Em carta a Obama, Zelaya diz que não volta à Presidência de Honduras para encobrir golpe

240

Brasília – O presidente deposto de Honduras, Manuel Zelaya, disse em carta ao presidente dos Estados Unidos, Barak Obama, que não vai aceitar qualquer acordo para voltar à Presidência de Honduras, caso isso signifique “encobrir o golpe de Estado” sofrido por ele em junho deste ano. As informações da são da BBC Brasil.

A carta foi lida ontem (14) na embaixada brasileira em Honduras, onde Zelaya está desde 21 de setembro.No texto, Zelaya acusou os Estados Unidos de mudarem sua posição em relação à crise hondurenha e de tê-lo deixado “no meio de um rio”.

“A nova posição do governo americano se esquiva do objetivo inicial do acordo de San José, relegando ao segundo plano um diálogo com o governo legitimamente reconhecido até que um novo processo eleitoral seja realizado e sem se importar com as condições em que o pleito vai acontecer”, diz na carta.

Ele reafirmou ainda no texto que não vai apoiar a eleição de um novo presidente, marcada para o dia 29 de novembro.

A volta à Presidência de Honduras era um dos pontos do pacto firmado no fim de outubro pelos negociadores de Zelaya e do presidente interino, Roberto Micheletti.

A decisão sobre a volta de Zelaya ao poder ficaria, segundo o acordo, a cargo do Poder Legislativo, mas o Congresso só decidirá sobre o assunto quando tiver um parecer da Corte Suprema, do Ministério Público e da Procuradoria-Geral da República.

O governo interino hondurenho, no entanto, insistiu várias vezes que a restituição de Zelaya não era um elemento essencial do acordo.

Fonte:  Agência Brasil

FAÇA UM COMENTÁRIO

Por favor digite um comentário
Por favor digite seu nome aqui