Kelma Costa toma posse na Abemil – Associação Brasileira de Educação Cívico-Militar

574

Pesquisa encomendada pelo MEC aponta que mais de 85% matriculariam seus filhos

Por Devair G. Oliveira
O Jornal das Montanhas entrevistou Kelma Costa a nova coordenadora da Abemil – Associação Brasileira de Educação Cívico-Militar responsável pela a implantação das Escolas Cívico-Militares em Minas Gerais. “Hoje 04/12/2020, tive a honra de tomar posse na ABEMIL MINAS GERAIS. ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE EDUCAÇÃO CIVICO MILITAR no Estado de Minas Gerais”. Kelma Costa e Sargento Laureni Costa.
                        Kelma Costa é Casada com Sargento do Exército Brasileiro e Começou sua carreira na vida pública em 1997 através de um Programa Radiofônico dominical na cidade de Além Paraíba, MG onde atuou como locutora. Mudou-se para a cidade de Juiz de Fora no ano de 2002 e atuou na área de assistência social e em 2005 engajou na árdua tarefa de lutar pela reposição salarial, pois na época o Governo Fernando Henrique deixou a tropa oito anos sem reajuste e no governo Lula já estava indo para o mesmo caminho, então nessa época Kelma Costa juntamente com outras mulheres de Juiz de Fora fundaram a UNIFAX. (União Nacional de Familiares de Militares das Forças Armadas Policia Militar e Bombeiros).
             Participou, idealizou e organizou diversas audiências públicas no Congresso nacional em prol da Família, das Forças Armadas, Polícia Militar e Bombeiros.
            Formada pela ADESG (Associação dos Diplomados da Escola Superior de Guerra), no curso de Política Estratégica em 2013 foi reconhecida pela ONU como Alta Comissária dos Direitos Humanos em solenidade realizada em Setembro de 2016 em Brasília; Recebeu também, na mesma data o título de Amiga das Forças Armadas, Radialista e Cristã.
            Kelma Costa tomou posse na sexta-feira 04/12/2020 na Associação Brasileira de Educação Cívico-Militar, uma Organização governamental, cujo maior objetivo é proporcionar a Orientação Técnica para as Escolas Públicas e Privadas na Implantação de Escolas Cívico Militares, conforme o Decreto Nº 9.665, de 02 de janeiro de 2019.
            Segundo Kelma, aceitou o cargo porque acredita nos ideais de patriotismo, civismo, respeito aos símbolos nacionais, noções de hierarquia e disciplina, valorização da meritocracia, da família e outros.
             “O Programa Nacional das Escolas Cívico-Militares, desde sua regulamentação pelo atual presidente Jair Bolsonaro, várias escolas aderiram ao programa este ano, inclusive na pandemia o serviço não parou, a adesão dos municípios é voluntária, em uma pesquisa encomendada pelo MEC aponta que mais de 85% dos entrevistados (cerca de 2 mil pessoas nas capitais dos estados) matriculariam seus filhos em Escolas Cívico-Militares ou manteriam seu dependente na unidade escolar caso fosse implantado o modelo de Ecim. (Fonte: Instituto Checon Pesquisa, 2019). Outro fator que desperta os interesses dos pais de alunos também focado na pesquisa, são os currículos e planos pedagógicos que fortalece nos alunos os ideais de desenvolvimento, cidadania, inclusão e responsabilidade social. O modelo de escola Cívico-Militar tem demonstrado sucesso em todos os estados que o aplicaram”. Explica Kelma.

FAÇA UM COMENTÁRIO

Por favor digite um comentário
Por favor digite seu nome aqui