Chances de um raio ter provocado blecaute são mínimas, diz Inpe

257

As chances de um raio ter provocado o blecaute que atingiu 18 estados na noite de terça-feira (10) “são mínimas”, segundo nota do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), divulgada hoje (12). De acordo com o comunicado, apesar de ter ocorrido uma tempestade na região de Itaberá (SP) – onde os raios caíram próximos às linhas de transmissão – as descargas mais próximas foram registradas a 30 quilômetros (km) da subestação, a 10 km de linhas de transmissão de Furnas e a 2 km de outras linhas que saem de Itaipu para São Paulo.

Os integrantes do Grupo de Eletricidade Atmosférica do Inpe disseram por meio da nota que a baixa intensidade da descarga dos raios, menor do que 20 amperes, “não seria capaz de produzir um desligamento da linha, mesmo que incidisse diretamente sobre ela”. Apenas uma descarga acima de 100 amperes atingindo diretamente a linha poderia causar o desligamento, segundo eles.

O ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, afirmou ontem (13), em entrevista coletiva, que o blecaute foi provocado por raios, ventos e chuvas concentradas na região de Itaberá, que provocaram um curto circuito nas linhas de transmissão que partem de Itaipu.

Em alguns estados, a energia voltou uma hora depois. No Espírito Santo, em Mato Grosso do Sul, no Rio de Janeiro e em São Paulo, o fornecimento só foi restabelecido no início da madrugada de ontem (13).

FAÇA UM COMENTÁRIO

Por favor digite um comentário
Por favor digite seu nome aqui