Quando chegava o Jubileu

37

Você já ouviu falar em Jubileu? A Lei de Moisés determinava a realização, a cada 50 anos, de uma solenidade pública, anunciada pelo toque de uma trombeta. Era uma festa: todos os escravos eram libertados, as dívidas eram perdoadas, as terras tornavam aos seus proprietários originais, e havia descanso tanto para os trabalhadores quanto para a terra.

Spurgeon, o pregador inglês, disse: “Havia muitos empobrecidos no Israel dos velhos tempos, – pessoas que tinham ido à falência, que tinham perdido o seu patrimônio e afundado ainda mais em dívidas, até que foram obrigados a vender os filhos como escravos, como escravos também se tornaram os próprios pais. Era pesado o jugo, e seus problemas feriam fundo. Mas chegava o quinquagésimo ano, e nunca antes se ouvira música tão doce nas terras da Judeia como quando a trombeta de prata anunciava a manhã do jubileu, e um alto e estridente som se produzia em cada cidade, e aldeia, e vila, em todo o Israel, desde Dã até Berseba.

O que significava o som desse clarim? Significava isto: “Ó israelita, você é um homem livre. Se você se vendeu, vá, sem pagar nada, porque o ano do jubileu chegou. Volte, volte, você que perdeu suas terras; procure a antiga propriedade, e os alqueires dos quais você foi expulso: são seus novamente. Volte, are a terra, semeie e colha outra vez. Que cada homem se assente sob sua videira e sob a sua figueira, porque todas as suas heranças foram restauradas!”.

Jesus também anuncia um jubileu para pecadores falidos e escravizados. Ele rompe os grilhões do pecado, e dá aos crentes a liberdade da verdade. Ninguém pode reter em cativeiro as almas que Jesus declara livres. Ele disse: “Conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará” (Jo 8.32). Em Jesus, chegou o Jubileu que nossas almas tanto esperavam.

Pr. João Soares da Fonseca

FAÇA UM COMENTÁRIO

Por favor digite um comentário
Por favor digite seu nome aqui