Câmara de Manhuaçu cobra o reinício das obras do Minha Casa, Minha Vida

143

Representantes da Caixa estiveram novamente na Câmara Municipal e garantiram que as obras do programa Minha Casa, Minha Vida em Manhuaçu serão retomadas em até sessenta dias.  Foi a segunda reunião promovida pelo Presidente Maurício Júnior para cobrar uma solução para a novela que se tornou a construção de casas no antigo terreno do Clube do Sol.Reuniao Caixa Camara Jan 2014 (24)

Em outubro, a Câmara Municipal promoveu encontro com o mesmo objetivo, mas apesar das promessas de solução, não houve avanços e tudo continua paralisado. Durante o encontro, o gerente geral Flávio Celestino explicou que a proposta inicial não foi à frente. As construtoras não se interessaram em dar continuidade à obra por questões de lucratividade do negócio.

“Estivemos com os representantes da Prefeitura Municipal e eles devem encaminhar um novo chamamento público para empresas interessadas . Para garantir que haverá interesse das empreiteiras, além dos 288 apartamentos serão incluídas outras 240 unidades. O projeto com 528 moradias será financeiramente bom para as construtoras”, anunciou Flávio Celestino, ao lado do gerente Pedro Paulo Assumpção.

O Presidente Maurício Júnior reiterou a preocupação e a cobrança da comunidade por conta da demora no projeto. “Temos um déficit habitacional muito grande e a população está sendo a mais prejudicada com esse impasse. Enquanto muitas cidades estão entregando casas para as famílias, em Manhuaçu o programa não anda. A Câmara está cobrando providências, especialmente por que o terreno foi doado para essa finalidade”, afirmou.

Além de Maurício Júnior, os vereadores Jorge Augusto Pereira, Gilson César, Aponísia dos Reis, Paulo Altino, Francisco de Assis Dutra e Juninho Linhares estiveram na reunião e reforçaram a cobrança do Legislativo.

Situada no local conhecido como “Clube do Sol”, a obra começou a ser erguida no início de 2013, mas antes da metade do ano já estava paralisada.

INCENTIVO

O Presidente Maurício Júnior ainda lamentou que os benefícios de isenção de ISS (Imposto sobre Serviços) demoraram para ser concedidos e acabaram prejudicando a construtora de Manhuaçu que executava a obra. “Desde o início do atual mandato cobramos do prefeito que enviasse o projeto de lei para a Câmara, a fim de conceder essa isenção. Isso acontece justamente por que é um programa social do governo e todos os municípios fizeram. Infelizmente, o projeto só veio depois que tudo estava perdido. Em dezembro, a Câmara aprovou, mas a empreiteira Alfa já não tinha como continuar no projeto”, criticou.

Para o presidente da Câmara, Maurício Júnior, o impasse ainda prejudicou a economia local. “Agora o benefício que poderia ser de uma empreiteira de Manhuaçu, fatalmente irá para uma de fora. Era só terem concedido essa medida antes, como sempre cobramos”, afirmou.

Segundo ficou definido na reunião, houve o compromisso da Prefeitura de Manhuaçu com a Caixa de abrir um novo chamamento público em poucos dias.

FAÇA UM COMENTÁRIO

Por favor digite um comentário
Por favor digite seu nome aqui