A PANDEMIA VAI ANTECIPAR A MUDANÇA NO SISTEMA FINANCEIRO MUNDIAL

853

Por Devair G. Oiveira                                                                                                      Com a pandemia o assunto mais estudado além do covid 19 é a economia, eu, assim como você, nunca tínhamos presenciado uma pandemia como esta, também pela primeira vez estamos experimentando o isolamento social… tudo é novo e o medo é enorme, o desemprego foi geral como nunca havia acontecido antes, e as pessoas começam a se perguntar o que eu vou fazer, como vai ser daqui para frente, como garantir minha segurança financeira.

Desde que tomei conhecimento dessa nova tecnologia, passei a dedicar no mínimo 3 horas por dia estudando os assuntos financeiros das criptomoedas, muitos especialistas previam o fim do capitalismo como conhecemos, mas com a pandemia isso acelerou  muito. O atual sistema financeiro com as moedas físicas vai acabar em pouco tempo. Sistema Financeiro Internacional é sistematicamente ligado aos Estados Unidos, por meio do dólar, que possui papel fundamental nas transações financeiras globais, de maneira que o sistema é globalizado  e estão intimamente ligados.

Os bancos estão se preparando para perder menos, pois sabem que as criptomoedas vieram para mudar todo o sistema, no Brasil foi aprovado na Câmara dos deputados uma lei para proteger os bancos das volatilidades das moedas, os correntistas podem perder, mas os bancos sempre dão seu jeitinho para se protegerem.

O Plenário da Câmara dos Deputados aprovou no dia 30/06/2020 a Medida Provisória 930/20, que torna possível aos bancos com investimentos no exterior diminuírem a proteção cambial (hedge) usada para compensar prejuízos com a variação do dólar, inclusive se for em sociedade controlada, coligada, filial, sucursal ou agência no exterior. A matéria será enviada ao Senado.

Segundo o governo, o mecanismo proposto pela MP vai diminuir a exposição das instituições financeiras à volatilidade cambial dos últimos meses, provocada pelos efeitos da pandemia de Covid-19 na economia.

A MP foi aprovada na forma do projeto de lei de conversão do relator, deputado AJ Albuquerque (PP-CE), que incluiu apenas alguns ajustes no texto.

Atualmente, quando um banco faz um investimento no exterior, ele realiza uma operação de cobertura de risco cambial (hedge cambial) para cobrir eventuais prejuízos que poderiam ocorrer devido à flutuação do câmbio. Fonte: Agência Câmara de Notícias.

Se você ainda não conhece as criptomoedas, é bom se apressar, caso contrário ficará para trás, tudo evolui e o sistema financeiro como conhecemos não sobreviverá o novo sistema de fazer negócios com as moedas virtuais, sem burocracia, sem um banco central regulador, e sem um governo controlador.  A mudança será inevitável. Hoje com o celular você compra dólar, Bitcoin, Freecoin, Ethereum ou qualquer outra moeda com apenas alguns cliques, as moedas da qual conhecemos nos bancos estão todas desvalorizadas, todas sem exceção, até o dólar que não vai durar muito tempo deverá ser substituída por uma moeda virtual.

Vamos falar de evolução e algumas mudanças que tivemos há pouco tempo: o Uber revolucionou o meio de transporte dos táxis, a Amazon assumiu definitivamente

o varejo no mundo todo. Apple e Spotify assumiram a música, a Netflix assumiu o controle de filmes e TV, o Google assumiu os dados, o  LinkedIn e outros assumiram a busca e a contratação de empregos, a Expedia e o TripAdvisor assumiram o setor de viagens, mas a lista não para por aqui ela continua. Mudamos do analógico em papel para uma sociedade digital.

 Nosso foco é alertar você para a tecnologia digital das criptomoedas que vai dominar o sistema financeiro do mundo, mudando como gastamos nosso dinheiro, como poupamos e até como fazemos acordos.

Há pessoas que tem a capacidade de prever certas mudanças muito antes de elas acontecerem, são pessoas que estão à frente de seu tempo e conseguem enxergar mudanças que irão acontecer anos à frente.

Um caso deste é do economista americano e vencedor do Prêmio Nobel em Ciências Econômicas Milton Friedman teria previsto o aparecimento das criptomoedas em 1999.

Na sua reivindicação, Friedman disse que um método confiável, mas discreto de transações financeiras se desenvolveria na Internet no futuro próximo.

Em uma entrevista concedida à NTU / F em 1999, Friedman disse:

“A única coisa que falta, mas que em breve será desenvolvida, é um e-cash confiável. Um método em que comprar na Internet você pode transferir fundos de A para B, sem que A conheça B ou B conhecendo A. A maneira pela qual eu posso tomar uma nota de 20 dólares e entregá-lo para você e não há registro nem de onde veio nem para onde foi. E você pode obter isso sem saber quem eu sou. Esse tipo de coisa vai se desenvolver na Internet sem precisar ter um banco intermediando e controlando minhas ações…”

Por que o dólar (e todo o dinheiro clássico) perdeu seu valor?

Por Ben Bervoets Consultor Externo – Europa Ação abrangente e social em TI.
Ben é mestre em finanças e tem mais 35 anos de experiência em TI em grandes multinacionais e atua há 18 anos em ações sociais.  Ele coordena os aspectos / projetos sociais da moeda FREE.

A resposta é simples: porque o governo e os bancos nacionais continuam imprimindo novos dólares. E cada vez que dólares extras são impressos, os dólares existentes perdem valor.

Quando olhamos para o dólar, vemos que o Banco Nacional dos EUA continua imprimindo dólares extras e, como tal, reduzindo o valor dos dólares que você possui em sua conta bancária.

Em apenas 20 anos o Banco Central dos Estados Unidos imprimiu 4 trilhões de dólares extras. 4 trilhões de dólares extras = 4 000 000 000 000! Com a crise do Covid 19, o Banco Nacional dos EUA anunciou que imprimirá outros 2,5 trilhões de dólares extras, para pagar os custos da luta contra Corona.

E não param por aqui… Esses 6,5 TRILHÕES de dólares físicos impressos pelo Banco Nacional dos EUA, não são distribuídos diretamente ao público em geral. Não, o Banco Nacional distribui esse dinheiro físico pelos bancos locais.

Esses bancos locais usam sua posição para criar – por sua vez – dólares extras! Eles fazem isso via um sistema que tem o nome difícil de “banco fracionário”. Veja o exemplo:

– Suponha que o Banco Nacional dos EUA imprima 100 notas de banco extra em dólares                       – Eles distribuem esses 100 dólares para um banco local.

– Este banco local mantém 20 USD como “dinheiro” lá seguro, e eles usam os 80 restantes USD para dar crédito aos seus clientes:

  • Cliente 1 recebe um crédito de 50 USD
  • Cliente 2 recebe um crédito de 35 USD
  • Cliente 3 recebe um crédito de 30 USD

– Então vemos que, com apenas 100 USD, o banco local concede crédito por 115 USD e, como tal “cria” 15 dólares adicionais para os quais não existem notas físicas. O banco local pode fazer isso porque esse crédito será usado através de transferências entre bancos e contas, nem todos os clientes solicitarão no mesmo momento a transferência do total valor de suas contas bancárias em notas bancárias físicas.

– Um estudo do Banco da Inglaterra chegou à conclusão de que as notas físicas representam apenas 3% do dinheiro da economia. Portanto, em nosso sistema econômico, apenas 3 % é “dinheiro vivo” (notas que você pode tocar) e 97% de todo o dinheiro são “dinheiro bancário em depósitos” (dinheiro digital, sem respaldo em dinheiro). Este é o resultado do fato que os bancos criam anualmente cerca de 11,5% de “depósitos bancários” extras dinheiro para fazer o backup), e isso há mais de um século …

Qual é a conclusão: se apenas 15% de todas as pessoas fossem a seus bancos e perguntassem ao banco para pagar o valor da conta bancária em dinheiro, nosso sistema bancário mundial todo mundo perderia todo o dinheiro que ele armazenava em suas contas bancárias (e em fundos de pensões e em ações e seguros e…).

Como evitar esse cenário desastroso (um cenário que certamente acontecerá em um certo momento no tempo)?

Quem conhece as criptomoedas sabe que esse dinheiro novo veio para mudar nosso mundo nos próximos anos.
“Desde 2012, ano que eu conheci esse universo, pude ver meus próprios rendimentos aumentarem AGRESSIVAMENTE com esse mercado… também  já pude ajudar milhares de pessoas a conquistarem resultados expressivos com as minhas indicações!
Mas nunca estive de frente com uma mudança como essa, algo que simplesmente pode mudar a realidade financeira de muitas famílias no Brasil e no mundo”. Destacou Helena Margarido, advogada e a maior especialista em criptomoedas do Brasil.

E fica aqui nossa dica corra agora e comece entender essa nova tecnologia das criptomoedas e não fique fora, não perca o bonde da oportunidade,  se você perder esse desenvolvimento, e não entrar agora, pode se arrepender pelo resto da vida.

Hoje se você consultar os maiores economistas do mundo a maioria vão dizer que o sistema financeiro global está falido. 

As distorções do nosso sistema monetário faz com  que os preços de nossas necessidades mais básicas, como assistência médica, moradia e educação aumentam a níveis além do alcance da maioria da população…

As famílias e as empresas brasileiras estão endividadas e sem alternativas.

N° de brasileiros com o nome sujo bate novo recorde, diz Serasa : 63,2 milhões

A solução está nas criptomoedas. Se olharmos para a moeda FREE, veremos que uma quantidade limitada está disponível e é IMPOSSÍVEL criar moedas FREECOIN extras.
Quando a moeda FREECOIN foi lançada em 4 de abril de 2018, um total de 10 trilhões de moedas FREECOIN foi criado. Isso corresponde a 1300 moedas GRATUITAS por pessoa na terra e com cerca de 1 moeda GRATUITA moeda para cada 100 USD de notas / bancos / depósitos bancários equivalentes em todo o mundo.

De acordo com o site Barron , pelo menos 20.000 (talvez até 200.000) pessoas já se tornaram milionárias devido a essa mudança.

O mais louco é que aproximadamente 99% de toda a população do Brasil não estão aproveitando o que está acontecendo, e está ficando para trás, de acordo com a pesquisa mais recente.

Todos os especialistas do mundo estão dizendo sobre isso, e nós não queremos causar alarmismo…

Queremos, na verdade, lhe apresentar uma mudança sistêmica, e sei o quanto é difícil acreditar que tudo que conhecemos vai mudar!

Sabemos que isso pode não significar muito para você agora … mas preste bastante atenção, veja o que está acontecendo e como garantir que você está do lado certo dessa mudança ..

A enorme mudança de riqueza do mundo já começou …

“O mundo está mudando há muito tempo, mas agora acelerou e você não pode ficar fora dessa transição”.

Perceba, como todas essas empresas mudaram a minha e a sua vida…

Fonte: Terra

Para muitas pessoas no mundo, a transição foi devastadora. 
Os dados que eu vou apresentar abaixo são do mercado americano, pois eles foram os primeiros a notar essas mudanças.

Então, vamos ter como base de amostra esses números, uma vez que estou te apresentando ainda está engatinhando no Brasil…

Somente em 2020, cerca de 12.000 lojas físicas  serão fechadas.

Gigantes como: Sears, JC Penney, Kmart, Best Buy e Macy’s…

O Gap acaba de encerrar 230 lojas, o Walgreens fecha 200 lojas e até o Walmart pode fechar 17 lojas este ano.

Milhares e milhares de pessoas estão perdendo seus empregos como resultados.

O banco de investimentos UBS estima que outras 75.000 lojas de varejo nos Estados Unidos possam ser fechadas até 2026.

Não apresento esses dados para que você fique assustado, mas apenas para que você veja a mudança e saiba como tirar proveito disso…

Enquanto milhares de lojas físicas estão fechando por todo mundo, empresas que investem no digital estão crescendo rapidamente…

Se pegarmos as ações dessas empresas na bolsa, conseguimos entender um pouco melhor esta equação… 

Alguém que investiu US$ 100 nos primeiros dias da Amazon, na Bolsa dos EUA,  agora teria o equivalente a mais de US$ 130.000. 

A mesma quantia na Apple agora valeria mais de US$ 45.000.
Na Netflix: US$ 34.000.
A riqueza mudou dramaticamente também…
Jeff Bezos agora é muito mais rico do que Warren Buffett. 
Quando você olha para os 5 homens  mais ricos, de acordo com o ranking mais recente da Forbes, essa mudança se torna óbvia …

Eles estão na lista de pessoas mas ricas do mundo da revista Forbes, mas começaram as carreiras com trabalhos bem modestos. Um deles trabalhou fazendo hambúrgueres do McDonald’s.

1) Jeff Bezos…
2) Warren Buffett…
3) Amancio Ortega…
4) Michael  Bloomberg…
5) Jack Ma…                      

Somente Warren Buffett não tem ligação com o mundo digital…

“O sistema capitalista vive sob constantes crises, gerando graves conflitos sociais e claramente precisa de mudanças. A proposta é retirar todo o dinheiro de circulação e as pessoas continuarem fazendo as mesmas coisas que sempre fizeram: trabalhando, estudando, consumindo, se divertindo, somente sem a utilização do dinheiro. No livro, de forma prática e objetiva, o autor mostra que com o fim do dinheiro o capitalismo avança, a produtividade aumenta e os conflitos sociais são drasticamente reduzidos, a meritocracia passa a ser a mola propulsora do desenvolvimento”. Joel Kurtzman, economista e colunista do New York Times.

FAÇA UM COMENTÁRIO

Por favor digite um comentário
Por favor digite seu nome aqui