Assembleia Legislativa homenageia 25 anos da Fapemig

130

Os 25 anos de dedicação da Fapemig ao desenvolvimento da Ciência, da Tecnologia e da Inovação no Estado foram comemorados, na noite desta segunda-feira (16), durante Reunião Especial no Plenário da Assembleia Legislativa do Estado de Minas Gerais (ALMG), presidida pelo 1º secretário da Casa, deputado Dilzon Melo (PTB). Durante a condecoração, fruto de requerimento do deputado Rômulo Viegas (PSDB), o presidente da Fapemig, Mario Neto Borges, recebeu placa comemorativa em alusão ao Jubileu de Prata da Fundação. Cerca de 200 pessoas assistiram à solenidade, cuja mesa principal também contou com as presenças do subsecretário de Estado de Ciência, Tecnologia e Inovação, Vicente José Garamano; do secretário de Estado de Desenvolvimento Regional e Política Urbana, Bilac Pinto; do subsecretário de Estado do Agronegócio, Baldonedo Arthur Napoleão, e dos reitores Clélio Campolina Diniz, da UFMG; Helvécio Luiz Reis, da Universidade Federal de São João del-Rei (UFSJ) e Paulo Márcio de Faria e Silva, da Universidade Federal de Alfenas (Unifal). Primeiro a se pronunciar, o deputado Rômulo Viegas ressaltou sua satisfação em comemorar as Bodas de Prata da “jovem e eficiente” Fapemig, instituição que, ao longo de tão breve existência, foi responsável, em Minas Gerais, pelo apoio a importantes projetos de pesquisa, tecnologia e inovação, além do financiamento de aproximadamente seis mil bolsas de estudo. “Isso é fruto do trabalho de 180 funcionários competentes e muito bem gerenciados”, ressaltou Viegas, ao lembrar, ainda, que, de 2003 a 2010, a Fundação “deu um salto histórico, durante o governo de Aécio Neves e Antonio Anastasia, ao alcançar, em 2010, orçamento no valor de R$ 284 milhões”. O deputado também chamou a atenção para o importante papel da Fapemig como instrumento de desenvolvimento do Estado, ao ampliar a participação da ciência mineira em redes de pesquisa nacionais e internacionais. “Além disso, a Fundação tem inovado ao aliar-se ao setor privado, investindo no desenvolvimento de projetos em parceria com empresas como Fiat, Ericsson e Vale”, afirmou Viegas, ao revelar, por fim, sua previsão de ótimos “ventos” para a Fapemig em 2011: “A criação da nova sede e do novo estatuto mostra que este aniversário é apenas o começo dos próximos 25 anos de sucesso da Fundação que tanto trabalha para o bem de todos os mineiros”. Um dos ícones da luta contra o preconceito racial nos Estados Unidos foi a inspiração do presidente da Fapemig, Mario Neto Borges, para o início de seu pronunciamento: “Martin Luther King dizia: ‘I have a dream’. Pois eu digo que também a Fapemig tem um sonho: transformar Ciência, Tecnologia e Inovação em desenvolvimento socioeconômico sustentável”, afirmou, ao ressaltar que, ao longo de 25 anos, a Instituição converteu desafios e obstáculos em estímulo para o crescimento: “Superadas as dificuldades, a Fundação transformou-se em modelo de desenvolvimento. Hoje, trata-se de uma das mais importantes FAP’s do país”. Mario Neto também comentou a importante atuação do ex-governador Aécio Neves – assim como do atual governador, Antonio Anastasia –, para o cumprimento do dispositivo constitucional que obriga o repasse de 1% da receita orçamentária do Estado à Fapemig: “É assim que a ciência brasileira pode se aproximar da pesquisa realizada no mundo. O aumento orçamentário reflete-se em programas e projetos; em interação nacional e internacional”. Ao final de seu discurso, o presidente da Fapemig agradeceu a homenagem prestada pela Assembleia, na figura do deputado Rômulo Viegas, e sublinhou, uma vez mais, a relevância do investimento em Ciência, Tecnologia e Inovação: “Nesta noite, sinto-me feliz e honrado. Todos reconhecem, hoje, a importância de uma instituição como a Fapemig para o desenvolvimento equilibrado e sustentável de Minas Gerais”. Em seu depoimento, o primeiro secretário da Assembléia Legislativa, deputado Dilzon Melo, recorreu a Monteiro Lobato para comentar a relevância do financiamento à pesquisa: “O escritor dizia que um país se constrói com homens e livros. Digo que hoje, além de homens e livros, um país se constrói com ciência e pesquisa de ponta. O Brasil precisa de educação mais ampla e de melhor qualidade”. Segundo Melo, nos últimos 25 anos desta “nova era”, a Fapemig tem se destacado não só pelo investimento em bolsas e projetos de pesquisa, mas, entre outros tantos motivos, por aliar tecnologia ao setor industrial. “Com sua equipe de excelência, a Fundação consolidou seu papel na vida de Minas Gerais. Ao confiar na Fapemig, apostamos no desenvolvimento sustentável e com tecnologia limpa. Que os próximos 25 anos sejam ainda mais férteis e promissores”, concluiu.

Ano de celebrações e novos desafios

A homenagem à Fapemig na Assembleia Legislativa foi uma das ações comemorativas previstas para o ano do Jubileu de Prata da instituição. Ao longo de 2011, além de solenidade comemorativa oficial dos 25 anos, estão previstas diversas atividades de divulgação científica. Há, ainda, novidades importantes, como o início das construções da nova sede da Fundação em Belo Horizonte, numa região que, por reunir instituições representativas da CT&I no Estado, tem sido chamada de “Cidade da Ciência”, e a implantação dos novos estatuto e estrutura administrativa da entidade.

Atuação

Criada pela Lei Delegada nº10, de 1985, e com estatuto aprovado em 1986, a Fapemig é uma agência de incentivo ao desenvolvimento científico e tecnológico do Estado. Vinculada à Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (Sectes), ela financia projetos de pesquisa desenvolvidos por pesquisadores de instituições sediadas em Minas Gerais, promove intercâmbio entre cientistas brasileiros e estrangeiros e oferece bolsas em diversos níveis de formação, apoia eventos, entre outras atribuições. Em 2010, o orçamento da instituição foi de R$ 284 milhões, o maior de sua história. Este ano, a Fapemig foi reformulada por meio do Decreto 45.536/11, ganhando novas gerências, assessorias e departamentos. Com a atual estrutura, a Fundação pretende continuar atendendo à crescente demanda por financiamentos a pesquisas nas áreas de ciência, tecnologia e inovação.

 

Agência Minas

FAÇA UM COMENTÁRIO

Por favor digite um comentário
Por favor digite seu nome aqui