Programadores que fazem a diferença na internet brasileira

225
João Batista Neto, William Bruno e Fabyo Guimarães de Oliveira - "Quando chegamos no Hackaton foi para nos divertir, viemos sem pretensão e acabamos ganhando o prêmio, estamos realmente felizes. A ideia de criar o Lomabooks surgiu de uma das garrafinhas de água em que estava escrito ‘faça simples’. Então pensamos: o que podemos fazer simples e ter uma coisa interessante para apresentar?”, comemora Neto.

 

Primeira maratona hacker do iMasters é destaque durante o InterCon 2011

Muito conhecida entre os desenvolvedores, a maratona hacker foi a grande novidade do InterCon 2011, no último sábado (24), em São Paulo. O Hackaton premiou quatro equipes de programadores e desenvolvedores.

Contando com a presença de mais de 50 profissionais, e trazendo pessoas de diversos estados brasileiros, como Rio de Janeiro, Pernambuco, Espírito Santo, Maranhão, além de São Paulo, o evento começou com quatro grandes desafios: Potencializar o uso do Google Maps para mapeamento de ocorrências (notícias, eventos, acontecimento) em tempo real; usar APIs públicas de redes sociais para criação de ferramentas de métricas com base no perfil do visitante/consumidor; criar aplicativo para monetização de sites (advertisement) utilizando a API Pública do Lomadee; e usar APIs públicas ligadas ao e-commerce para a criação de aplicativos e experiências móveis de comércio eletrônico.

Após mais de seis horas, poucos foram os que sobreviveram à maratona de programação. A ação contou com a apresentação de quatorze trabalhos para a banca composta por grandes profissionais como: Paulino Michelazzo, consultor; Rodrigo Junco, da Lomadee; Lício Fonseca, do Google Brasil; Rodrigo Almeida, da Oracle; e Eduardo Zagari e Luis Cipriani, ambos da Abril Mídia.

Para a banca julgadora, foram apresentados dois trabalhos voltados para métricas com base no perfil do usuário, sete aplicativos focados no mapeamento de ocorrências a partir de geolocalização, e cinco aplicativos para monetização a partir do Lomadee. Já a categoria de aplicativo mobile ligado ao e-commerce não contou com nenhum projeto. Dessa forma, foram premiados dois vencedores para o desafio de geolocalização.

E, ao final das apresentações, foram conhecidos os quatro vencedores. No desafio de métricas, o vencedor foi Mauro Pichiliani, que desenvolveu uma ferramenta de análise dinâmica de métricas para facilitar a busca de informações de programas de afiliados. Em geolocalização, o prêmio foi para a equipe formada por Igor Escobar, Jair Henrique e Thiago Caiubi, que desenvolveu um aplicativo que localiza shows dentro da cidade, e o segundo lugar ficou com Luciano Camilo, analista de risco que tem a programação como hobby, que criou um aplicativo que localiza vagas de emprego próximo ao usuário.

O prêmio mais aguardado do dia era para a aplicação baseada na Lomadee, e a equipe formada por João Batista Neto, William Bruno e Fabyo Guimarães de Oliveira foi a vencedora, que criou o “Lomabooks”, um buscador de livros integrado ao sistema da Lomadee e ao Google Books. “Quando chegamos no Hackaton foi para nos divertir, viemos sem pretensão e acabamos ganhando o prêmio, estamos realmente felizes. A ideia de criar o Lomabooks surgiu de uma das garrafinhas de água em que estava escrito ‘faça simples’. Então pensamos: o que podemos fazer simples e ter uma coisa interessante para apresentar?”, comemora Neto. 

Os vencedores levaram para casa uma assinatura da Revista Info, da Abril, um Kit da IBM, crédito de R$ 750,00 nos cursos do iMasters PRO, e um prêmio em dinheiro de R$ 750,00. Já a categoria da Lomadee teve um valor diferenciado no valor do prêmio em dinheiro, recebendo R$ 1,5 mil.

Para Alexandre Borba, líder do time de desenvolvedores do iMasters e curador do Hackaton, o evento foi realmente o que todos esperavam. “Foi muito bacana, muitos aplicativos bons foram criados, e o júri até demorou a escolher os vencedores de cada categoria. Acredito que todos os projetos desenvolvidos aqui precisam de alguns ajustes, mas todos estão prontos para ir para o mercado”, afirma.

Já Tiago Baeta, diretor executivo do Grupo iMasters, comemorou o sucesso do primeiro Hackaton. “Isso é o que nós gostamos. Essa maratona de desenvolvimento e programação. Queremos fazer ao menos um Hackaton por ano”, comenta.

 Com informações de Marco Miranda, da NB Press

FAÇA UM COMENTÁRIO

Por favor digite um comentário
Por favor digite seu nome aqui