CANTINHO DE FÉ – Falsa impressão sobre você mesmo

17

Suas roupas

 Suas roupas dizem muito sobre você. O que colocamos por fora, diz muito do que temos por dentro.

Uma forma inadequada de vestir-se pode mostrar traços de sua personalidade que não gostaria de ver revelada.

A vida Cristã é caracterizada por um comportamento médio, sem excessos ou extravagâncias. O crente não é um animal exótico que mesmo sem querer chama a atenção para aquilo que é, e o que faz. Algumas religiões impõem extremos aos seus fiéis. Chegam à insanidade de exigir cores, tamanhos e formas de vestimentas para homens, mulheres e crianças. Proíbem o corte de cabelo, o uso de adereços, enfeites, e pinturas, tão próprios da nossa cultura e tão ao gosto de todos.

No outro extremo há os grupos totalmente liberados. Uns pecam pelo excesso e outros pela falta. Em ambos os casos estamos equivocados.

O modo de vestir-se deve ser natural, sem extravagância ou excessos.

Deve revelar o bom gosto e a liberdade que nos caracteriza. A Bíblia diz que somos o templo do Espírito Santo que habita em nós. Se Ele habita em nós, devemos dar a Ele o melhor conforto, a melhor aparência e asseio possíveis. Digo isso porque temos que ser moderados. Cada coisa deve ter o seu tempo e lugar: o cinema, o clube, a festa informal, o traje de gala, o uniforme, a farda, o modelito do trabalho diário, enfim, tantas e tão variadas formas. Todas elegantes e adequadas.

Mas cada uma para cada ocasião e lugares próprios. Não podemos vir ao Templo como vamos ao Estádio. Nem aos cultos como vamos à praia.

Nem ainda como se fôssemos ao tribunal.

Lembremo-nos que Deus não vê a aparência exterior, porque não precisa disso. Cada lugar deve ser freqüentado com a dignidade que merece. Cada um com a sua honra e a sua necessidade.

Isso não é regra. É princípio. As regras têm exceções. Os princípios não. Nossas roupas revelam muito do que somos. Seu modo de vestir-se revela muito sobre você. Se isso é inevitável, que elas revelem o melhor de nós em cada lugar. Sejamos sóbrios sem sermos tristes, sejamos elegantes sem sermos extravagantes, sejamos joviais sem nos expormos ao ridículo e sejamos naturais, espontâneos e verdadeiros.

Nada pior que tentar mostrar aos outros, aquilo que você sabe que você não é. Não precisa provar nada a ninguém … nem a você, mesmo. Na fachada de nosso templo há um trecho de Romanos 12.1-2 que diz:

Culto racional, vivo, santo e agradável a Deus. Nada mais completo e veraz que isso. Não podemos nos contentar em sermos menos que isso. Portanto, não esqueça: suas roupas dizem muito sobre você, sua índole, seu caráter, sua personalidade e sua forma de adoração.

Antes de sair de casa, dê uma boa olhada em si mesmo e se pergunte: estou compatível com o que vou fazer?

Se a resposta é sim, vá em frente.

Se a resposta é não, então retorne e melhore o que puder, para não dar aos outros uma falsa impressão sobre você mesmo.

Pastor Levy de Abreu Vargas

3 COMENTÁRIOS

  1. Excelente. Precisamos estar sempre atentos mesmo, moderação em tudo só pode fazer bem! Sempre que possível, abençoe as pessoas com matérias assim. ” Todas as coisas são lícitas, mas nem todas convém”, diz a palavra.

    Cleonice Rodolfo

FAÇA UM COMENTÁRIO

Por favor digite um comentário
Por favor digite seu nome aqui