POLICIAIS SÃO VÍTIMAS DE LESÃO CORPORAL

345

ocorrencia_policialAcionados pelo COPOM policiais militares compareceram à Praça cinco de Novembro, em frente ao Fórum Desembargador Alonso Starling, centro de Manhuaçu, onde um indivíduo estava atirando pedras contra uma viatura da polícia civil estacionada nas proximidades do Fórum. Populares acionaram os policiais da ciclopatrulha. As vítima – 01: José Maria Cardoso, 55 anos, policial militar, residente à rua 13 de maio, centro, Caputira, 02: Michelle Amorim Ferreira, 26 anos, policial militar, residente à rua Mellin Abi-Ackel, 27, B. Todos os Santos, 03: Márcon César Sotte Pereira, 24 anos, policial militar, residente à rua Júlio Bueno, 71, centro. A vítima 01, que passava pelo local, tentou dialogar com o autor: José Amaro da Silva, 38 anos, lavrador, residente em Lagoa de São Francisco, município de Pedro II, Piauí. Filiação: Rita Amaro da Silva e Raimundo Amaro da Silva, o mesmo não deu a mínima importância, estava agressivo, exaltado e portava uma faca de cozinha com aproximadamente 15 cm de lâmina. Foi necessário o uso da força para deter o autor, sendo que o mesmo não ficou ferido, porém foi encaminhado ao SUS. Já a vítima 01 levou uma facada no antebraço esquerdo, que atingiu-lhe o tendão, perdendo o movimento dos dedos, ficando em observação. A vítima 02 teve escoriações na perna esquerda. A vítima 03 teve escoriações no joelho direito. Ambos foram medicados no SUS. O autor foi conduzido à DEPOL onde foi autuado.

Três vão parar na delegacia po jogo do bicho

Autoreses 01: Francisco Muniz de Carvalho Neto, 45 anos, comerciante, residente à rua Júlio Bueno, 356, B. Santo Antônio, 02: Oswaldo de Oliveira Carvalho Júnior, 52 anos, autônomo, residente à rua João Paulo I, 01, B. Coqueiro, 03: José Geraldo Barbosa, 45 anos, vendedor, residente à rua da creche, 471, Vilanova.
Na tarde de ontem quinta-feira a Polícia Militar compareceu à Rua Júlio Bueno, 356, B. Santo Antônio, onde denúncia anônima dava conta de que dois cidadãos de nomes Francisco e Oswaldo comandavam uma banca de jogo do bicho naquela localidade e que um rapaz de nome José Geraldo seria o responsável pelo recolhimento das apostas do dia. O serviço de inteligência da polícia militar monitorou as atividades dos suspeitos e constatou a veracidade da denúncia. Em momento oportuno José Geraldo foi abordado pelos policiais quando se dirigia para a casa de Francisco e confessou ser o anotador da banca. Com ele foram encontrados R$ 37,00 em dinheiro, vários talões de anotar jogo do bicho, vários jogos já prontos, caderneta com anotações de valores e resultados de extrações. Francisco, ao perceber a movimentação tentou evadir-se do local, mas foi abordado pelos policiais. Em seu poder foi encontrado R$ 3.077,00 em moeda corrente, uma nota de dez dólares e duas cartelas de medicamentos de venda proibida no Brasil (PRAMIL E RIGIX). Durante as diligências Oswaldo compareceu ao local sendo convidado a comparecer à DEPOL para prestar esclarecimentos, juntamente com os demais envolvidos com jogo de azar.

MATIPÓ – Autor Desconhecido efetua disparos contra vítima

Em 02/07/2009, por volta das 18h20 segundo a vítima Onilson Pascoal de Souza, 36 anos, lavrador, amasiado, quando se encontrava na casa de seu pai, foi chamado pelo nome por um homem desconhecido, que ao atendê-lo, percebeu que o cidadão encontrava-se armado, ocasião em que autor efetuou 03 (três) disparos em sua direção atingindo-a na região lombar, supra renal. A vítima foi socorrida para o Hospital Cristo Rei em Matipó, sendo atendida pelo médico de plantão. Onilson informou ainda não conhecer o autor que possui as seguintes características: cor clara, 23 anos aproximadamente, 1,70 altura, trajava jaqueta preta, camisa vermelha e bermuda jeans.

MANHUMIRIM – Denúncia anônima leva a prisão e apreensão de drogas

Em 02/07/2009, por volta das 20h30 acionada a PM compareceu à Rua Eugênia, Bairro Morada Nova, Manhumirim/MG. Através de denuncia anônima, a equipe de radio patrulhamento localizou o suspeito Dairon Andrade da Silva, vulgo “DARIL”, 18 anos, que percebendo a presença da PM dispensou um embrulho que foi recolhido pelos policiais, o qual continha um tablete grande de maconha e mais 30 ( trinta) tabletes menores da mesma droga, já prontos para a venda.
Foi preso em flagrante delito e conduzido para a Delegacia de Policia, onde foi autuado.

2 COMENTÁRIOS

  1. A criminalidade estará ligada à herança genética? Quem teve um ancestral marginal poderá herdar deste, em seu código genético, uma predisposiçãom para o crime? Lembro-me de uma reunião que eu participei em Manhuaçu-MG , salvo engano na Loja Maçônica, em que compareceu um diretor de presídio criador do sistema chamado “sala aberta” e que permitia aos presos sairem , cumprirem as suas necessidades profissionais ou familiares e retornarem ao presídio à hora marcada só para dormir.Este juiz de direito, diretor do presídio, ´que permitam-me declinar o seu nome por uma questão de ética, ao ser pergintado por mim se seria possível em uma família exemplar haver a chamada “ovelha negra”, fosse a família pobre ou rica, ele respondeu-me: sim, a minha família seria este exemplo. Tenho oito irmãos. Todos formados e muito bem encaminhados na vida. Exceto um, que é bandido.
    É claro que houve um momento de constrangimento. Cheguei, sem expressar-me, a me arrepender de ter feito tal pergunta. Mas, poderia haver resposta mais esclarecedora? Um homem dígno, mundialmente conhecido por seus livros em defesa da plena recuperação do criminoso, declarar que nenhuma família está livre de ter o seu bandido consanguíneo.O que fazer? O fato de haver uma ligação genética hereditária torna o bandido irrecuperável? Seria o seu ancestral irrecuperável? O crescimento cultural dos indivíduos poderá minorar as estatísticas da criminalidade? Vemos países riquíssimos, como os EUA, com taxas de criminalidade altíssima. A mídia, que progrediu a ponto de nos mostrar ao vivo o crime que acabou de acontecer ou está acontecendo, também nos mostra que países outrora violentos como os escandinavos, hoje tem números animadores de queda na incidência criminal.São nações que evoluiram muito na educação e na distribuição mais justa da riqueza. O ódio maior é o de não ter e ver que o outro tem. O consumismo é estimulado porque o sistema depende dele. Hoje alguém compra um aparelho eletrônico pela manhã como o mais avançado, a tarde surge outro muito mais. O visinho ter um carro supermoderno determina que o outro compre um mais moderno ainda. É assim que o sistema prospéra. Mas, levam também à frustração e ao complexo de inferioridade. Daí a ao ódio homicida é um passo. Existe também o vício . Seja o tóxico ou o de consumo. Ambos são terríveis e fazem criminosos em todas as classes sociais e em pessoas de renome.Religião ajuda? Sim, se a pessoa for fanatizável. Se não, nada muda. Quantas pessoas religiosas frequentam os noticiários policiais? Eu creio que o exemplo vem dos países que socializaram o capitalismo. Feito isto, restam os maníacos psicopatas. Este, só com rigoroso tratamento e isolamento. Religião é boa para quem já é bom por natureza e estiver , circuntancialmente, afastado do caminho do bem.

  2. Essa é a policia de minas, apanha primeiro, depois usa o dialogo para preender um marginal!
    Isso so acontece no interior, uma vez, eu vi um cara dando uma de doido em belo horizonte, esse doido estava do mesmo jeito, jogando pedras em todo mundo, ai chegou a pmmg, ai a coisa mudou: chegou uma viatura e o doido jogou pedra na rapa, ai veio o soldado e deu um golpe de bastão na cabeça do doido, o doido caiu inerte, foi colocado no camburão e a rapa saiu de sirene ligada, ai as coisas voltaram a normalidade; Atitude rapida e rigorosa é assim que tem de ser, se não as coisas não andão, para tirar uma ideia é so prestar atenção nos Estados Unidos, la a coisa funciona!

FAÇA UM COMENTÁRIO

Por favor digite um comentário
Por favor digite seu nome aqui