Médico sanitarista da Fiocruz alerta para os riscos do Zika Vírus

482

Transmitido pelo mosquito Aedes aegypti, o Zika Vírus coloca em risco a vida da pessoa infectada

Transmitido pelo mosquito Aedes aegypti, o Zika Vírus coloca em risco a vida da pessoa infectada. Pode trazer complicações neurológicas, como encefalites. Um dos problemas mais graves relacionados ao vírus é a microcefalia em bebês. Quem explica é o médico sanitarista da Fiocruz, Cláudio Maierovitch: 

“Se observou que gestantes que tiveram infecção pelo vírus Zika, em algumas ocasiões, transmitiram este vírus para o bebê, para o feto. Isso causou más-formações, particularmente o nascimento com um tamanho de cabeça pequena, que é chamado de microcefalia, em que o cérebro não se desenvolveu adequadamente. Uma situação muito grave”, aponta. 

Os casos de microcefalia no Brasil reforçam ainda mais a importância dos cuidados para eliminação do mosquito Aedes aegypti. O Ministério da Saúde recomenda às gestantes a utilização de telas em janelas e portas, uso de roupas compridas – calças e blusas – e de repelentes nas áreas expostas do corpo. 

A melhor forma de prevenção ao zika é evitar a proliferação do mosquito. Elimine água armazenada dentro de casa e nos quintais. Ralos, vasos de plantas, lagões de água, pneus, garrafas plásticas, piscinas sem uso e sem manutenção, e até mesmo recipientes pequenos, como tampas de garrafas, podem virar criadouros do mosquito. Para mais informações, acesse: saude.gov.br/combateaedes.

Agência do Rádio

Fundação Cristiano Varella 728

FAÇA UM COMENTÁRIO

Por favor digite um comentário
Por favor digite seu nome aqui