3 Problemas Enfrentados por Bitcoin e Ethereum em 2021 e Por Que as Turbulências Podem Continuar

85

Por Andy HechtCriptomoedas22 horas atrás (27.12.2021 14:01) 

Andy Hecht
Artigos(139)
Visite meu site

  • Um ano vencedor, embora o Ethereum tenha tido desempenho bem melhor
    A custódia é crítica
    A segurança representa ameaças
    Controle: a principal questão para os governos
    As criptos estão aqui para ficar, mas pode ser uma viagem turbulenta

Etherreum teve um ano vitorioso com desempenho bem melhor
Controle: a principal questão para os governos

As criptos estão aqui para ficar, mas pode ser uma viagem turbulenta
No final da semana passada, os futuros próximos do Bitcoin eram negociados acima do nível de US$ 50.000, com o contrato de futuros do Ethereum acima dos US$ 4.000, faltando apenas uma semana para o fim deste ano. Embora os preços tenham recuado em relação às máximas históricas de 10 de novembro, qualquer um que possuía as principais criptomoedas em 31 de dezembro de 2020 e as manteve ao longo do ano realizou retornos impressionantes.

Há pouco mais de uma década, não existiam criptomoedas. A evolução dessa revolução tecnológica e financeira deu origem à blockchain e às criptos. No que acabou se tornando uma tempestade de alta quase perfeita, a queda de confiança nas moedas fiat fez com que um número crescente de pessoas e empresas aceitassem criptos e rejeitassem fiats.

O price action de alta das criptos alimentou um frenesi especulativo na florescente classe de ativos. Enquanto alguns adotam as moedas digitais por razões ideológicas, muitos estão encantados com elas por causa da sua volatilidade de preços e das tendências otimistas nos últimos anos. O preço em alta é uma força poderosa e magnética que incrementou o fascínio das criptomoedas.

A classe de ativos como um todo enfrenta uma série de problemas à medida que nos dirigimos para o próximo ano.

Comparando todo o ano o balanço é positivo, veja qualquer um que possuía tokens de Bitcoin ou Ethereum em 31 de dezembro de 2020, sem negociá-los ou vendê-los ao longo de 2021, viu o valor de suas carteiras digitais se expandir neste ano até o momento.

BTCUSD Monthly 2010-2021

Fonte: Barchart

O gráfico ilustra a ascensão do Bitcoin de US$ 28.986,74 em 31 de dezembro de 2020 para US$ 50.818 em 27 de dezembro de 2021, uma oscilação acima de 75% em 2021, faltando apenas alguns dias no ano.

ETHUSD Monthly 2010-2021

Fonte: Barchart

O desempenho do Ethereum ainda melhor, passando de US$ 738,912 no final de 2020 para US$ 4.060 em 27 de dezembro de 2021. A segunda principal criptomoeda proporcionou aos investidores um retorno superior a 449%, com apenas uma semana para o fim de 2021.

O Ethereum teve desempenho muito acima do Bitcoin em 2021, já que seu protocolo é mais rápido e eficiente. Embora o Bitcoin seja uma criptomoeda e um meio de troca, o Ethereum é um protocolo que suporta várias outras das mais de 16.000 criptomoedas. Além disso, o Ethereum 2.0 será um token muito mais verde, já que a prova de stake da versão 2.0 exigirá muito menos energia do que o design da prova de trabalho do Bitcoin.

À medida que chegamos a 2022, vários fatores provavelmente causarão volatilidade contínua na classe de ativos da criptomoeda.

  1. A custódia de criptomoedas é crítica

Manter criptomoedas em carteiras digitais não é um problema para os devotos da classe de ativos, mas esse não é o caso para o mercado em potencial, muito maior. Histórias de terror sobre a perda de milhões e bilhões de dólares em criptos quando discos rígidos foram descartados, ou a perda de senhas impediu muitos investidores de abrir suas carteiras digitais.

No final de 2021, Jack Dorsey abandonou seu posto de CEO do Twitter para se concentrar na sua empresa de pagamentos, anteriormente conhecida como Square (NYSE:SQ) (SA:S2QU34). O Sr. Dorsey tem sido um defensor eloquente das criptomoedas, dizendo que a classe de ativos “unirá o mundo”.

Ele mudou o nome do Square para Block em um sinal de que as criptos dominarão o futuro dos pagamentos. Block é, obviamente, uma referência à blockchain. A empresa do Sr. Dorsey está trabalhando em uma carteira digital dura para resolver o problema da custódia de criptos. A custódia é um fator chave para o sucesso da classe de ativos, na opinião dos operadores do mercado e dos reguladores.

Durante 2021, a SEC aprovou produtos de ETF de Bitcoin baseados em preços futuros, enquanto o CFTC tem um controle sobre a regulamentação da arena de futuros. No entanto, a SEC não aprovou nenhum produto de ETF de criptomoedas físico. Melhorar a questão da custódia significaria muito para os reguladores.

Além disso, o FDIC garante depósitos em dólares junto a instituições financeiras. Um sistema de depósitos em cripto com garantia aumentaria drasticamente o mercado em potencial. Muitos participantes do mercado estão procurando diversificar seus portfólios com alguma exposição a criptos. Quando as instituições financeiras proporcionarem soluções de custódia aos seus clientes, veremos a classe de ativos crescer.

  1. A segurança representa ameaças

Hacks de computador foram um problema em 2021. Os hacks da Colonial Pipeline e do frigorífico JBS (SA:JBSS3) foram dois de muitos eventos que colocaram a segurança em destaque. O medo de perder criptomoedas para hackers que infiltram carteiras digitais ou exchanges que detêm tokens para muitos clientes tem sido um obstáculo para muitos participantes no mercado em potencial.

A segurança é outro problema que a classe de ativo enfrentará em 2022. Um hack criptográfico significativo poderia forçar a queda substancial dos preços ao longo dos próximos meses e anos.

Resolver a questão da segurança envolve a cooperação entre as exchanges e as agências governamentais que mantêm os hackers em xeque, a fim de desenvolver métodos robustos para evitar o roubo de tokens.

  1. Controle: a principal questão para os governos

A custódia e a segurança são questões significativas, mas são técnicas. O controle é ideológico. Os governos do mundo obtêm poder com suas forças armadas e pelo controle do bolso. Os governos podem expandir e contrair o fornecimento de dinheiro ao seu bel prazer, a fim de concretizarem uma agenda política.

A Secretária do Tesouro dos EUA, Janet Yellen, e a Presidente do BCE, Christine Lagarde, alertaram ambas sobre os usos nefastos das criptomoedas. A Senadora dos EUA Elizabeth Warren afirmou recentemente que deseja ver maior regulamentação sobre a classe de ativos de criptomoedas, pois seu crescimento pode representar “riscos sistêmicos” para o sistema financeiro global. Outros funcionários do governo fizeram comentários semelhantes, e a China proibiu totalmente as criptomoedas em 2021.

Entretanto, é provável que os reguladores governamentais estejam muito mais preocupados com a perda de controle da oferta de dinheiro do que com qualquer outra questão.

As criptomoedas são um meio libertário de troca que toma o poder do valor do dinheiro dos governos e o devolve a um coletivo de indivíduos que fixam preços baseados na compra e venda do mercado. A divisão ideológica pode ser o maior desafio a ser superado em 2022 e além. Espere um aumento das preocupações dos governos junto com a expansão do valor de mercado dessa classe de ativos.

As criptos estão aqui para ficar, mas pode ser uma viagem turbulenta

Ao nível de US$ 2,38 trilhões no final da semana passada, o valor de mercado das criptomoedas é três vezes superior ao do final de 2020. Em 2020, o valor de mercado passou para quase quatro vezes o valor ao final de 2019. Em 2019, ele chegou a mais de 1,5 vezes o valor do final de 2018.

Se o valor de mercado das criptomoedas dobrar em 2022, ele se aproximará dos US$ 5 trilhões. Quanto mais ele subir, maiores as probabilidades de um recuo significativo que desencadeie impactos sistêmicos expandindo-se pelos mercados em todas as classes de ativos. Se a taxa de crescimento continuar, espere que funcionários governamentais e os reguladores disparem sinais de alarme.

Enquanto isso, o mundo adotou a blockchain e as fintechs. O aumento nos preços das criptomoedas é um apelo à ação dos governos para que emitam moedas digitais. Ao final de 2021, a China parece estar na liderança, enquanto os EUA, lar da maior reserva mundial de moedas, estão muito atrás.

Quanto mais empresas e indivíduos adotarem as criptos, maior as pressões sobre governos e reguladores para controlarem a classe de ativos. Creio que o ponto de ruptura pode ser quantificado. É uma função do valor da classe de ativos. A mais de US$ 5 trilhões, o pânico pode causar uma reação súbita.

Eu estou otimista com as criptos neste início de 2022. Vejo o Bitcoin subindo para o nível de US$ 100.000 ou mais. No entanto, como destacou Ray Dalio, os governos têm o poder de “matar” a classe de ativos.

Portanto, chego em 2022 com os meus olhos bem abertos, antecipando que a volatilidade incrível continue. Só investirei capital que entendo estar 100% em risco na classe de ativos.

Não chamaria a ascensão das criptomoedas de uma bolha; caracterizo-a como uma ameaça ao status que de controle governamental sobre a oferta de moedas e da hierarquia bancária e financeira tradicional. Os obstáculos ideológicos podem gerar uma viagem turbulenta para a classe de ativos.

FAÇA UM COMENTÁRIO

Por favor digite um comentário
Por favor digite seu nome aqui