Programa Olhos D’Água prevê recuperação de 36 nascentes na Bacia do Rio Manhuaçu e inspira população

38

Programa desenvolvido pelo Instituto Terra em parceria com a Fundação Príncipe Albert II de Mônaco tem gerado impactos sociais e educacionais nos habitantes da região

São Paulo, junho de 2024 – Além de promover uma recuperação ecossistêmica, um dos objetivos do Instituto Terra é educar e inspirar as pessoas a cuidarem do meio ambiente, um trabalho que vem sendo realizado com maestria desde 1998.

Recentemente, a ONG estabeleceu uma parceria com a Fundação Príncipe Albert II de Mônaco na Bacia do Rio Manhuaçu para desenvolver o programa “Olhos D’Água”, um projeto que prevê a recuperação de 36 nascentes, a instalação de equipamentos de tratamento de esgoto e a construção de três reservatórios de água por propriedade para 18 produtores rurais até fevereiro de 2025.

“Em um programa como esse, a educação ambiental tem um papel extremamente importante para mudar a perspectiva das pessoas. Porém, viver uma experiência de falta de recursos hídricos na pele é desesperador e modifica a mentalidade de qualquer um. Infelizmente, muitos moradores e agricultores de Três Barras, no distrito de Taparuba, já conheceram essa dura realidade, ficando sem água tanto para o seu consumo próprio quanto para de seus animais”, comenta Juliano Salgado, presidente do Instituto Terra.

Diante deste cenário, a chegada do programa Olhos D’Água na Bacia do Rio Manhuaçu foi vista com bons olhos pelos habitantes da região. Porém, para além do distrito de Taparuba, a ação também chamou a atenção da Prefeitura de Mantenópolis, no Espírito Santo. 

Alguns meses depois do início do projeto, a ONG foi procurada pela Secretaria de Meio Ambiente de Mantenópolis para auxiliar na recuperação da nascente do Rio São José. A área, que tem 3,53 hectares e fica localizada no Córrego Alto São José, faz parte da bacia hidrográfica do Rio Doce e é de extrema importância para o abastecimento hídrico da região. 

“Um trabalho que envolvia duas organizações a princípio acabou despertando o interesse do poder público também. Isso é algo extremamente gratificante para nós, pois enfatiza que estamos no caminho certo, deixando uma marca significativa por onde passamos, seja ela nas pessoas ou na paisagem”, complementa Juliano.

FAÇA UM COMENTÁRIO

Por favor digite um comentário
Por favor digite seu nome aqui