Banda larga vai chegar a regiões isoladas

224

banda largaPor Devair Guimarães de oliveira
A banda larga brasileira é muito estreita, pode se comparar com o trânsito das grandes cidades, os engarrafamentos etc. da mesma maneira que o fluxo não flui com maior velocidade, assim é a nossa internet que só tem o nome, de larga não tem nada.

Veja as estatísticas publicadas dos dados sobre o uso da rede pelos brasileiros, será que passamos muito tempo na rede porque queremos realmente? Ou porque a rede, no Brasil, é tão lenta que nos obriga a gastar mais tempo?…

O tempo de navegação por pessoa atingiu a marca inédita de 26 horas e 15 minutos, crescimento de 18% no mês e de 10% em relação a março de 2008. Os países que mais se aproximaram do Brasil em tempo individual de navegação foram o Reino Unido, com 25 horas, a França, com 24 horas, e a Alemanha, com 23 horas e 53 minutos por pessoa. Em março, o internauta brasileiro com linha discada navegou por um tempo de 17 horas e 11 minutos e o usuário de banda larga somou 27 horas e 28 minutos de navegação.

Segundo a OECD a velocidade média de download, no Japão, é quase 94 megabit por segundo, na França e na Coréia do Sul, ao redor de 45mbps e, em Portugal, mais de 12mbps. No Brasil, a definição de banda larga tem que ser revista, pois a conexão está muito longe do que apresentam outros países.

Mas a situação em muitos municípios brasileiros não conta com nenhum serviço de internet de alta velocidade, se é que podemos assim dizer.

Caos telefônico no Amapá, corte de investimentos no Acre e perspectivas de comunicação de dados de alta velocidade, com fibra ótica, entraram em pauta nesta semana na Comissão da Amazônia. Em audiência pública, parlamentares do Acre e do Amapá cobraram do Ministério das Comunicações e da Agência Nacional de Telecomunicações um prazo para interligar regiões isoladas.

“A universalização das telecomunicações é um desafio para Amazônia, porque combate as desigualdades sociais. Eu lamento que não tenha sido empenhada uma emenda parlamentar para o Programa Floresta Digital”, queixou-se o deputado Fernando Melo (PT-AC). O programa visa levar a internet de banda larga aos 22 municípios acreanos.

O secretário de telecomunicações do Ministério das Comunicações, Roberto Pinto Martins, respondeu ao deputado do Acre que até dezembro de 2010 todas as escolas brasileiras terão acesso à banda larga sob a responsabilidade da operadora OI.

A Anatel informou que serão necessários R$ 250 bilhões para o setor, “não só para a banda larga”.

FAÇA UM COMENTÁRIO

Por favor digite um comentário
Por favor digite seu nome aqui