Destruição e violência marcam desapropriação em Campo do Meio MG.

241

Em nota, a Comissão Pastoral da Terra (CPT) de Minas Gerais repudiou a ação policial.Clique aqui para ouvir(1’49” / 429 Kb) – A fazenda Ariadnópolis, no município de Campo do Meio, sul de Minas Gerais, sofreu intervenção policial para despejo de aproximadamente 100 famílias sem-terra nesta segunda-feira (18). Os seis mil hectares de terra eram ocupados por dez acampamentos do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) desde a desativação de uma usina de cana-de-açúcar. Seis acampamentos, com cerca de 300 famílias, continuam na terra em situação iminente de desapropriação.

O coordenador do MST, Sílvio Netto, relata a situação do conflito.

“Ontem foi um dia vergonhoso para a história de Minas Gerais – 97 famílias foram expulsas e quatro acampamentos destruídos. Não temos como calcular a quantidade de lavouras que foram destruídas com fogo, com veneno e com maquinário. As famílias estão aterrorizadas. Campo do Meio está em estado e sítio, as famílias estão impedidas de circular no município. São três barreiras cercando o latifúndio. Um aparato policial com mais de 200 homens.”

Netto lamenta a produção perdida dos acampamentos justamente em um cenário de crise alimentar. Ele avalia que a reforma agrária foi abandonada no Brasil.

“A única saída para o conflito é a reforma agrária, a assinatura imediata do decreto de desapropriação por interesse social das terras da usina Ariadnópolis. Está na mão do governo Lula, da Casa Civil. O processo está aprovado jurídico e tecnicamente. Só não faz se não quiser.”

Em nota, a Comissão Pastoral da Terra (CPT) de Minas Gerais repudiou a ação policial. A CPT declarou solidariedade ao MST e caracterizou o despejo como “covarde” e “contra a dignidade humana”.

De São Paulo, da Radioagência NP, Ana Maria Amorim.

2 COMENTÁRIOS

  1. Lamentável a atuação da Polícia Militar!. Lamentável a falta de manifestação do Governo Federal!. Lamentável a ineficácia do INCRA!. O Brasil possui sua força na agricultura!. Temos um potencial enorme para produzir e diminuir a fome em nosso país!. O Presidente está tirando verbas da Reforma agrária, da Educação, da saúde, para aplicar no PRÉ-SAL!!. Uma obra que, a meu ver, não deveria ter a mão do governo, que é ineficaz, e sim na iniciativa privada!. O Dinheiro público tem que ir para a reforma agrária, educação e saúde!. Lamentável o posicionamento do Judiciário em tirar famílias de uma propriedade que não está atendendo suas finalidades sociais, está osciosa. Proibir que cidadãos brasileiros circulem pelo município é uma afronta à nossa Constituição Federal!!. Se praticaram algum crime, que não é o caso, que se prenda (e haja cadeia Sr. Juiz!!), mas proibir a circulação no município????? Barbaridades e mais barbaridades!!!. Espero que esta fazenda seja desapropriada pelo interesse do bem público e transformada em minifúncios, para que estas famílias possam ser fixadas no campo, produzir e o bem de toda nossa sociedade!. Estes usineiros já tiraram muito dinheiro do poder público e nada fizeram!!. Gastaram nosso dinheiro com a construção desta usina, nada produziram e agora querem tirar mais!!. Estes sim deveriam ir para a Cadeia!!. Sem mais comentários!!.

  2. o povo da roça sao esquecidos , espancados ,maltratados na maioria das vezes por quererem um pedacinho de terra .porque os governadores ao enves de um pedaço de terra nao da usuficiente para plantar e ganharem seu pao o Brasil e muito bem visto pelo mundo mas chegara uma hora que sera o pior dos paises . Estao errando onde nao deveriam errar , pois o povo pobre e sujos sao os que colocam comida na mesa dos que os maltratam , Sao gastos milhoes no que nao deveria o povo nao e trocha nos vemos e sabemos onde e gasto nosso dinheiro so nao ve quem nao quer que vergonha o povo mereçe um cuidado espesial

FAÇA UM COMENTÁRIO

Por favor digite um comentário
Por favor digite seu nome aqui