Bíblia: Passe Adiante

145

Em janeiro de 1960, o jovem Hermes ingressou no Curso Técnico em Pintura, no SENAI do Rio de Janeiro. Um dos professores do curso, o senhor Francisco, tinha um hábito curioso: toda vez que entrava em sala, antes de iniciar a aula propriamente, dizia: “Eis que estou à porta e bato; se alguém ouvir a minha voz e abrir a porta, entrarei em sua casa, e com ele cearei, e ele comigo”. Noutros dias, dizia: “O Senhor é o meu pastor, e nada me faltará”.

Tais palavras foram intrigando a mente de Hermes. Um ano e meio depois, o jovem tomou coragem e abordou o mestre: “Professor, o que é isso que o senhor fala todas as vezes que começa a aula? Essas palavras são de onde?”.

O professor respondeu que pertenciam a um “livro de capa preta, o livro sagrado”. E em seguida lhe mostrou a Bíblia que tinha nas mãos. A resposta do professor, que era presbiteriano, plantou no coração de Hermes viva curiosidade em relação à Bíblia. Precisava conhecê-la então.

Alguns meses depois, passando pelo Campo de Santana, Hermes viu ali um cego que estava vendendo exemplares da Bíblia. Não teve dúvida: comprou um e começou a estudá-lo vorazmente. Logo Hermes percebeu que alguma coisa precisava ser feita. O livro pedia uma decisão. Hermes comunicou à mãe que não iria mais à Igreja Católica. Sua mente, conta ele hoje, “estava sendo esclarecida pela leitura da Palavra de Deus”.

Menos de um ano depois, Hermes era batizado na Igreja Batista da Fundação, em Guadalupe, Rio de Janeiro, confessando publicamente assim a sua fé em Jesus como Suficiente Salvador. Hoje, o irmão Hermes Magalhães Cruz serve a Cristo como diácono na Igreja Batista Memorial em Pavuna, também aqui no Rio. É um dos “regenerados não de semente perecível, mas imperecível, pela palavra de Deus, que vive e permanece” (1Pe 1.23). Com sua esposa Ione, é nosso ouvinte do rádio, e seu coração continua vibrando com a Palavra de Deus.

Pr. João Soares da Fonseca

FAÇA UM COMENTÁRIO

Por favor digite um comentário
Por favor digite seu nome aqui