Infestação do Aedes aegypti diminui em Manhuaçu

59
Prefeitura aplica inseticida em sistema de UBV leve com utilização de bombas costais motorizadas, no intuito de controlar casos suspeitos

Índice de infestação do Aedes aegypti diminui, mas ainda requer muito cuidado

O estrato 2, que corresponde a região central da cidade, abrangendo ainda os bairros Alfa Sul, Nossa Senhora Aparecida e Santa Terezinha, por exemplo, é o que mais preocupa, com índice 4,9%.

De acordo com Levantamentos Rápidos do Índice de Infestação por Aedes aegypti (LIRAa), o município se encontra em médio risco, segundo dados preconizados pela Organização Mundial de Saúde (OMS). Apesar dos números apresentarem queda, a população deve ficar em alerta, principalmente devido aos casos positivos constatados.

Esta semana, a coordenadora da Vigilância Ambiental, Emilce Estanislau Muniz, apresentou balanço do LIRAa. O estrato 2, que corresponde a região central da cidade, abrangendo ainda os bairros Alfa Sul, Nossa Senhora Aparecida e Santa Terezinha, por exemplo, é o que mais preocupa, com índice 4,9%.

O estrato 2, que corresponde a região central da cidade, abrangendo ainda os bairros Alfa Sul, Nossa Senhora Aparecida e Santa Terezinha, por exemplo, é o que mais preocupa, com índice 4,9%.

“Depósitos fixos, como lajes, sanitários e caixas de descarga são os principais criadouros do Aedes nesses bairros. Estamos intensificando o nosso trabalho, mas a população precisa fazer a sua parte. Só o poder público não consegue vencer essa guerra. Enquanto as pessoas não se conscientizarem, os casos de Dengue irão aumentar”, disse Emilce.

Em seguida, o estrato 3, que corresponde os bairros Matinha, Bom Pastor, Pinheiro, Operários e Colina, por exemplo, aparece com índice 3,7%. A região com melhores números, mas ainda considerados altos, é o estrato 1, onde estão os bairros Vista Alegre, Lajinha, Santa Luzia e Bela Vista, com 2,2%.

No total, Manhuaçu apresenta índice de infestação a 3,6%. Número bem inferior aos 9% de janeiro deste ano. Ainda assim, os dados atuais estão muito acima do que é considerado ideal, de até 1%.

“Para diminuirmos o índice, estamos aplicando inseticida em sistema de UBV leve com utilização de bombas costais motorizadas, no intuito de controlar casos suspeitos e confirmados de dengue em todos os bairros, principalmente onde o índice está mais alto. Além disso, é importante que a população faça a sua parte”, concluiu Emilce.

Mesmo com a aplicação do inseticida é preciso não deixar água parada e continuar com os cuidados que podem ser conferidos AQUI >

Combater o Aedes aegypti é uma tarefa de todos!

Secretaria de Comunicação Social de Manhuaçu

FAÇA UM COMENTÁRIO

Por favor digite um comentário
Por favor digite seu nome aqui