Primeiro jato E175-E2, da Embraer, completa voo inaugural

100

O jato E175-E2, da Embraer, realizou hoje (12) seu voo inaugural decolando das instalações da empresa em São José dos Campos. O E175-E2 é o terceiro integrante da família E-Jets E2 e o primeiro voo dá início, segundo a fabricante, “a uma rigorosa campanha de teste em voo de 24 meses”.

“O voo de hoje do E175-E2 simboliza a realização de nossa visão de produzir uma família de aeronaves comerciais de nova geração que traz economia de custos incomparável aos nossos clientes, conforto excepcional aos passageiros e menos emissões para o planeta”, disse o presidente e CEO da Embraer Aviação Comercial, John Slattery. “E190-E2 e E195-E2 já demonstraram um desempenho incrível e o E175-E2 é igualmente impressionante. Estamos ansiosos para trabalhar na certificação”, completa.

O E175-E2 decolou às 11h07 da manhã, no horário local, da pista adjacente ao complexo Faria Lima da Embraer e voou por duas horas e dezoito minutos. O comandante Mozart Louzada pilotou a aeronave, juntamente com o primeiro oficial Wander Almodovar Golfetto e os engenheiros de voo Gilberto Meira Cardoso e Mario Ito. A aeronave decolou e pousou com controles fly-by-wire (FBW) no modo normal. A tripulação avaliou o desempenho da aeronave, a qualidade do voo e o comportamento dos sistemas.

A Embraer utilizará três aeronaves na campanha de certificação do E175-E2. O primeiro e o segundo protótipos serão utilizados para testes aerodinâmicos, de desempenho e de sistemas. O terceiro protótipo será usado para validar as tarefas de manutenção e será equipado com interior.

Em comparação ao E175 de primeira geração, o E175-E2 possui uma fileira adicional de assentos, podendo ser configurado com 80 assentos em duas classes ou até 90 em classe única. O avião é capaz de economizar até 16% em combustível e 25% nos custos de manutenção por assento em comparação ao E175.

Assim como o E190-E2 e o E195-E2, o E175-E2 terá os intervalos de manutenção mais longos na categoria de jato de corredor único, com dez mil horas de voo para verificações básicas e sem limite de calendário para operações típicas do E-Jet. Isso significa 15 dias adicionais de utilização da aeronave por um período de dez anos em comparação com os E-Jets da geração atual.

FAÇA UM COMENTÁRIO

Por favor digite um comentário
Por favor digite seu nome aqui