Luisburgo apresenta soluções e já recebe mais do que gasta com lixo

35

Luisburgo recebeu representantes de 15 municípios integrantes do CIS Caparaó – Consórcio Intermunicipal Multissetorial da Região do Entorno do Caparaó – durante assembleia geral na manhã de quarta-feira (08/06). A experiência bem sucedida do município na destinação correta dos resíduos sólidos (lixo) e a arrecadação gerada a partir disso foram apresentados como exemplo de boa prática para as demais cidades.

A iniciativa do CIS-Caparaó é apresentar nas assembleias uma experiência exitosa do município que receber os demais. “Tivemos o início desse projeto aqui em Luisburgo com o Prefeito Nídio e o secretário Otávio Batista que trouxeram uma apresentação excelente sobre a questão dos resíduos sólidos. O projeto deles na área de resíduos sólidos é um modelo, pois Luisburgo é o município mais avançado nas questões de reciclagem e destinação do lixo entre os 15 do consórcio. A apresentação foi excelente e nos trouxe ideias para levarmos também para os demais municípios”, destaca o presidente do CIS e prefeito de São João do Manhuaçu, Sérgio Camilo.

RECICLANDO HÁBITOS

Durante a apresentação, o secretário de administração, Otavio Batista, mostrou o projeto Reciclando Hábitos, uma iniciativa completa da gestão municipal para as questões de meio ambiente e destinação correta de lixo.

“É um trabalho de quase um ano e meio que vem sendo executado e não é fácil nos dias atuais, mas o marco regulatório do saneamento básico veio para que a gente pudesse aproveitar oportunidade dessa pegada ambiental e resolver esse problema”, pontua o secretário.

Luisburgo tem executado ações ambientais em diversos segmentos e especificamente no campo de resíduos sólidos, conseguiram avançar bastante na coleta, triagem e destinação final dos resíduos em aterro sanitário. “Isso refletiu muito no nosso impacto financeiro. Porque até então a gente não recebia ICMS ecológico e agora passamos a receber. Na nossa média mensal, ele tem servido para cobrir as despesas e ainda tem um saldo positivo de quase 50%, ou seja, ele está custeando quase o dobro daquilo que hoje representa o nosso custo”.

Otávio Batista apresentou planilhas detalhadas das despesas e o retorno do ICMS Ecológico. Antes, além do problema do lixo, não recebiam por isso. “O que é reciclável a gente prensa e guarda para leilão e aquilo que é orgânico vai para o pátio de compostagem. Então só o que é rejeito mesmo, que não pode ser reaproveitado, que é destinado para um aterro licenciado. Isso também reduz nosso custo e aumenta a nossa cota parte do ICMS por fazer o tratamento adequado”.

O projeto como um todo foi intitulado de Reciclando Hábitos. Ele vem sendo trabalhado nas escolas na zona rural e ações na cidade. “Executamos a construção do primeiro Ponto de Entrega Voluntário (PEV) para que a gente possa fazer a coleta também na zona rural. Fizemos aquisição de um caminhão para substituir o trator e isso vai facilitar também a coleta em dias alternados, sendo de rejeito e outro dia o reciclável”, adianta sobre os próximos passos do projeto.

Em números, de janeiro a maio deste ano, o gasto com a destinação de resíduos ficou em média por R$ 5.948,47 e a receita com ICMS Ecológico R$ 11.517,21.

Além das ações ligadas aos resíduos, a prefeitura de Luisburgo também investiu no desassoreamento do rio São Luiz, na limpeza e construção de 500 caixas de contenção da água das chuvas nas estradas rurais e perfuração do terceiro poço artesiano para melhorar a qualidade da água consumida.

FAÇA UM COMENTÁRIO

Por favor digite um comentário
Por favor digite seu nome aqui