Ministro da Saúde inaugura primeira UPA 24h no DF

118

Unidade de Pronto Atendimento de Samambaia desafoga demanda hospitalar da região. Ministério da Saúde investiu R$ 2,6 milhões na construção da UPA

O Ministro da Saúde, Alexandre Padilha, inaugurou nesta terça-feira (15) junto ao governador Agnelo Queiroz, a primeira Unidade de Pronto Atendimento (UPA 24h) do Distrito Federal. A unidade localizada na cidade satélite de Samambaia amplia a assistência em saúde e reforça a rede de urgências e emergências na região, diminuindo a demanda na porta do Hospital Regional de Samambaia. O Ministério da Saúde investiu R$ 2,6 milhões na construção da UPA e ainda irá repassar R$ 250 mil mensais – R$3 milhões por ano – para a manutenção da unidade.

“Sabemos que a maior parte dos problemas podem ser resolvidos nas Unidades Básicas de Saúde e nas Unidades de Pronto Atendimento. E a melhor forma de acabar com as filas nos pronto-socorros é organizar o sistema de saúde, com a implantação de UPAs e ampliação da Atenção Básica”, disse Alexandre Padilha. O ministro da Saúde quer trazer inovação ao tratamento dado às pessoas da região e pretende implantar, na UPA de Samambaia, o projeto-piloto com um ponto de Telessaúde. Esse projeto, que atualmente funciona em UBS de nove Estados brasileiros para apoio às Equipes de Saúde da Família, proporciona a conexão do médico à outros profissionais, via internet, facilitando o diagnóstico através de uma segunda opinião.atendimento à distância.

DISTRITO FEDERAL – A UPA de Samambaia é a 104ª unidade a ser inaugurada no país. Classificada como de porte III, ela tem capacidade de atendimento de até 450 pacientes durante o período de 24 horas, com uma cobertura de até 300 mil habitantes. Esta será a primeira unidade a ser inaugurada no Distrito Federal, que conta com outras sete UPA’s habilitadas – com projeto aprovado e orçamento assegurado para a construção. Quando entrarem em funcionamento, as oito unidades do DF terão recebido R$ 20,8 milhões em investimento – todas classificadas como de porte III.

Além de ampliar a assistência, o objetivo das UPA’s também é o de diminuir as filas nos prontos-socorros dos hospitais, evitando que casos de menor complexidade sejam encaminhados para as unidades hospitalares. Quando uma ambulância do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU/192) é enviada para o atendimento, os profissionais de saúde já têm a UPA como referência. No Distrito Federal, a cobertura do SAMU/192 é de 100%.

ATENDIMENTO INTEGRADO – Os programas UPA 24h e SAMU/192 são serviços integrados que cumprem papel fundamental nos atendimentos de urgência e emergência. As UPA’s inovam ao oferecer estrutura simplificada – com Raio X, eletrocardiografia, pediatria, laboratório de exames e leitos de observação – para atendimentos em até 24h. Esse modelo começou a ser implantado nacionalmente em 2009. O governo federal destinou R$ 898,8 milhões para as obras das 462 unidades autorizadas em todo o país.

As UPAs de Porte III apresentam estruturas de até 20 leitos e capacidade para atender até 450 pessoas por dia. As do tipo II, com até 12 leitos, recebem até 300 pessoas diariamente, enquanto a do tipo I, com oito leitos, possui potencial para atender até 150 pacientes por dia.

O valor repassado pelo Ministério da Saúde para construção e compra de equipamentos varia conforme o porte da UPA. Para tipo III, são repassados R$ 2,6 milhões; para tipo II, R$ 2 milhões e para tipo I, R$ 1,4 milhões. O governo federal compromete-se ainda com o repasse de recursos para a manutenção das atividades, após a inauguração do serviço. Os valores anuais de custeio variam de R$ 3 milhões e R$ 1,2 milhão ao ano por unidade, conforme o porte.

Por Gabriel Fialho, da Agência Saúde
(61) 3315-3987

Fundação Cristiano Varella 728

FAÇA UM COMENTÁRIO

Por favor digite um comentário
Por favor digite seu nome aqui