na Kings College, o general considera que só o Exército tem condições de enfrentar a violência no Rio.

O interessante observar que o Exército só é chamado nas condições extremas, penso que os governos do Rio foram os culpados de toda a mazela encontrada hoje, mas em política sempre procuram dar um jeitinho brasileiro, não segredo de ninguém que o crime no Rio penetrou nos comandos das polícias e até do governo e a intervenção deveria ser total, não entendi porque só na segurança.

No Rio de Janeiro, os governos roubaram tanto que o estado está quebrado e ingovernável, não tem recursos para pagar os funcionários e para manter o mínimo do atendimento na saúde tanto sacrifícios jogado nas costas do povo do Rio de Janeiro levando um grande sofrimento principalmente os mais necessitados, agora depois de esgotar todas as possibilidades chamam o Exército.

Na realidade o Brasil necessita de um choque de gestão e acabar com a corrupção nos poderes Executivo, Legislativo e no Judiciário, e diminuir bastante a corrupção em outros setores, já que é impossível acabar por completo, mas nos governos é inaceitável.

Falta uma lei severa para quem ocupe cargos no legislativo, judiciário, executivo, polícia federam e demais polícias. Quem tem o dever de gerir e manter a ordem não podem se corromper, mas infelizmente nossas leis são muito brandas, e ainda mais temos uma suprema corte muito duvidosa, nenhum cidadão em sã consciência concorda com o Ministro Gilmar Mendes soltando tantos bandidos como acontecem.

É lamentável, mas não enxergamos com clareza que através da eleição possamos retirar da vida pública muitos parlamentares cheios de processos que se arrastam por anos sem serem importunados pela justiça, infelizmente a maioria dos corruptos serão reeleitos amparados pelo dim, dim e caixa dois que continuarão a fazendo a diferença.

Reforma verdadeira, só com uma intervenção cívica militar para separar o joio do trigo, os de fichas limpas para as eleições e cadeia para todos os corruptos, aí sim poderíamos ter eleições limpas, caso contrário continuaremos na mesma, com grana e caixa dois.

Quer ter a certeza disso, veja nas eleições quem os prefeitos e vereadores apoiarão, será para quem pagar mais. Por tudo que fizeram alguns partidos políticos eram para não terem votos, mas não é assim que a banda toca. Se o exemplo vem de cima, veja quantos dirigentes de grandes partidos estão condenados e presos e outros respondendo a inquéritos, mas na luta política o dinheiro cega as pessoas.

Fale com a redação [email protected] – (33)3331-8409

1 COMENTÁRIO

  1. É inaceitável a situação política desta Nação. Sou ex-militar de 1964 (FAB 643003037-MARTINS). Sou contra radicalismo de qualquer forma. Todavia gostaria de que as LEIS fossem mais rígidas. O POVO tem que mudar seu campo de visão e votar em candidatos, pelo menos, com uma vida pregressa mais LIMPA.

FAÇA UM COMENTÁRIO

Por favor digite um comentário
Por favor digite seu nome aqui