PM da Bahia atira para cima e é morto por colegas de fardas

126

O Brasil está severamente influenciado pela ideologia marxista

Por Devair G. Oliveira
A situação é muito mais complexa que podemos imaginar, a pressão é enorme de fora para dentro envolvendo a política ideológica e isso está influenciando a vida de todos os brasileiros, sabemos que há em nosso país uma política equivocada de estado e governo, quando um governador assume, ele troca todos os comandos alinhando os comandantes com suas ideias, e na Bahia não é diferente e com isso muitos comandantes militares passam a serem militantes e fazendo o jogo do governador.

Um policial militar atirou para cima na tarde deste domingo (28), na região do Farol da Barra, em Salvador. Segundo a Polícia Militar, o homem, que estava com o rosto pintado nas cores verde e amarelo e carregava fuzil e pistola, apresentava um quadro de “possível surto” (veja nota da PM ao final da reportagem).

O PM, identificado como Wesley Soares Góes, acabou sendo baleado depois de atirar contra policiais do Batalhão de Operações Policiais Especiais Bope (Bope) que negociaram com ele por 3 horas e meia. Ele chegou a ser levado ao hospital, mas horas depois a Secretaria de Segurança Pública da Bahia informou que ele não resistiu aos ferimentos e morreu. Informação da PM.

Veja algumas opiniões de colegas de farda e da esposa do militar assassinado.

https://www.facebook.com/Mirovelosoavozdabahia/posts/115555233901466

Veja ao final da reportagem a ordem cronológica dos fatos.

Equipes do Batalhão de Choque, Esquadrão Águia e da 11ª CIPM também participaram da negociação junto com o Bope.

Veja a ordem cronológica dos fatos

  • 14h: A ocorrência iniciou quando o militar chegou armado com fuzil e pistola, na Barra. Imediatamente ele iniciou disparos de fuzil para o alto. Ele foi cercado por unidades policiais do CPR Atlântico e especializadas, que isolaram o local;
  • 15h: de acordo com a SSP, uma equipe do Bope iniciou a negociação. O soldado alternava momentos de lucidez com acessos de raiva, acompanhados de disparos. De acordo com o órgão de segurança pública, além dos tiros de fuzil, o soldado arremessou grades, isopores e bicicletas, no mar;
  • 18h35: O soldado teria falado que havia chegado o momento, fez uma contagem regressiva e iniciou os disparos contra as equipes do Bope. Após pelo menos 10 tiros, o soldado foi baleado e socorrido para o Hospital Geral do Estado (HGE);
  • Depois das 18h40: Jornalistas tentaram se aproximar do policial e foram afastados com balas de borracha;
  • 23h: A Secretaria de Segurança Pública da Bahia confirma a morte de Welsey Góes no hospital.

Nota da Polícia Militar

“A Polícia Militar lamenta profundamente o episódio que ocorreu neste domingo (28), no Farol da Barra, quando todos os esforços foram feitos por um final pacífico durante um possível surto de um PM. O Batalhão de Operações Policiais Especiais adotou protocolos de segurança e o policial militar ferido foi socorrido imediatamente pelo SAMU. A corporação tomou conhecimento ainda de um vídeo do momento em que a imprensa acompanha o fato e é interpelada por um policial militar. A instituição ressalta o respeito à liberdade de expressão e ao trabalho dos jornalistas. O fato será devidamente apurado”.

 

 

FAÇA UM COMENTÁRIO

Por favor digite um comentário
Por favor digite seu nome aqui