Pensando apenas no bem-estar do Brasil

7

Estamos assistindo uma queda de braço da presidente Dilma e o congresso, para o país isso é ruim, na realidade tudo que aconteceu, os processos em andamento na Lava Jato, torna-se a situação bem complicada e neste momento a presidenta Dilma pensa mais em salvar seu governo, do que melhorar a vida do povo.

Tomara que esta crise ensine os líderes políticos e tudo seja acertado sem mais prejuízo para a nação. Em nossa constituição deveria ter uma lei que regulamentasse os desmandos dos governos, para dar respaldo de mudança quando este chegasse a níveis insuportáveis, que é o caso da presidente Dilma, com 7% de aprovação é muito difícil governar.

A presidente Dilma está certa quando diz que há necessidade de união para retomar o crescimento, mas fica a pergunta: sem grana, e com a popularidade baixa, como agregar parlamentares, já que o mensalão foi extinto, é quase impossível diante dos fatos, ela em sua campanha escondeu do povo a realidade do país e gastou além da conta, ficamos refém de um governo que deu muito prejuízo para a nação e cada dia no poder o prejuízo será maior. Infelizmente muitos líderes estão envolvidos ou comprometidos com outras ideologias.

Será que o caos precisará chegar a níveis incontroláveis, para que as Forças Armadas tomem posição, pensamos em uma intervenção, não para tomar o poder e governar, mas para dar diretrizes que o povo deseja, seria essencial muitas reformas que os detentores dos poderes não deixam que elas aconteçam, as leis são somente para beneficiar os “donos do poder”, o Brasil precisa espelhar nos demais países onde há mais justiça e equilíbrio, precisa acertar as leis de acordo com a realidade brasileira. Para muitos a convocação de uma Constituinte seria o ideal, mas que os constituintes, apenas elaborassem as leis, pois os atuais parlamentares não querem cortar os muitos privilégios adquiridos ao longo do tempo.

Precisamos adequar o Brasil para todos, não é moral e justo os parlamentares, juízes, prefeitos, governadores, altos funcionários do executivo, legislativo e judiciário, receberem salários maiores do que os países de primeiro mundo e os demais brasileiros receberem menos que muitos trabalhadores de países de terceiro mundo. Reforma política ampla, que corte 30% do número de cadeiras no Senado, 50% na Câmara Federal, nas Assembleias estaduais e nas Câmaras Municipais.

Salários dos vereadores, vice-prefeitos, prefeitos deputados estaduais, deputados federais e Senadores, fossem corrigidos por valores não abusivos como são praticados hoje. É inaceitável um município pobre pagar um salário mínimo para uma professora que trabalha a semana inteira e (8) oito salários mínimos para um vereador que faz apenas uma reunião ou duas ao mês e que não precisou nem estudar para exercer seu mandato.

Os Ministros do Supremo não seriam por indicação presidencial, teria um regimento próprio a ser elaborado pela constituinte.

Os três poderes teriam seus salários equiparados, já que é injusto funções idênticas com valores diferentes.

Padronização dos salários dos funcionários públicos em todo o país. Uma ampla reforma administrava corrigindo as distorções. Reforma tributária completa adequando o país para uma cobrança de impostos justa. Já que a sonegação de impostos no país deve ser de quase 50%, isto é injustiça e tem que acabar.

O país deveria rever seu sistema de fiscalização e dar nova metodologia fazendo justiça a todos os brasileiros. Instaurar um novo modelo de arrecadação e de fiscalização, se todos pagarem, os impostos poderiam cair pela metade, no Brasil os pobres são os que mais pagam impostos e não tem nem como sonegar. As empresas montam até agências arrecadadoras para sonegarem, já que usando o sistema bancário brasileiro fica difícil e em seu próprio sistema é fácil manipular.

Por que o brasileiro não se indigna e não vai à praça protestar contra a corrupção?

Juan Arias, correspondente do jornal espanhol El País no Brasil, escreveu no dia 7 de julho um artigo indagando onde estão os indignados do Brasil. Por que não ocupam as praças para protestar contra a corrupção e os desmandos? Não saberiam os brasileiros reagir à hipocrisia e à falta de ética dos políticos? Será mesmo este um país cujo povo tem uma índole de tal sorte pacífica que se contentaria com tão pouco?

Fale com a redação [email protected] – (33)3331-8409

FAÇA UM COMENTÁRIO

Por favor digite um comentário
Por favor digite seu nome aqui