Câmara Municipal de Durandé/MG ouve testemunhas na CPI – “Prefeito Ausente”

174

Por Devair G. Oliveira

Durandé, sexta-feira 24/05/2024 às 17 horas a Câmara Municipal de Durandé/MG realizou uma reunião da CPI Comissão Parlamentar de Inquérito para ouvir quatro testemunhas sobre as denúncias da ausência do prefeito em exercício Adriano Feitosa que não se faz presente no município durante os dias uteis da semana, causando transtorno na administração do município, tendo em vista que não é encontrado na sede da prefeitura e nem mesmo no município de Durandé/MG.

Embora o prefeito se ausente para concluir seu curso de residência médica, a causa pode ser justa, mas é contra a lei e prejudicial aos munícipes de Durandé o certo é que ele deveria ter solicitado seu desligamento para não prejudicar o município, e o pior a prefeitura continua pagando seu salário, a CPI segue com os trabalhos, requisitando documentos da prefeitura referentes às diárias de viagens, uso dos veículos e motoristas do município em suposto proveito próprio. É muito ruim para os munícipes que vão à prefeitura e não tem o prefeito para atender, e não vai me dizer que os secretários tem autonomia para resolver todos os problemas.

O Presidente da Câmara Carlos Renato Schuenck disse que nenhum pedido formal chegou até a Câmara para que os vereadores deliberassem sobre a autorização para o prefeito ausentar-se do município para tratar de interesses particulares.

Segundo informações obtidas, o prefeito Adriano Feitosa está inscrito e realizando Residência Medica num hospital no Estado de São Paulo, e como tem a obrigação de cumprir a carga horária para obter a conclusão do curso, ausenta-se semanalmente do município de Durandé. Baseado nessa evidência, a Comissão Parlamentar de Inquérito denominou a CPI de “PREFEITO AUSENTE” em alusão às suas ausências semanais da sede da prefeitura e do município.

Testemunhas já foram ouvidas para esclarecer à CPI quanto aos fatos denunciados, a Comissão já oficiou o Hospital onde o prefeito presta o curso de Residência Médica, e já recebeu informações oficiais sobre a carga horária, que são 60 horas semanais no período do curso e comprovação de permanência do Prefeito no ambiente do hospital.

Por outro lado, o presente da CPI Vereador Luciano M. Pereira alega que o fim principal da CPI é investigar e buscar a verdade dos fatos, pois o povo tem o direito de saber o que acontece no município. Diz ainda que todo o processo será aberto ao prefeito para que apresente defesa na forma legal. O povo de Durandé deve estar em primeiro lugar e necessita ser informado dessa comissão as verdades dos fatos, para que todos tirem suas próprias conclusões.

2 COMENTÁRIOS

  1. A prefeitura de Durandé, com os funcionários municipais do administrativo, está uma vergonha, uma verdadeira “zona” não é só o prefeito, os secretários também, esse cabide de empregos chamado prefeitura municipal de Durandé!

  2. [9#8230;] Lucimar Franco. Até que a CPI pode ouvir o prefeito que não justificou porque está faltando toda semana na prefeitura. É uma situação bem chata a cidade ficar sem prefeito, o presidente fez muitas perguntas e o prefeito não respondeu todas. Mesmo ele sendo conhecedor da Lei está desobedecendo de descrumindo a lei federal e municipal. Ele mesmo afirmou que realmente está Cursando Residência Médica em São Paulo.

FAÇA UM COMENTÁRIO

Por favor digite um comentário
Por favor digite seu nome aqui