Abertura da semana do aleitamento reúne mais de 800 mães em parque do Distrito Federal

204
Brasília - Marilena da Silva, com a filha Rafaela, de 2 meses, participa de evento no Parque da Cidade que deu início à Semana Mundial da Amamentação no Distrito Federal Foto: Antonio Cruz/ABr
Brasília - Marilena da Silva, com a filha Rafaela, de 2 meses, participa de evento no Parque da Cidade que deu início à Semana Mundial da Amamentação no Distrito Federal Foto: Antonio Cruz/ABr

Brasília – Mais de 800 mulheres escolheram o cenário do Parque da Cidade, no Distrito Federal, para amamentar seus filhos na manhã de hoje (1°).

Elas participaram da abertura da Semana Mundial de Aleitamento Materno, que vai tem o objetivo de incentivar essa prática e reforçar a importância da doação de leite humano.

Durante boa parte da manhã de hoje, essas mães também receberam orientações sobre a importância do aleitamento materno como forma de prevenção de doenças.

O governo do Distrito Federal deixou à disposição 26 ônibus que transportaram mulheres de todas as cidades-satélite para que elas participassem do evento no Parque da Cidade.

Elas também puderam ter acesso a treinamento de massagens para bebês e crianças, como a shantala, uma técnica indiana milenar.

De acordo com a coordenadora de Aleitamento Materno e do Banco de Leite do Distrito Federal, Miriam Oliveira dos Santos, o Distrito Federal está entre os mais bem desenvolvidos quando o assunto e amamentação.

Até 4 meses de idade, 60 % das crianças do DF se alimentam exclusivamente do leite da mãe; 50 % das crianças com até 6 meses também e 65% das crianças com até 12 meses continuam sendo amamentadas pelas mães, mesmo recebem alimentação complementar.

“O ideal é a amamentação exclusiva até 6 meses de vida, e mantida com complementação alimentar até dois anos de vida”.

Brasília - Evento no Parque da Cidade deu início à Semana Mundial da Amamentação no Distrito Federal Foto: Antonio Cruz/ABr
Brasília - Evento no Parque da Cidade deu início à Semana Mundial da Amamentação no Distrito Federal Foto: Antonio Cruz/ABr

Miriam Oliveira lembrou que quanto maior o maior período de amamentação menores os riscos de hipertensão, diabetes, obesidade e outras doenças na vida adulta. “Quanto mais tempo a criança for amamentada melhor será seu rendimento escolar, menos doenças e menos problemas de ordem psicológica”.

Sobre a doação de leite humano, a coordenadora do programa disse que o Distrito Federal consegue suprir a demanda de leite para as crianças de baixo peso.

Atualmente, a capital da República recebe por ano 21 mil litros de leite materno, o suficiente para atender crianças que estão abaixo do peso, mas ainda em quantidade insuficiente para a demanda geral, que é de cerca de 50 mil litros por ano

Agência Brasil

FAÇA UM COMENTÁRIO

Por favor digite um comentário
Por favor digite seu nome aqui