O Brasil na reconstrução da locomotiva da honestidade

Em ano eleitoral, o povo deve empenhar ao máximo para ajudar o país sair da atual situação que é péssima, a justiça se não tivesse seus problemas poderia a muito ter passado o Brasil a limpo, mas infelizmente com esta atual conjuntura brasileira, não podemos esperar muita coisa do nosso SUPREMO, que tem a responsabilidade maior para julgar os parlamentares, mas o Supremo solta mais criminosos do que mandam prender.

Os brasileiros tem pressa, pois a violência e a corrupção passaram dos limites e os eleitores tem a oportunidade através do voto de reconstruir uma nova nação com novos personagens da política, ‘se não fraudar as urnas’.

É preciso renovação dos que detêm cargos públicos passam primordialmente pelo resgate da honestidade do homem público, uma característica essencial a quem se lançar como candidato representativo da sociedade.

O povo está cansado e não confiam na atual classe política, e esperam dos novos políticos, que coloquem a honestidade acima de tudo, isso é fundamental para que bons exemplos sejam multiplicados, para o bem de todos.

Cada brasileiro tem que chamar para si uma pequena parcela de responsabilidade em fazer prosperar as boas ações, até que possamos alcançar toda a sociedade civil, entidades de classe, denominações religiosas, que por meio do voto consciente, a se engajarem nessa mudança que busca reformar nossa sociedade em todo o Brasil.

É um desejo em todo o país, que este movimento se agiganta para que possamos sonhar com um futuro melhor para nossos filhos e netos. Um movimento que, em termos políticos, é francamente de oposição a todos os políticos envolvidos em corrupção. Precisamos renovar nossa classe política por políticos novos que se preocupem com suas obrigações básicas com o cidadão de bem. Não podemos aceitar governantes que não pagam os salários em dia dos servidores públicos, não faz os repasses aos municípios daquilo que é por direito constitucional.

Um péssimo exemplo que seria o bastante para colocar na cadeia todos os governantes que diretamente administraram o dinheiro que foi desviado na superfaturamento da construção dos estádios de futebol da Copa do Mundo realizada no Brasil, daria para resolver centenas de problemas na saúde, educação e emprego, mas fala-se pouco do grande rombo causado ao país na copa. O Brasil perdeu muito dinheiro na Copa. Precisamos voltar a sonhar e unir o povo em busca de dias melhores.

Fale com a redação [email protected] – (33)3331-8409

FAÇA UM COMENTÁRIO

Por favor digite um comentário
Por favor digite seu nome aqui