Brasil deve ampliar parcerias com o Benin nas áreas econômica e social

166

A presidenta Dilma Rousseff se reúne hoje (23) com o presidente do Benin, Boni Yayi, que visita o Brasil até amanhã (24). Os temas econômicos devem prevalecer nas conversas dominadas por questões relativas à energia e infraestrutura. Mas também deve ser negociada a ampliação de acordos referentes à área social. O Benin, na África, tem cerca de 9 milhões de habitantes e conquistou a independência da França há 51 anos.

As relações políticas e econômicas entre o Brasil e Benin se intensificaram desde a abertura das embaixadas de ambos os países no período de 2006 e 2007. No ano passado, o comércio bilateral ultrapassou US$ 139 milhões, o que representa um aumento de 225% em relação a 2006.

O Benin faz parte do projeto de cooperação técnica que se destina ao fortalecimento da cadeia produtiva do algodão denominado Cotton-4. Na visita ao Brasil, Yayi pretende negociar parcerias para compartilhar tecnologias desenvolvidas em instituições públicas e privadas do país.

O Brasil e Benin também têm parcerias para o desenvolvimento de ações para o tratamento da anemia falciforme, fortalecimento de cursos de educação profissional e cooperativismo e programas de inclusão social por meio do futebol e gestão do patrimônio material e imaterial.

Em janeiro de 2012, Yayi foi eleito presidente da Assembleia da União Africana – organização formada por 54 países da região e que conta com o Brasil como observador. No momento, o desafio do bloco é negociar o fim do clima de tensão no Mali, alvo de golpe de Estado liderado por militares.

Agência Brasil

FAÇA UM COMENTÁRIO

Por favor digite um comentário
Por favor digite seu nome aqui