General Heleno depoe na CPMI e minimiza delação de Mauro Cid

147

Argumentos e provas existem aos montes, mas para prender não os patriotas, mas cadê as imagens que mostra tudo?

O ministro do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), general Augusto Heleno, durante audiência da Comissão de Fiscalização Financeira e Controle da Câmara dos Deputados.

Por Devair G. Oliveira
A verdade é que este governo está numa sinuca de bico, não existem provas do que eles dizem e todo os brasileiros já sabem disso, como que as Forças Armadas que tem todo um serviço de informação, tem todo o comando e as armas, iriam dar golpe com canivete através de patriotas que nada entendem de coisas desta natureza.

O ex-ministro do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), general Augusto Heleno, tentou minimizar, nesta terça-feira (26), os depoimentos que o ex-ajudante de ordens de Jair Bolsonaro, Mauro Cid, tem dado à Polícia Federal sobre os problemas ocorridos no dia 8 de janeiro, que tentam dizer que foi tentativa de golpe.

Segundo o militar, o papel de Mauro Cid estava restrito a cumprir ordens dadas pelo então presidente, e que, portanto, não participava de reuniões, nem teria relevância para a tomada de decisões, é o que acontece com todos os ajudantes de ordem, o general sabe o que está falando.

“Cid era apenas um ajudante de ordens do ex-presidente. Ou seja, cumpria ordens”, disse Heleno ao afirmar que os depoimentos de Mauro Cid estão sendo utilizados de forma indevida. “Não sei o que ele falou. Ninguém sabe”, acrescentou ao lembrar que até o momento o conteúdo está sob sigilo.

Mauro Cid assinou um acordo de delação premiada com a Polícia Federal, e alguns trechos desses depoimentos foram vazados pela imprensa, cadê as provas, de narrativas o Brasil está cheio.

Em um deles, Cid teria dito que Augusto Heleno participou de reuniões de teor golpista com chefes das Forças Armadas e com o hacker Walter Delgatti. Heleno disse não se lembrar ou que não teria participado dessas reuniões.

Diante da declaração, o deputado Rogério Correia (PT-MG) apresentou imagens de Mauro Cid em uma reunião entre Augusto Heleno, o ex-presidente Jair Bolsonaro e os chefes das Forças Armadas.

O general argumentou, então, que a imagem mostrada era de algo que “raramente acontecia”, e que Cid estaria ali apenas “esperando o presidente falar com ele para passar alguma ordem”. Segundo o general, a imagem mostrava uma reunião ocorrida ainda em 2019. O deputado não sabe que reunião do alto escalão do generalato, tenente coronel não participa.

FAÇA UM COMENTÁRIO

Por favor digite um comentário
Por favor digite seu nome aqui