Governo prorroga isenção de chineses e prejudica indústria nacional

194

Cláudio Humberto

 

A visita de Lula (PT) e numerosa comitiva à China vem sendo apontada como a origem de uma decisão que deve provocar o fechamento dos fabricantes brasileiros de equipamentos de proteção individual, como máscaras, luvas e seringas. Sexta (17), a Câmara de Comércio Exterior (Camex), presidida pelo ministro e vice-presidente Geraldo Alckmin, sem motivo razoável, prorrogou por mais um ano a isenção de impostos nessas importações, beneficiando chineses e prejudicando brasileiros.

Era uma emergência

A isenção na importação foi determinada em 2021, auge da pandemia, para reduzir o custo de luvas, máscaras etc. Era uma emergência.

Já não faz sentido

A isenção na importação, cuja vigência já havia sido prorrogada para o próximo dia 31, perdeu sentido após o término da pandemia de covid-19.

Empregos cancelados

Só um produtor de luvas médicas teve de demitir 650 funcionários em Paraíba do Sul (RJ), provocando desequilíbrio econômico na região.

Deboche na culpa

O governo sabe que sua decisão lesa o Brasil, tanto assim que tentou escondê-la, sugerindo que interessados aguardassem o Diário Oficial

FAÇA UM COMENTÁRIO

Por favor digite um comentário
Por favor digite seu nome aqui