Polícia Civil prende três envolvidos no escândalo do SAMAL em Manhuaçu

322
Delegado Dr. Carlos Roberto Bastos. Foto Portal Caparaó

Os desvios podem ultrapassar  6 milhões  de reais, afirma delegado Dr.  Carlos  Roberto Bastos

Os extratos bancários do contador Silvio Nunes mostram 43 transferências da conta do SAMAL para a conta dele em 2008: 330 mil reais

Na manhã deste sábado, 03 de março de 2012 a Polícia Civil de Manhuaçu prendeu três ex-funcionários do SAMAL envolvidos em irregularidades, são eles  o ex-secretário de obras de Manhuaçu, José Carlos dos Reis, o ex-administrador do SAMAL, Carlos Roberto de Souza e o contador da autarquia na época Sílvio Nunes de Carvalho.

O Inquérito policial da Civil mostra desvios de 1,7 milhão de reais, porém  o delegado Dr. Carlos Roberto Bastos afirma que mais de seis milhões de reais teriam sido desviados ao longo de dez anos. Em 2009 a prefeitura solicitou  uma auditoria no SAMAL e de lá para cá a Polícia Civil está investigando, alguns meses foi afastado o prefeito Adejair Barros e mais alguns funcionários, ao todo 16 pessoas no inquérito, segundo algumas informações as irregularidades vem desde 1997,  foram identificados desvios em 2007 no valor de 258 mil reais e em 2008 de mais 313 mil reais. “No decorrer das investigações descobrimos que os desvios ocorriam desde 1999 e nestes dez anos foram cerca de seis milhões de reais. Sobre quase dois milhões os recursos foram apropriados pelos três funcionários”, disse o delegado Dr. Carlos Roberto Bastos.

Ainda segundo ele, o esquema foi criado a partir de contratações de empresas para serviços emergenciais e de trabalhadores para a limpeza urbana pela autarquia. “O SAMAL não possui recursos próprios. Todos os meses, o contador enviava uma solicitação para a prefeitura de quanto ele precisava. Eles sempre recebiam bem acima do que precisavam. Eles pagavam as despesas e o que sobrava era transferido para as contas pessoais”, explica o delegado.

Foto Portal Caparaó

José Carlos e Carlos Roberto foram localizados e presos  em suas casas  logo pela  manhã deste sábado. O contador Sílvio Nunes  sabendo  que a polícia estava a sua procura se apresentou na delegacia. Os três estão presos por cinco dias, mas se houver necessidade podem ficar recolhidos por mais tempo. A prisão preventiva pode ser solicitada, contudo vai depender do que acontecerá nos depoimentos.

De acordo com o delegado responsável pelas investigações, Sílvio Nunes afirmou, em depoimento, que ele só servia para que o dinheiro fosse desviado e que sacava os valores em um banco, colocava num envelope e passava para o então prefeito. É uma alegação dele. “O contador tem que provar que não sacou o dinheiro e comprou bens para si ou no nome de terceiros, ou mesmo transferiu para outras pessoas”. O então prefeito Sergio Breder foi ouvido em depoimento e negou que recebia esse dinheiro.

Na próxima semana, a Polícia Civil quer ouvir todas as pessoas que trabalharam no SAMAL desde 1999 e que tinham algum vínculo para as transferências entre a prefeitura a autarquia. Todos que deveriam fiscalizar também serão investigados por condescendência criminosa.

Outra conduta que será apurada é com relação aos bancos envolvidos. “Os funcionários movimentavam quantias de mais de 100 mil reais em períodos curtos e os bancos deveriam comunicar isso ao Banco Central. É um mecanismo criado em 98 para evitar desvios de recursos e lavagem de dinheiro e isso não foi feito”, salientou.

Entenda o caso

Em março de 2009, a prefeitura de manhuaçu   solicitou  uma auditoria nas contas do Samal e descobriu uma série de desvios. O levantamento identificou transferências da conta bancária do órgão público para a conta particular do contador. Na época, o então prefeito Sérgio Breder exonerou as seis pessoas que trabalhavam no setor administrativo, entre elas o administrador do Samal Carlos Roberto e o contador Silvio Nunes de Carvalho. Foi aberto um inquérito policial, formalizada uma denúncia no Ministério Público e criada uma comissão de sindicância interna. O relatório mostrava desvios de recursos do Samal para contas particulares e sugeriu outras situações irregulares.

3 COMENTÁRIOS

  1. E ai??? viram o meu comentário na noticia sobre a visita de Sergio ao vice governador?
    Da imprensa de Manhuaçu, queremos é entrevista da turma sobre os escândalos em Mçu – Que liderança é esta? Por que os desfalques no Samal duraram tanto tempo? e a nossa câmara, por que não abriu uma CPI logo depois das primeiras noticias??? Parabéns MP- o Brasil atualmente deve muito aos Ministérios Públicos do Pais!

  2. Adoro ler o Jornal das Montanhas, por trazer notícias geral.
    Muito bom o trabalho da polícia de Manhuaçu, acho que se eles devem tem que pagar, não podemos viver com ipunidade, lembro-me que em 2009 assisti uma reunião da Câmara de Manhuaçu e vi a vereadora Maria Imaculada bater nesta tecla. Parabéns pelo trabalho, muito bom

  3. Gostaria de fazer algumas considerações: Por que se fala tanto do atendimento à saúde de cidades como Muriaé, Itaperuna, Campos…
    Engraçado, em Itaperuna o atendimento no SUS funciona por área – Por que em Manhuaçu ainda temos que enviar as cirurgias de vistas para Itaperuna? Manhuaçu é considerada cidade polo, mas mais pela renda, pela iniciativa privada, do crescimento comercial do que pelas ações públicas. Uma observação: façam uma oferta à prefeitura de Manhumirim para receber a Escola Técnica Federal – se em poucas semanas eles não oferecem uma área totalmente urbanizada. Por que Manhumirim já conta com um contorno rodoviário em excelente conservação? com viaduto, pontes e tudo. Manhumirim já possui sede própria para a Secretaria de Educação, com uma escola municipal de excelente qualidade. Manhuaçu, por sua grandeza, renda, importância não consegue conservar o jardim da praça central, feio, cheio de lixos, banheiro de péssima arquitetura…
    Nós amamos Manhuaçu – poderiamos sim, ser uma cidade modelo, linda, não temos nada planejado – Não quero fazer criticas individuais, mas precisamos de uma arrancada ética, na saúde, nas obras, na educação, na agricultura – Há quanto tempo ouço falar do problema da rodoviária, feia, invadida, pessimamente localizada, e os buracos em volta do jardim da rodoviária? e o trânsito? sei que é ano eleitoral, ai vão começar algumas obras de importância secundárias, que voltam meses depois… Não precisamos de futebol, de pinturas de meio fios, operação tapa buraco, precisamos de ações do tamanho de Manhuaçu. De políticas públicas de alto nível – Obras de impacto – Vamos torcer, para que tenhamos mudanças, sem querer criticar ninguém, mas precisamos chegar ao século XXI.

FAÇA UM COMENTÁRIO

Por favor digite um comentário
Por favor digite seu nome aqui